Oi, mates
Tudo bem com vocês?


Obrigada, de nada.

Na poltrona
da minha sala tomando um mocha menta, 23/02/2014
Você deveria
ouvir:
Tempos Modernos do Jota Quest
Ih, cansei.
Cansei.
Cansei. Cansei.
Não agüento
mais!
Estou sem
forças para agüentar isso.
Custa muito?
Vai ter que dividir em prestações cegantes se tentar juntar essas duas
palavrinhas
em uma frase?
Se abaixar a cabeça e falar com sinceridade aquela suave palavra em
agradecimento?
Quem sabe a de pesar? Eu antes dizia que valia dizer essas palavras sem
sinceridade,
apenas para seguir um modelo determinado de educação da sociedade, mas como
cansei, agora
acho que é obrigação. É sim, ok? Não importa o que você diga, o que você ache,
dizer essas
simples palavrinhas não são um modelo da sociedade, não são uma obrigação, são
um
modo de separar você do resto. De moldá-lo a um tipo de pessoa que vale a pena olhar duas vezes ou não.
Nossa, Ann!
Como você está extremista!
 
Some por 30 dias e quando volta, engata na ofensa desse modo!Você já foi mais gentil e romântica.
É, já fui mesmo, mas estou com esse assunto engatado aqui, na minha garganta. Buscando maneiras de falar sobre isso sem soar arrogante ou ignorante, mas não há maneira de dizer isso de modo suave e sútil: Eu.odeio.humanos.sem.educação.respeito.personalidade.
Estou mesmo!
Estou cansada. Cansada de ser empurrada pelas pessoas e nem um desculpa ouvir.
Cansada de
dizer ‘bom dia’ e as pessoas me olharem como se eu fosse um membro do planeta
Vulcano. Ah,
estou farta de dizer ‘de nada’ quando deveria ouvir um ‘obrigada’.
Não. Sou.
Obrigada.
Ann, você
precisa entender que as pessoas têm dias ruins e isso afeta em seus
comportamentos.
O caramba que
afeta!
Eu tenho
listas e listas de dias porcarias, e nunca – repito sem medo de ser contrariada
nos
comentários –
deixei de ser educada com ninguém, seja conhecido ou estranho.
Pode ter
certeza, meu dia ficará 185% se eu for mal educada com alguém, pois não é do
meu
feitio ser assim.
Acredite. Não estou exagerando, até nós meus piores dias eu sei sorrir mesmo
querendo
chorar ou ser gentil com alguém que quero socar até mudar de nacionalidade.
Talvez, tenha
sido um pouco rude, mas tendo um dia ruim, é difícil sorrir 99% do tempo
roboticamente.
Mas perder a minha educação? Nunca. Olha, eu estou tendo um dia porcaria hoje,
mas disse bom
dia a todos os meus conhecidos, pedi licença no Starbucks para pegar um muffin,
agradeci o
jornaleiro pelos jornais e cigarros, e ainda dei umas moedinhas para um rapaz
que
tocava
violino lá no metrô. Nada disso por obrigação social, mas por obrigação de caráter. Eu sou assim, e se eu não fizer uma dessas atitudes, o meu mundo não vai girar corretamente.
Viu? Não é desculpa, eu lhe garanto meu dia porcaria tem
uma lista
enorme de
motivos. Sim, tem nome, sobrenome e endereço móvel. Sim, estou falando dele. É,
ele. O cara.
Aquele que move meu coração. Aquele idiota patético girafa com aquela roupa
engomadinha e
cabelos a la Elvis. Odeio odeio odeio, aquele imbecil.
Ok, acho que
me contradisse.
Os homens
dizem que nós somos complicadas de ser compreendidas, tem até uma foto patética
na Internet
que mostra um livro de como nos compreender, especialmente para homens, mas
adivinha, ele
está em branco. Rá rá rá. Hilário. Notícia espetacular, babacas: vocês também
são
difíceis para
caramba de serem entendidos.

Ok.
Confesso.
Hoje estou um
pouco azeda.
Mudei o
assunto na agilidade que Jesus mudou a água para o vinho.
Sobre não ter educação comecei a falar dele.
Não de Jesus.
Do cara
Talvez tudo esteja interligado.
Minha incapacidade de aceitar a má educação dos outros, no fundo, é a minha incompetência em aceitar que as pessoas são -sempre – opostas as minhas expectativas. 
O ponto é que
eu sou uma pessoa prática. 
Direta. Correta. Justa. Educada. Sensata. Humana.
E que gosta de
pontos finais.
Mas adoro começos. 
Será que é difícil encontrar um espaço no mundo
sendo
assim tão
torta e fora de quadro? Será que talvez eu seja o error 404? Eu que deveria me encaixar nas expectativas
moldadas pela
nossa sociedade e não o contrário? Não essas expectativas as quais eu acredito serem fundamentais e sim, as
que
repúdio? 
Talvez, esse seja meu erro. Talvez, eu devesse pensar um pouquinho mais em mim,
e
assim, esse mundo
ao qual eu não me sinto parte, pudesse se tornar compreensível aos meus
olhos. Eu
deveria tentar um dia sair e passar pelos meus vizinhos sem cumprimentar, nem
sequer
olhar na
farinha fofo daquele recém nascido do casal do fim da rua, muito menos brincar
com o
cachorro
daquela senhora de lenço nos cabelos do outro lado da rua. Pedir licença para
pegar
muffin no
Starbucks? Nunca mais. Sairia esbarrando em todo mundo na cara dura. Estou
muito
ocupada com
os meus problemas, pensamentos e minha vida importante para se lembrar que divido o espaço
da terra com
outros humanos.Agradecer o jornaleiro? Nananinanão! Muito menos dar umas moedinhas ao menino com violino. Não tenho tempo para ouvir música clássica. 
Tempo é precioso. 
Cada segundo é precioso.
E não posso desperdiçá-lo com qualquer coisa, mas posso desperdiçá-lo, pensando como vou gastá-lo de um modo produtivo e sem perder tempo. Perdendo tempo.
Tem algo de errado nisso.
Será que só eu vejo isso? 
Será que há outros, como eu?
Ann agradece por você simplesmente ser você. 

