Heey gente, tudo bem??

Sim, eu classifiquei a resenha para +18 mesmo tendo 17 anos. Bom, quando li o livro tinha plena certeza do que estava lendo, e como já tinha lido coisas do gênero nada ali me seria estranho, caso você não tenha 18 anos e mesmo assim queira ler a resenha, tome toda a responsabilidade. Mas enfim, vamos ao que interessa?

Livro: Eu, Dommenique
Autor: Dommenique Luxor
Editora: Lua de Papel
Páginas: 190
Sinopse: Os homens que procuram Dommenique envolvem-se com ela em um sofisticado jogo de dominação e submissão. É um jogo com limites previamente combinados, mas não há jogadas ensaiadas. Dentro desses limites, tudo pode acontecer. A regra é muito clara e específica: A Domme decide e executa, o escravo serve e obedece – física, mental e emocionalmente. É um jogo erótico e sexual, e os envolvidos sentem prazer de forma peculiar. Eu, Dommenique apresenta relatos verídicos de diferentes tipos de sessões de dominação e revela as ideias e inquietações de uma mulher que é, acima de tudo, senhora de si. Nada do que você vai ler é imaginação. Tudo é real. Verdadeiro. Tão real e verdadeiro como Dommenique Luxor, a mulher que viveu tudo isso e agora conta para você como é, como se faz, o que acontece, o que se sente. Se você tem curiosidade em saber o que é dominação, então não vai perder esse livro. E se você é uma dominadora ou um dominador, ou se tem curiosidade sobre o tema, vai se rever nessas páginas. “Fiz tudo como mandava o figurino. Contrato de servidão. Se era pra ser, seria. Nem eu sabia direito o que fazer, e por isso mesmo segui no jogo. Qualquer coisa que eu praticasse seria aceita, e ele assinou”. Isso foi a primeira vez. Depois… bom, depois você não vai ser capaz de ler como essa gaúcha virou a rainha das dominadoras. 


‘Entre, feche a porta e deixe-se dominar…’

Antes de qualquer coisa deve-se saber que esse livro é uma biografia disfarçada. Eu, Dommenique conta a história de Dommenique Luxor, uma mulher que abandonou a vida confortável que tinha para seguir um sonho, ser uma Dominatrix Profissional. Mas o que é uma Dominatrix? São mulheres que tem o gênio da dominação, ou seja, mulheres que dominam seus parceiros no momento do sexo. Existem Dominatrix pagas, como no caso de Dommenique, ou Dominatrix que vestem a fantasia apenas por prazer, podendo ser dominadora de seu marido, namorado ou de um escravo encontrados em casas especializadas.
Na obra a autora conta detalhes de sua vida e do que a fez se tornar uma Domme, desde sua primeira relação Domme x Submisso, até quando ela decidiu levar isso como profissão. Os nomes dos parceiros são fictícios para manter o anonimato dos envolvidos. A história começou por um brincadeira, onde Dommenique gostaria de relatar suas aventuras sexuais e quando ela percebeu, já havia se tornado um livro.
Apesar de não ter escrito nada antes de Eu, Dommenique, Dommenique tem uma grande fluidez na escrita, o que torna a leitura gostosa. Vale a pena ressaltar o fato de que muitos palavrões são utilizados no contexto na história, bem como palavras utilizadas no meio BDSM (Relações sadomasoquistas), as quais sempre acompanham uma definição feita pela própria autora.

O livro é super bem escrito, mas ressalto que é uma leitura forte. Dommenique relata espancamentos, sessões de sexo selvagem, sexo tântrico, dominações de todas as formas. Para quem não curte esse tipo de escrita nem vale a pena começar a leitura, pois de fato será chocante. Já quem curte esse estilo vale super a pena. O fato de não ter um romance ao fundo faz com que as ações dos personagens sejam mais reais, e o erotismo seja a peça chave da história.

‘O poder é todo meu. Sou dona da minha casa.
Do meu corpo. Do meu prazer.
E dona dos meus objetos.
Dona. Senhora. Madame. Mistresse.
Rainha. Deusa. Dominatrix.
Domme. Dommenique.’

Beijoos

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário

35 Comentários

  • Boimeirelles
    21 junho, 2014

    Muito boa a resenha, adoro dominacao feminina, acho que gostaria do livro hehe bjao

  • Ceile
    16 fevereiro, 2013

    Acho que a escrita com palavrões e a narrativa forte, fazem parte do contexto, né? Eu adoro livros assim – desde que li A Garota que Só Pensava Naquilo, que a autora transformou os relatos feitos no blog dela em livro.

    Que bom que a narrativa é fluída, a escrita imatura é um dos meus maiores medos desses pseudo-autores contando suas próprias histórias.

    Beijos!

    • Barbara
      Barbara
      16 fevereiro, 2013

      Realmente, a fluidez da escrita é o que mais cativa a leitura 🙂

  • Jaqueline
    15 fevereiro, 2013

    Curiosa também fiquei, parece ser muito bom

    http://www.garotaxmulher.com

  • Juliana Lira
    15 fevereiro, 2013

    Parece um livro bem forte hein?
    Estilo 50 tons?

