E aí pessoal, tudo
bem? Vamos conhecer um pouquinho mais sobre os vampiros?
                Afinal,
o que é um vampiro? Criado como um
mito, os vampiros são seres que se alimentam da essência vital de criaturas
vivas (ou seja, do sangue dos seres vivos). Possivelmente o tema tenha surgido
em tempos remotos, tanto quanto a pré-história, mas foi somente a partir do
século XIX que ele tomou forma e se popularizou, com a obra de Bram Stoker
(1897), o famoso Drácula, se
tornando a base da ficção moderna acerca da temática. Drácula foi inspirado a
partir de outras mitologias, como lobisomens e outros demônios lendários.
                A
origem do termo vampiro é confusa. Muitas são as hipóteses (veio do francês,
que por sua vez veio do alemão, que por sua vez vem do sérvio, e assim por
diante), mas o dicionário Houaiss nos apresenta como possível descendência da
língua húngara.
                Alho, ramos de roseira silvestre, sementes
de mostarda, crucifixos, rosários
ou
água benta
são capazes de afastá-los. Mas as novas gerações de vampiros
estão mais modernas, e na maior parte isso tudo apenas causa pequenas
escoriações e mal-estar passageiro. O método mais eficaz para sua destruição é
uma grande e pontiaguda estaca de madeira.
                No
Brasil, o vampirismo marcou presença principalmente durante a década de 70, com
o personagem Zé Vampir , de Maurício
de Souza. Foi por volta dos anos 2000 que houve a retomada do tema, com o
escritor André Vianco e suas séries
de histórias, como Os Sete, Sétimo e Vampiro Rei.
                Há
ainda a aparição no cinema com os filmes Drácula,
A Filha do Drácula, Entrevista com o Vampiro, Van Helsing
, e ainda com as
séries True Blood e The Vampire Diaries. No Brasil, as
novelas Vamp (1991) e O Beijo do Vampiro (2002) abordaram o
tema.
                Atualmente,
os autores mais destacados são:
Jéssica Anitelli, com a série O
Punhal
;
Stephenie Meyer, com a série Crepúsculo;
Richelle Mead, com a série Academia de Vampiros;
Anne Rice, com a série Vampire
Chronicles
;
Simone O. Marques, com a série Agridoce;
J.R. Ward, com a série Irmandade
da Adaga Negra
;
Ben Green, com Praga Imortal;
L.J. Smith, com as séries de Diários
de um Vampiro
e Mundo das Sombras;
Nora Roberts, com a Trilogia
do Círculo
;
Lívia Lorena, com a série Redenção;
Mari Scotti, com a série Híbrida;
Marcia Rubim, com Adeus à
Humanidade
;
Justin Cronin, com a série A
Passagem
.

                

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!


Deixe seu comentário

20 Comentários

  • Anônimo
    30 julho, 2013

    Gosto de ler livros com vampiros, mas me decepcionei muito com Diários de vampiro.

  • Amiga da Leitora - Thais
    31 maio, 2013

    O que eu gosto é ver cada um desses autores, ou até mesmo aqueles que trabalham com os filmes ou novelas, adaptar seus vampiros de uma forma diferente da outra, mas sem perder a essência do mesmo.

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    • . pamela moreno santiago
      31 maio, 2013

      Eles recorrem a novos artifícios para atrair a atenção dos leitores. Isso é algo maravilhoso de se ver nos autores nacionais :3

  • Ben Green
    31 maio, 2013

    Olá Pam,

    É sempre uma felicidade ao se ver uma matéria sobre vampiros e tantas pessoas interessadas não somente em produzir conteúdo, mas também em ler! Só acho que faltou mencionar a clássica novela Vamp e talvez o Beijo do Vampiro (essa não vi e não sei se era bom). Muito legal ter sido lembrado no post! Adorei!