***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
Clique AQUI e saiba como participar.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!


Deixe seu comentário

13 Comentários

  • Fernanda Mendonça
    22 abril, 2014

    bah, não acredito.

    Escrevi um baita comentário, o blogger tentou me convencer a converter o perfil pra G+….E nao salvou o comentário pqp.

    Vamos dizer, sucintamente, então, que eu te entendo perfeitamente. Dependendo da situação eu mando a boa educação pra pqp, mas geralmente ver um atendente ou balconista suavizar a expressao e as vezes até mesmo sorrir valem a minha boa educação ao dizer um 'bom dia', 'por favor', 'obrigada' e um 'bom trabalho' ao me despedir.

  • camila rosa
    16 abril, 2014

    Nossa que tenso na minha opinião, porém um texto tão verdadeiro, fiquei comovida, sério mesmo, pois a sociedade hoje em dia é muito mal educada, você fica besta, anda na rua uma pessoa esbarra em você não tem a capacidade de pedir desculpa, continua como se aquilo não tivesse acontecido. Fazemos favores, e as pessoas não possuem a capacidade de agradecer, como se fossemos obrigadas a estar fazendo aquilo, onde iremos parar com uma sociedade dessa? Amei o texto, acho que falei até demais né, mas tudo bem.
    Beijos!!!

  • Anônimo
    10 abril, 2014

    OI querida…Sempre arrasando nas suas mensagens e seus textos são realmente demais!!Sabe, realmente achei lindas tuas palavras,pois as vezes estamos sem paciência para nada, e mesmo assim é errado descontar nas pessoas que estão ao nosso redor!Pois as vezes uma atitude gentil muda tudo!!
    Beijos ♥

  • Anna Canedo
    07 abril, 2014

    Primeiro comentário a fazer : Adorei a escolha da foto , achei muito interessante , principalmente quando associada ao texto.
    Segundo : Sempre digo que a escrita é um processo de cartase, e acabo de perceber isso no seu texto , e acredito ser isso o que faz com que ele a um só tempo serja sincero e fingido , pois como já dizia Fernando Pessoa " O poeta é um fingidor , finge tão completamente Que chega a fingir que é dor A dor que deveras sente" e acho que não só o poeta é assim , como qualquer outro escritor! Amei muito mesmo seu texto

    beijos , Anna

  • Ketlen Patricio
    07 abril, 2014

    Ótimo texto, gosto bastante de blogs com esses tipos de posts porém só vi até agora em dois blogs e acho que deveria ter mais, acho diferente e muito importante. O texto está ótimo e me fez refletir bastante sobre alguns assuntos de minha vida.
    Beijos
    the-universe-of-books.blogspot.com.br

  • rafaela
    07 abril, 2014

    Eu acho que ser um pouco educado não mata ninguém, eu também não suporto gente mal educado. É tão simples agradecer, pedir licença, ou até mesmo dar bom dia a alguém que te deu bom dia.
    Gostei muito texto Bárbara.
    Beijos

  • Lauro Moura
    07 abril, 2014

    Ann inspirada e nada previsível como sempre rsrs :3. Acho que todos temos aqueles dias que acordamos com o pé esquerdo e viramos a cara pro mundo em nossa própria revolta pessoal.
    E nesses dias é bem mais fácil culpar os outros do que nós mesmos rsrs.
    Ameii a crônica *—-*

    Beijoos,
    Lauro.

  • Mirelle Candeloro
    07 abril, 2014

    Adoro seus textos, sempre tão intensos, meio poéticos e sinceros. Às vezes acordo assim também, sem paciência, as avessas louca para matar um que olhou enviesado ou foi grosso por algum motivo.. hehe Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

  • Petra Henning
    07 abril, 2014

    Parabéns pelo texto. 🙂
    Super sincero! Adorei.

    Ouve um tempo que eu também tinha inspirações legais para escrever, agora não sai nada mais. :

  • Fabrica dos Convites
    06 abril, 2014

    Parabéns não só pelo texto, mas também pela imagem que gostei bastante.
    Bjs, Rose

  • Andréia Renata
    06 abril, 2014

    Parabéns pelo texto Bárbara, vou usa-lo como motivação para o dia de hoje, rs. Espero conferir outros textos seus em breve ^^

  • grazzyL.wright
    06 abril, 2014

    Adorei o texto! No meu blog toda sexta eu publico texto de alguém e já achei um pra publicar, no caso o seu.
    Beijos,
    Grazzy
    http://www.overdosetrend.com

  • Capriche In Life
    05 abril, 2014

    Adorei a foto, super criativa!

    http://capricheinlife.blogspot.com.br/