Hey, folks 🙂
Tudo bem?
Não é o Que Você está Pensando …
Na pracinha em frente ao meu edifício, tomando um café sem
açúcar, porque esqueci do mesmo, e tendo minha bota devorada por um yorkshire
de dono desconhecido, em 08/06/2013
Informo a todos que não acreditaram na minha capacidade
física, emocional – e de sensualidade arrebatadora – que ESTOU namorando.
Sim, estou completamente apaixonada por ele.
Você iria adorá-lo, é exatamente o tipo de cara que você
gosta, sabe?
Ele é doce, sem ser enjoativo, tem um jeito encorpado de
ser, não é do tipo que fica grudado que nem chiclete, que chega a ponto de
quando está distante de fazer uma falta viciante, é claro que ele tem seu lado
negativo, às vezes pode ser amargo, mas já aprendi, quando ele se encontra
nesse modo devo estar com ele de modo moderado, o que não deixa de ser algo
ruim, aquela história de que quando nós sentimos falta e podemos matar saudades
é incrível, é verdade. Nada como alguns dias afastados que quando nos
encontramos novamente o meu corpo parece ser tomado por uma onda de prazer
único.
Ah, nem te conto.
Quer dizer, conto sim. Nunca fui tão feliz com um cara
como estou sendo com ele em relação ao quesito prazer. Ele sabe o que faz. Oh,
e como … Apenas um contato breve em minha pele, e o mesmo derrete em meus
lábios, em meus dedos, em minha mão … Seu toque quente, fixador e
enlouquecedor.
E seu cheiro … impactante e incontrolável.
E quando ele está nesses dias amargos, nossa, é
quando eu tenho o melhor dele. No entanto, não iria menosprezar suas outras
características, tem dias que ele está suave, doce, cafeinado, escuro,
courveture, diet, caramelizado, … Ai, que saudade que deu dele agora!
Como ele é fisicamente?
Moreno, branco, liso, crispado, grande, pequeno, gordo ou magro, isso importa?
Claro que não.
E o engraçado: ele sempre esteve em minha vida, mas sempre
tentei o manter afastado, temia que ele me fizesse mais, que nos envolvêssemos
demais e nós dois acabássemos como em todos os meus relacionamentos, cada um
para um lado, sem amizades, apenas querendo a distância um do outro e do nosso
amor.
Óbvio, tem muita gente que fala que eu não devo me
envolver, que ele vai me magoar, me encher, me fazer mal de n formas possíveis,
mas sou teimosa e luto pelo nosso amor, sei que … sei que nascemos um para o
outro e se você estivesse aqui, também veria isso, com toda certeza.
Na realidade, você viveu um amor parecido com o meu, sendo
que era diferente, ele tinha aquele jeito gasoso de ser, frio e misterioso, só
você o entendia, eu tinha longas conversas com ele, mas não conseguíamos nos
entender de uma maneira saudável.
Mesmo tendo apoiado você nesse amor, precisava concordar
com sua mãe, coca cola faz mal para o corpo de formas horríveis, aquela
história de que ele corroe o estomago é verdade, já vi algumas fotos, mas agora
eu e o meu amor … por favor, não há nada errado em estar em um relacionamento
sério com uma barra de chocolate. Pelo contrário, é muito saudável: ele não
gruda no meu pé, não me cobra atenção, não tem ciúmes, só quando como doritos,
mas isso é raro hoje em dia, e com um pouco de controle, ele nem me engorda e
ainda faz bem para o coração. Como isso poderia me fazer mal?
 Na boa, as pessoas
reclamam demais, elas queriam o que, que eu estivesse com um cara?
Tudo bem, eu queria estar com um cara também, mas isso ta
tão difícil quanto São Pedro decidir se faz Sol ou Chuva.
Brutamontes, fedidos de axe, com cantadas manjadas, que
tratam as mulheres como um pedaço de carne ambulante, que tem ciúme de qualquer
coisa que olhar para mim, que me proíbe de usar saia, mas se ver qualquer coisa
que respira usando já olha – e quer –, que só querem mulheres que seguem seu
padrão cultural de certo – Mulher que fala palavrão e vê futebol? Não pode,
imagina que joga videogame e troca uma praia, fácil fácil por uma sessão de
Pedro Almodóvar em casa com balde de pipoca? É fim de relacionamento na certa –
que ameaça terminar o relacionamento se não parar de falar com aquele seu amigo
gato – que é gay – ou se você não mudar de “atitude” na frente dos amigos, mas
se você fizer o mesmo, ai que ele termina mesmo, e o pior, caras
costumam trazer passado com problemas, cobranças e outras coisas que
sinceramente, estou querendo distância no momento. Tudo bem, nem tudo pode ser
perfeito, príncipes encantados não existem, e se existissem seriam chatos, eu
gosto de caras problemáticos – você deve ter dito: eu sei – porque eles tem
vida, mas caras como os brutamontes descrito acima – que tem a baldes no mundo
– é o que tem normalmente caído na minha rede ultimamente e estou descartando
esse tipo de cara. Ficar solteira é muito mais cômodo. Eu comigo mesma, com
minhas neuras e cobranças, quando o cara certo aparecer, ele vai se encaixar
perfeitamente com minhas neuras, cobranças e personalidades, mas enquanto esses
brutamontes insensíveis e sem cérebro – eu disse que eles são acéfalos? –
continuarem brotando em minha vida, vou continuar em um relacionamento sério
com minha barra de chocolate, muito obrigada.
 Um grande beijo,
daquela que é sua pessoa hoje e sempre,
Ann
P.S: Estou pensando em fazer uma Lua de Mel na Suíça, mas
o meu chocolate atual – um 88% cacau – não aprovou, disse que a tentação será
grande para mim lá e ele não quer correr o risco de me perder. Não é um fofo?
P.S²: Sim, eu já marquei a psiquiatra, falaremos sobre
esse distúrbio de eu achar que estou namorando um chocolate na primeira sessão.
P.S³: Freud me entenderia, só digo isso.