  • Alice Aguiar
    31 maio, 2013

    cara pfvr ;w; que post lindo
    eu adoro vampiros. hoje em dia mt gente diz que eles estão fora de moda ou que não são mais a mesma coisa, mas vampiros seram sempre imortais, por isso nunca saem de moda xp

    • . pamela moreno santiago
      31 maio, 2013

      Muitos dizem que o tema está repetitivo, cansativo. Mas essa maioria nem ao menos leu os novos lançamentos que os autores nacionais estão publicando. Cada um vem com um jeito e um toque de inovação, deixando o público cada vez mais apaixonado pelos vampiros!

  • Lauro Moura
    31 maio, 2013

    Tb sou um fã de vampiros de carteirinha ;D. Comecei a gostar desse gênero quando vi o filme Crepúsculo em 2008 quando um primo trouxe o DVD para a familia assistir em casa,oq eu não sabia era que iria me tornar vampiromaniaco e passar assistir todos os filmes nas estreias e me apaixonar por tudo relacionado a sugadores de sangue. assisto todas as séries e leio todos os livros com esse tchan sobrenatural *—–*

  • Mirelle Candeloro
    31 maio, 2013

    Adoro tudo que esteja relacionado a vampiros. Uma vez vi uma entrevista no Jô com um historiador que escreveu um livro sobre a origem do Drácula. Lá ele dizia que o Drácula de Bram Stoker foi inspirado numa história real, no famoso empalador Vlad Tepes, governador de uma região da Romênia, também conhecido como Dracula ou filho do demônio. Ele era extremamente cruel e sanguinário e tinha o hábito de beber sangue. Ainda quero ler esse livro, deve ser muito interessante. Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

    • . pamela moreno santiago
      31 maio, 2013

      Vou anotar o nome desse livro aqui na lista de desejados. É bom conhecer a origem de um mito tão conhecido quanto o vampirismo.

  • cristiane
    31 maio, 2013

    Tem tantos que me perco toda. Amo os vampirinho da Ward, vai ser sexy assim cá em casa! kkkkkk
    E os da Mead, gosto do que ela fez com os dela também.

  • Jéssica Anitelli
    31 maio, 2013

    Adorei o post, Pam.
    Eu simplesmente amo esses seres misteriosos.
    Obrigada por lembrar da série O Punhal.
    bjuusss

    Jéssica Anitelli

  • Mari Scotti
    31 maio, 2013

    Eu adoro esse tema e tem um detalhe que ouvi a escritora Elaine Velasco contando outro dia que achei demais. O vampiro Dracula era para ser um sucubo, mas a igreja catolica não autorizou, pois era algo que denegria demais os pudores da época, então pensando em energia vital o Bram Stoker chegou a ideia de ser alguém que suga o sangue e não a energia sexual, tornando-o vampiro. Legal ne?
    Obrigada por me citar Pam! <3
    Beijo, Mari Scotti

    • . pamela moreno santiago
      31 maio, 2013

      Caramba, essa nem eu sabia. Isso porque amo o tema. Bacana mesmo. E magina, estou apenas divulgando os bons :3

    • Ben Green
      31 maio, 2013

      Olha, apesar das lendas no leste europeu se mesclarem principalmente no que tangem incubus, succubus e vampiros, é uma afirmação nada comprovada. A própria afirmação da Igreja Católica não autorizar não faz sentido. Isso se deu antes dele escrever? Stoker consultou a igreja? Reescreveu depois? O fato mais curioso é que a publicação foi na Grã-Bretanha, terras que não eram católicas há séculos e sim, protestantes.

      Stoker viajou muito durante sua vida e teve acesso a diversas lendas e histórias. Na era vitoriana a medicina começava a mudar radicalmente e pode-se notar na obra a dicotomia ciência-mitologia que perdurou naquela época e no início da era moderna.

      Se ainda resta alguma dúvida, vale ressaltar que a obra Carmilla foi publicada décadas antes de Dracula e já trazia a mescla vampiro, incubus e succubus.

    • . pamela moreno santiago
      31 maio, 2013

      Caramba. Conhecia os vampiros apenas a partir do Drácula 😮