15 de agosto de 2018

Tá Na Estante :: 'Heroínas' #806

POSTADO POR EM 15 de agosto de 2018

Olá, pessoal!


Quem aí gosta de personagens girls powers?
Livro: Heroínas
Autoras: Laura Conrado, Pam Gonçalves, Ray Tavares
Editora: Galera Record
Páginas: 256
Sinopse: Três escritoras brasileiras — Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares — reinventam clássicos para inspirar cada vez mais heroínas. Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem. Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura. Laura Conrado imaginou as Três mosqueteiras como veterinárias de uma ONG, que de repente contam com a ajuda de uma estudante que não hesita em levantar seu escudo para defender os animais. A Távola Redonda de Pam Gonçalves é liderada por Marina, que diante do sumiço do dinheiro que os alunos de sua escola pública arrecadaram para a formatura, desembainha a espada e reúne um grupo de meninas para garantirem a festa que planejaram. E Roberta é a Robin Hood de Ray Tavares. Indignada com a situação da comunidade em que vive, a garota usa sua habilidade como hacker para corrigir algumas injustiças. Este é um livro no qual as meninas salvam o dia. No qual elas são o que são todos os dias na vida real: heroínas. Finalmente.
Quando soube que este livro seria lançado, fiquei com muita vontade de desvendar as narrativas e conhecer cada uma das personagens principais. É claro que tive a chance de perceber as especificidades da escrita de cada uma das autoras e o que mais se destaca nelas, mas o bacana foi conseguir notar que as histórias poderiam se cruzar para os leitores de alguma maneira: nos contos nos deparamos com as lutas diárias das protagonistas, seu medos e anseios, a busca por aquilo que acreditam. Sem dúvida, Heroínas não apenas apresenta histórias divertidas, mas que nos possibilitam refletir sobre o mundo e as nossas escolhas.

Já conhecia a escrita da Laura Conrado — e sempre gostei muito —, mas tive a chance de conhecer a da Pam Gonçalves e da Ray Tavares com este livro e, confesso, também fiquei encantada. A leitura é rápida, envolvente e as narrativas exploram não apenas o pensar sobre o modo como temos sim a liberdade para seguir nossos desejos e o que acreditamos ser bom para todas nós, mas também esboçam questões sociais, pessoas mesquinhas, corruptas e hipócritas, até as relações profundas que se estabelecem entre as pessoas, a descoberta da paixão, a liberdade, a relação entre pais e filhos... Heroínas nos mostra como podemos tomar as rédeas da nossa vida e achei isso fantástico.

13 de agosto de 2018

Tá Na Estante :: 'Em pedaços' #805

POSTADO POR EM 13 de agosto de 2018

Heeey, gente. Tudo bem??

Não disse que estava cheia de resenhas para compartilhar com vocês? Pois bem! Vamos para mais uma... Dessa vez vou comentar sobre um livro que eu confesso não estar com muitas expectativas, mas que no fim das contas gostei bastante. Bora lá?
Livro: Em pedaços
Série: Recomeços #01
Autora: Lauren Layne
Editora: Paralela
Páginas: 248
Sinopse: Uma garota com segredos corrosivos. Um ex-soldado com cicatrizes externas e internas. Um amor que pode salvar ambos... ou destrui-los de vez.Aos vinte e dois anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita — linda, inteligente e caridosa — mas, por dentro, guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém-saído da guerra. O que ela não esperava era que seu paciente seria um jovem enigmático de vinte e quatro anos tão amargurado quanto atraente.Paul Langdon está furioso — com o mundo, com a vida, com o seu pai e, principalmente, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da Guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesinha nova-iorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul: ela o incomoda, mas ele não consegue afastá-la, por mais que tente. Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.

Olivia Middleton é herdeira de uma das famílias mais tradicionais de Nova York e sempre teve tudo o que quis. Namorou o cara perfeito, foi para a melhor faculdade e vai gerenciar a empresa da família. Além disso, é dona de uma beleza avassaladora e de uma inteligência ímpar. Traduzindo: tem tudo para uma vida perfeita, porém não vive essa vida.



Um acontecimento marcou a vida de Olivia e fez com que ela desistisse da faculdade por um trabalho voluntário. A ideia da garota era embarcar para algum país longe de casa e trabalhar com pessoas realmente necessitadas, mas seus pais deram um toque e o trabalho voluntário da garota será auxiliar um ex-soldado numa cidade não tão longe da sua.

9 de agosto de 2018

Tá Na Estante :: 'Não Confie em Ninguém' #804

POSTADO POR EM 9 de agosto de 2018

Oi, gente. Tudo bem?


Estou de volta com mais uma resenha para vocês. Dessa vez, vim comentar minha opinião sobre o terceiro livro do meu muso do thriller, Charlie Donlea. Vamos conferir?!
Livro: Não Confie em Ninguém
Autor: Charlie Donlea
Editora: Faro Editorial
Páginas: 352
Sinopse: O melhor livro de Charlie Donlea - até agora. O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com o namorado. O rapaz é assassinado. E ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.
Sidney Ryan é uma cineasta que está construindo sua carreira em cima de documentários. Seus primeiros trabalhos foram sobre pessoas condenadas injustamente por crimes que não cometeram e graças a Sidney tiveram sua pena revertida. O trabalho mais recente dela lhe rendeu um grande status, além de um contrato com uma emissora para exibi-lo em horário nobre.

Por conta da eficácia da cineasta em resolver crimes, ela recebe diariamente centenas de cartas de pessoas que acreditam ter sido condenadas injustamente e é de uma dessas cartas que Sidney vai tirar seu próximo trabalho. 10 anos antes, o país ficou chocado com a história de Grace Sebold, uma garota estudante de medicina acusada de matar o namorado em uma ilha no Caribe.

Sidney e Grace estudaram juntas na faculdade e ao longo dos dez anos em que está presa, Grace enviou várias cartas para a colega, alegando sua inocência. Determinada a investigar a verdade por trás da morte de Julian Crist, Sidney embarca para Santa Lúcia em busca de provas, tendo em vista que o julgamento de Grace pareceu conveniente demais, com as poucas pistas encontradas apontando para ela, mas sem um real embasamento.

7 de agosto de 2018

As duologias da Julia Quinn

POSTADO POR EM 7 de agosto de 2018

Heeey, gente. Tudo bem??

Se você acompanha o mundo dos romances de época, então você muito provavelmente conhece a Julia Quinn, uma das autoras m ais cotadas do gênero na atualidade. E é sobre ela que eu vou falar no vídeo de hoje.



Julia Quinn estourou no Brasil há cerca de quatro anos quando a série dos Bridgertons começou a ser publicada. Uma série com nove livros que conta a história de oito irmãos e ainda traz um extra com um conto sobre cada um deles e que foi um tremendo sucesso. O fato é que ela adora escrever sobre famílias imensas - e a gente adora ler! Mas para agradar um público que não curte séries tão grandes, Julia apresenta também as duologias, que como o próprio nome já diz, são séries com dois livros.