Fábula é uma composição literária em que os personagens são geralmente animais, forças da natureza ou objetos,
que apresentam características humanas, tais como a fala, os costumes, etc.
Estas histórias são geralmente feitas para crianças e terminam com um
ensinamento moral de caráter instrutivo.
A
fábula é uma narrativa em prosa ou poema épico breve de caráter moralizante,
protagonizado por animais, plantas ou até objetos inanimados. Contém geralmente
uma parte narrativa e uma breve conclusão moralizadora, onde os animais se
tornam exemplos para o ser humano. A fábula teve a sua origem no Oriente, onde
existe uma vasta tradição, passando depois para a Grécia, onde foi cultivada
por Hesíodo, Arquíloco e sobretudo Esopo. Neste período o gênero ainda
pertencia à tradição oral. Foram os romanos, entre os quais sobressai Fedro,
que inseriram a fábula na literatura escrita.
Cada
animal simboliza algum aspeto ou qualidade do homem como, por exemplo, o leão
representa a força; a raposa, a astúcia; a formiga, o trabalho, é uma narrativa
com fundo didático. Quando os personagens são seres inanimados ou objetos, a
fábula recebe o nome de apólogo.
Algumas
das fábulas mais conhecidas são: a cigarra e a formiga, a raposa e as uvas, a
lebre a a tartaruga e o leão e o ratinho.
Os
mais famosos escritores de fábulas são Esopo, Fedro e La Fontaine. Este último,
criou uma obra-prima intitulada “Fábulas”, dividida em 12 livros,
onde o autor usa linguagem ágil e expressiva para analisar com mestria a alma e
a natureza do ser humano. Escritas em verso livre e publicadas entre 1668 e
1694, as Fábulas contêm uma crítica lúcida e satírica à sociedade do final do
século XVII, mas podem ser aplicadas nos dias de hoje.
No
Brasil o mais conhecido fabulista é Monteiro Lobato, autor das fábulas “a
coruja e a águia”, “o cavalo e o burro”, “o corvo e o
pavão”, entre outras.
As
fábulas são normalmente transmitidas por pais, professores, até políticos e
homens públicos, e estão em livros, peças de teatro, filmes, e em várias outras
formas de comunicação.
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA
Clique AQUI e participe.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!


Deixe seu comentário

9 Comentários

  • Karolina Lopes
    19 setembro, 2013

    Eu acho as fábulas superfofas, O Pequeno Príncipe as utiliza. Passam mensagens belíssimas! Bjs…
    anna-gabby.blogspot.com

  • Amanda Z. Dutra
    17 setembro, 2013

    Gosto bastante de fábulas 😀 Elas super fizeram parte da minha infância *-*

    Beijo

  • Rita de Cássia
    16 setembro, 2013

    Engraçado quando nós nos damos conta que crescemos acostumados a certas coisas, mas não sabemos a sua origem. Pelo menos eu, não sabia a origem das fábulas. Afinal, como a maioria das pessoas por aqui, eu também cresci ouvindo as fábulas como "O Rato do Campo e o Rato da Cidade" ou, "O Pastor e o Lobo" e até "A Pomba e a Formiga" e a julgava como se fosse uma história comum. Obrigada e parabéns! Este texto bastante esclarecedor.
    ;D

  • Lauri Brandão
    16 setembro, 2013

    Ah, fábulas… lia muito na época da escola, mas hj em dia bem pouco.
    Achei bem interessante esse post. Adorei!
    Resenha #111 – Amante Revelado – Irmandade da Adaga Negra – Livro 4 – J. R. Ward.
    Confere lá!
    Manuscrito de Cabeceira
    Bjs.

  • Alice Aguiar
    16 setembro, 2013

    ah eu adoro fábulas
    🙂 gostei da postagem

    Seguindo o Coelho Branco

  • Oliveira
    16 setembro, 2013

    Que maravilha de conhecimento compartilhado!
    Amei, amo fábulas e histórias do oriente. E amo um livro infantil (não cresci). São simples e singelos.

  • Mirelle Candeloro
    16 setembro, 2013

    Adorei aprender um pouco mais sobre esse gênero.. acho as fábulas super importantes para a literatura, além de serem gostosíssimas de ler, independente da idade. Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

  • Raquel Jacobina
    16 setembro, 2013

    Eu gosto de fábulas porque elas tem ensinamentos singelos. É essencial que as fábulas sejam inseridas na educação das crianças, pois elas podem aprender valores. Cresci vendo fábulas de formiga, de coelho e tantas outras e ainda tenho o mesmo animo em ler. Ainda mais que minha mãe é professora, é comum me deparar com alguma delas.
    Abraços, Raquel.
    Viajando com Livros.

  • Lauro Moura
    16 setembro, 2013

    Quando eu era pequeno, adorava fábulas. Esse foi o meu incentivo para a leitura e todas aquelas historinhas me fascinavam, estava com saudades da coluna, que voltou em grande estilo com um gênero que agrada desde crianças até pessoas que nunca perderam o brilho da infância *—*
    Beijoos.
    Lauro,
    http://entreversosepaginas.blogspot.com.br/