    Se quiser segue o meu blog, te sigo de volta

    http://www.reticenciando.com

    Milhões de beijos

  • Anônimo
    14 fevereiro, 2013

    Gostei da resenha, quero ler ahahaha

    beijos
    http://www.barbaraalgazi.com

  • Alice Aguiar
    14 fevereiro, 2013

    eu gosto de livros eroticos e coisas do tipo
    gostei bastante da resenha amore
    acho que vou ler esse livro 🙂

  • Adolfo J. de Lima
    14 fevereiro, 2013

    Somente agora eu fui perceber: +18 à resenha? Não seria ao livro, e ainda assim para quem pensar em o ler?! Resenha tão acanhada… E dentre todas foi uma das pela qual eu mais esperei: contudo não podes agradar a todos, eu sei… rss

    • Barbara
      Barbara
      14 fevereiro, 2013

      É ao livro, está escrito +18 ao livro gato 🙂

  • Adolfo J. de Lima
    14 fevereiro, 2013

    Tanta gente com tanto medo… tão presas não a dominação de olhos cinzas, mas a passividade de uma subordinada.
    Donmenique tem muito mais graça!

  • Fernanda Curvellano
    14 fevereiro, 2013

    Um "50 tons de cinza" ao contrario? Onde a mulher que é a dominadora? haha Nunca li nenhum, mas acho que esse deve ser mais "chocante". Parece legal, desperta muito a curiosidade…

    Ah, e você comentou lá no meu blog que fuça muito o tumblr. Eu queria acessar o seu, mas não estou consiguindo aqui pelo icon do seu blog… Me manda o link (do seu tumblr)? 😀

    Beijos

    • Barbara
      Barbara
      14 fevereiro, 2013

      hehe, mais ou menos isso. Só que bem mais caliente!

  • Katrine Bernardo
    14 fevereiro, 2013

    Adorei sua resenha, mas não leria o livro hsuahs
    Um beijo.
    http://livrodagarota.blogspot.com.br/

    • Barbara
      Barbara
      14 fevereiro, 2013

      Obrigada amore. Realmente não é todo mundo que curte esse tipo de leitura.

  • Luan
    14 fevereiro, 2013

    MEU DEUS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Que blog perfeito, adoreitudo, tudinho mesmo, o jeito que você escreve, o layout, TUDO, TUDO, TUDO!!!!!***************
    Voltei com meu blog agora e gostaria que você desse uma passadinha lá tambèm!!!
    http://luan-crazyinhtml.blogspot.com.br/

  • Modaeimagem
    14 fevereiro, 2013

    olha eu acho que parece legal
    amei a resenha
    bjaum

    @angellribeiroo
    http://www.modaimagem.com.br

    • Barbara
      Barbara
      14 fevereiro, 2013

      É bem legal, para quem curte esse gênero. Beijoos

  • Livroterapias
    14 fevereiro, 2013

    Esse livro é um clássico!
    Faz tempo que não via ninguem falando dele
    Adorei
    Beijinhos
    Rizia-Livroterapias
    http://livroterapias.blogspot.com.br/

  • Hannah Monise
    14 fevereiro, 2013

    Uau! Que livro tenso… Confesso que não tenho vontade alguma de lê-lo, mas o tema é bem forte mesmo, apenas para quem está acostumado ou não se importa muito, haha.
    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Hannah – Secrets of Book.

    • Barbara
      Barbara
      14 fevereiro, 2013

      Obrigada amore, realmente o tema é bem forte 🙂

  • Anna Gabby
    14 fevereiro, 2013

    Estou meio traumatizada com o sadomasoquismo desde Anastácia e Gray, mas acho que esse é bem mais real, não é o meu tipo de leitura mas quem sabe…
    Bjus
    Letras & Versos

    • Barbara
      Barbara
      14 fevereiro, 2013

      haha, é MUITO diferente de Ana e Grey, pode crer.

  • Mirelle Candeloro
    14 fevereiro, 2013

    Nossaaaaa, meu queixo caiuuuu!! Ela é gaúcha?? OMG.. kkkk nunca tinha ouvido falar desse livro e confesso que agora fiquei morrendo de curiosidade. Não que eu seja adepta do BDSM, mas tb não tenho nada contra. Sou uma pessoa com mente super aberta e com uma curiosidade mega aguçada. O que gosto nesses livros é poder conhecer coisas que provavelmente eu nunca conheceria na vida real. Estou com um livro em casa chamado Diário de uma Submissa. Tb é uma história real. Se vc gostou desse da Dommenique talvez goste deste que eu tenho, pq já li o primeiro capítulo e é chocante. Só que é tão bem escrito que chega a parecer uma história de ficção sabe, e a gente fica querendo saber o que vai acontecer com a autora.. hehe
    Adorei a resenha. Bjs, Mi

    http://www.recantodami.com

    • Barbara
      Barbara
      14 fevereiro, 2013

      Sou louca por esse livro, ta no meu carrinho do sub a décadas e eu nunca fecho a compra, haha. Quero pegar ele e Laços de Seda (acho que é esse o nome).

  • Esteffani Fontes
    14 fevereiro, 2013

    eu quero muito ler… fiquei in love com a capa!

    @esteffanifontes, do blog Aos Dezesseis Anos
    aosdezesseisanos.blogspot.com.br