6 de maio de 2014

Tá Na Estante :: 'Caçadores' #219

POSTADO POR EM 6 de maio de 2014

Oi, gente. Tudo bem?


Voltei com mais uma resenha. Hoje vou contar pra vocês o que achei do primeiro volume da série Sozinhos. Meu exemplar foi cedido pela editora Fundamento. Vamos conferir?!

Livro: Caçadores
Série: Sozinhos (#01)
Autor: James Phelan
Editora: Fundamento
Páginas: 184
Sinopse: Uma forte explosão sacode os túneis do metrô de Nova York. Um trem sai dos trilhos e tomba violentamente. O jovem Jesse e seus amigos Dave, Anna e Mini são os únicos a sair com vida. Mesmo machucados, os quatro retornam à superfície e encontram um quadro pavoroso. Mortos, feridos, prédios reduzidos a pilhas de escombros fumegantes… Aparentemente, a cidade havia sofrido um ataque. Mas o pior eram os sobreviventes. Sem motivo aparente, eles haviam se tornado criaturas dementes, acometidas por uma sede que não podia ser saciada. Uma desesperada necessidade de consumir qualquer tipo de líquido, incluindo sangue. Jesse e seus amigos escaparam ilesos dessa contaminação. Mas agora, sem ter para onde ir e sem ninguém para ajudá-los, eles precisam encontrar um jeito de sobreviver… sozinhos. 


O livro começa com quatro amigos – e muitos outros passageiros – andando de metrô. Jesse e seus amigos estão a caminho da ONU. Com a exceção de Dave, que é americano, todos estão fazendo intercâmbio. No meio da viagem eles são surpreendidos por um grave acidente. Quando Jesse acorda, descobre que apenas ele e seus amigos sobreviveram ao desastre. Ele se lembra de ter visto uma bola de fogo seguindo o vagão, mas não tem certeza se foi de verdade.

Os quatro jovens decidem sair para as ruas de Manhattan e ao chegarem lá vêem um verdadeiro caos. A cidade parece ter sido palco de um ataque terrorista, com vários prédios desmoronados e focos de incêndio. Porém, esse não é o único problema. As pessoas estão diferentes. Elas tem uma sede voraz, não conseguem parar de beber... qualquer tipo de líquido, desde água de poças até sangue dos corpos. Algum tipo de vírus se espalhou pela superfície, mas não atingiu o grupo que estava no subsolo. Agora eles precisam encontrar um lugar seguro e se proteger dos Caçadores (nome que dão aos infectados).

O livro é muito curto, então não posso falar muito do enredo sem soltar spoilers. O enredo é interessante, mas demorou a engatar e não me convenceu. Confesso que o mistério deu um “up” na narrativa, mas achei a história parada. Nas últimas 10 páginas o autor começou a inserir a ação, o que me deixou bem decepcionado, pois o final, mesmo tendo sido bom, foi super corrido.

A escrita de James Phelan é muito boa, ele consegue nos passar verdade através das palavras e sabe descrever os cenários muito bem, mas não soube desenvolver os personagens. O livro é narrado em primeira pessoa pelo Jesse. Ele tem 16 anos e é da Austrália. Creio que o objetivo seria que ele fosse um herói ou um líder, mas ele foi tão sem graça... Quando tudo começou, ele era um nada, só do meio pro final que foi tomar atitudes. Fora as suas piadas sem graça fora de hora e o fato de não ter muita opinião. Não gostei nem um pouco dele.

Os personagens secundários brilharam mais do que o protagonista. Dave, embora seja um tanto instável, tomou várias atitudes perante a inércia de Jesse. Ele podia ser um tanto grosso, mas sempre fazia o melhor pelo grupo. Anna é inglesa e mais me irritou do que qualquer coisa. Seu jeito cético e pessimista era mais um fardo pra se carregar. Não é à toa que Jesse se interessou por ela. Mini é de Taiwan e é a mais fofa dos quatro. Mesmo sendo frágil e insegura, estava sempre pronta para enfrentar seus medos. Minha personagem favorita sem dúvidas.

O trabalho de revisão da editora Fundamento está ótimo, não lembro de ter encontrado nenhum erro. Não gostei da capa, prefiro mil vezes a original. A diagramação é simples e a fonte tem um tamanho ótimo. 

Caçadores é o primeiro volume da trilogia Sozinhos. O segundo volume, Sobrevivente, já saiu aqui no Brasil. Ainda não decidi se vou seguir lendo a série, pois esperava muito mais desse primeiro livro. Talvez insista, pois o final teve uma reviravolta muito interessante e inesperada. Recomendo, mas deixe seus preconceitos de lado se resolver ler.

5 comentários:

  1. Não é meu genêro preferido
    Mais como vc mesmo disse
    Se ler vou deixar meu preconceito de lado
    Livros com sangue não é comigo rsrsrrs

    ResponderExcluir
  2. Oi Leo, sinceramente, o livro já não me chamou atenção pela capa que, infelizmente, é um fator importante já que somos muito visuais.. adorei a sua resenha, mas pelas poucas coisas que você disse já vi que este não entrará, pelo menos tão cedo, na minha listinha de leituras ;) Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  3. Que pena, tinha tudo pra ser um livro ótimo, mas o fato de o final ser corrido não me agrada nem um pouco.
    Não gostei, não quero lê-lo.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  4. não curto finais corridos e esse capa já me desmotivou muito, a bixinha é feia viu!
    tenho q ser sincera, eu não leria o livro pq não me interessou nenhum pouco!

    ResponderExcluir
  5. Oi Leo, quando comecei a ler a resenha, eu já pensei esse livro deve ser muito bom, mas ai no decorrer da resenha vi que não era lá essas coisas, a trama tinha tudo para ser ótima na minha opinião, e realmente essa capa é horrível, eles podiam ter feito algo melhor hein, e eu adorei a sua resenha.
    Beijão *-*

    ResponderExcluir