Olá, leitores lindos 🙂
Espero que gostem desse conto inspirado no Dia Dos Namorados, fugindo de todos os clichês, Ann tinha que falar de algo impar, não acham?
Curiosa com a opinião de vocês. E não esqueçam, se tiverem ideia de um conto, por favor, é só me falar, tenho alguns em mente, mas sempre uma opinião é bem vinda o/
Críticas, dúvidas, elogios, reclamações, estamos aí para isso.
Um grande beijo, uma ótima semana e um bom dia dos namorados, tchucos 😀

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!


Deixe seu comentário

6 Comentários

  • Ana Lopes
    17 junho, 2013

    Ah o Chocolate !!!!
    nosso salvador de todas as horas 😉

  • Cláudia Cardoso
    17 junho, 2013

    A história de amor entre uma mulher e uma barra de chocolates é algo que ficará marcado para sempre.
    Barbara, adoro seus contos! Sou sua fã.

  • Vânia Gama
    14 junho, 2013

    HAHAHHA adoro esses finais que surpreendem!
    quem disse que precisamos de namorado pra se "apaixonar"?
    HUASHUSA
    beijos

  • cristiane
    13 junho, 2013

    kkkkkkkkkkkkk que fofo! Eu ri, me confundiu e adorei! Assim até eu! Hoje em dia vale mais a pena isso do que arrumar namorado. Pelo menos dura mais (ou não) e o sabor sempre é doce. Boas lembranças é que não vão faltar! =P

  • Lauro Moura
    09 junho, 2013

    Ameii com vontade seu conto Barb kkkk ;D, ate metade do texto achei que a Ann estava falando de um cara kkkk, é sempre bom fugir dos clichês de vez em quando, e você não poderia ter escolhido data comemorativa melhor pra escrever o texto, os homens hoje em dia perderam o encanto e tudo caiu na rotina, namorar uma barra de chocolate seria perfeito, não te incomoda, é doce e saborosa *–* como sempre vc divou *—*

  • Barbara
    Barbara
    09 junho, 2013

    Heey Bá ! Já te contei que adoro a Ann??
    Haha, essa menina fala ao que todas nós, mulheres, pensamos. Fato consumado.
    Quando tô de bico com Mô também me pergunto por que não escolhi noivar com uma barra de chocolates, haha.
    Adorei a ideia do texto, bem propícia para esse dia. Nós temos que nos amar mais…
    P.s: Mô que venha pra cá com esse 'não usar saia' que eu mando ele ir tomar lá onde o sol não bate, e eu sem estádio de futebol não sou, por tanto, acostume-se meu caro. HSUAHSUA.

    Beijooos !