30 de junho de 2014

Tá Na Estante :: 'Atormentada' #250

POSTADO POR EM 30 de junho de 2014
Oi, gente. Tudo bem?

Estou de volta com mais uma resenha para vocês, mas dessa vez não vim sozinho. Acho que vai ser difícil me desacostumar a fazer resenhas duplas, porque já tenho várias programadas, hahaha. Enfim, hoje Nathy veio me acompanhar para falarmos de um de nossos queridinhos, certo?

E aí turma? Não concordam que estou deixando o Leonildo mal acostumado? Toda vez que ele vai falar sobre um livro divo, cá estou eu para ajudar. Mas vamos deixar de papo furado e ir ao que interessa? Continuem lendo e descubram o que achamos dessa belezinha aí embaixo.
Livro: Atormentada
Autora: Jeannine Garsee
Editora: Jangada
Páginas: 368
Sinopse: Rinn é uma garota bipolar, que mantém o transtorno sob controle com a ajuda de medicação. Ela mora com a mãe e estuda no Colégio River Hills, onde dizem que a piscina é assombrada por Annaliese, uma adolescente que se afogou ali vinte anos antes. Quando coisas terríveis começam a acontecer aos seus colegas e não a ela, Rinn promete descobrir por que não pode ser “atingida” pelo espírito de Annaliese. Ela consegue fazer contato com o fantasma, que não se mostra nada pacífico. Ao descobrir o motivo, Rinn pede ajuda para seu namorado Nate, e elabora um perigoso plano para descobrir a verdade. Logo realidade e fantasia se confundem, até Rinn perceber que é quase impossível diferenciá-las. Diante de uma força malévola que ameaça a vida de todos de quem ela gosta, Rinn se pergunta se de fato pode confiar no que sente ou se está novamente perdendo o contato com a realidade.

ATENÇÃO PARA A LEGENDA:
FONTE NORMAL : Leo
FONTE EM ITÁLICO: Nathy

Eu e Nathy temos paixão por personagens psicóticas, principalmente em narrativas em primeira pessoa, quando não se sabe o que é real e o que é delírio da protagonista. Desde Mara Dyer estou atrás de um livro com essa temática e eis que Nathy me apresenta Atormentada.

Atormentada foi achado meio por acaso por mim, navegando à toa em fóruns sobre literatura. Quando li a sinopse, logo desenvolvi uma necessidade crônica de lê-lo. E como sempre, compartilhei o achado com o meu amigo/alma gêmea literária Leonardo Amarante.

O livro segue o ponto de vista de Corinne Jacobs, uma menina de 16 anos que foi diagnosticada como bipolar e desde então precisa de vários medicamentos para controlar seus surtos. Devido a um acidente causado por Rinn, que levou à morte de sua avó, a menina tenta cometer suicídio. Por sorte, conseguem encontrá-la antes do pior e após exames e um tempo internada, Rinn e sua mãe estão saindo da Califórnia, de volta para a cidadezinha onde Mônica cresceu.

Essa mudança causa uma revolta enorme por parte de Rinn, e é aí que podemos conhecer um pouco mais de sua personalidade. Rinn é sarcástica e irônica, do tipo que não tem medo de falar o que pensa e as vezes acaba se dando mal por isso. É bem o tipo de personalidade que prezo em um personagem. Acho que essa atitude deixa a leitura ainda mais empolgante, além de me fazer desenvolver um carinho imediato pelo personagem.

River Hills é uma cidade “rural”, nos confins de Ohio. Por ser pequena, todos se conhecem e sabem tudo sobre as vidas dos outros e isso preocupa Rinn. A garota quer recomeçar e sabe que não terá chances se todos souberem de sua doença. Pra piorar, a casa onde ela e a mãe vão morar foi o local de um suicídio. A antiga dona se enforcou justamente no quarto onde Rinn vai dormir. A sra. Gibbons era avó de Annaliese, que todos na escola dizem assombrar a piscina, onde se afogou 20 anos antes.

Rinn nunca acreditou nessa baboseira de fantasmas e tem certeza que essa história é só mais uma besteira que o povo do interior inventou para assustá-la. Porém, coisas estranhas começam a acontecer com os seus novos amigos e Rinn é a única a não ser atingida, o que a faz se perguntar o porquê e querer investigar bem a fundo se Annaliese é real ou não.

Annaliese é um dos pontos centrais da história. Ela realmente existe? Ainda está assombrando o local de sua morte? Qual a verdadeira história por trás dessa morte dada como afogamento? Essas perguntas rondaram minha cabeça durante toda a leitura. O fato de Rinn ser bipolar e constantemente ter alucinações só aumentou a minha curiosidade, pois não conseguia diferenciar a verdade do imaginário de Rinn.

Para desvendar esses mistérios, Rinn conta com a ajuda de Nate, seu vizinho e interesse amoroso. Nate é o único que sabe sobre a bipolaridade de Rinn e o fato de ele não julgá-la faz com que ela se sinta segura perto dele. Conforme vai entrando mais a fundo na história de Annaliese, Rinn faz descobertas sobre o passado de sua mãe e a relação dela com a garota morta... Mas chega uma hora que ela não consegue mais diferenciar a realidade da fantasia e é aí que as coisas começam a se complicar.

Esse tipo de livro possuiu uma leitura muito gostosa e agoniante ao mesmo tempo. Todos os pensamentos de Rinn nos fazem interagir com a história, compartilhar as mesmas dúvidas com ela. É brilhante a forma com que Jeannine nos envolve em sua narrativa, nos fazendo experimentar tudo o que Rinn sente, tornando-nos, assim, expectadores de toda a luta de Rinn contra sua própria mente.

Atormentada tem uma narrativa tão incrível que conseguiu me prender de tal forma que concluí a leitura em um dia. O livro possui um suspense de tirar o fôlego e o fato de a protagonista ter problemas psicológicos faz com que as pessoas sempre a tratem como louca, nunca acreditando em suas teses, que são bem malucas e isso torna o livro ainda mais eletrizante e sombrio.

A escrita de Jeannine Garsee é espetacular. Ela soube detalhar muito bem as cenas, fazendo com que nos sentíssemos participantes do livro. Garsee soube usar as doses certas de suspense e romance, sem tornar o livro chato. É uma pena saber que Atormentada é livro único.

Após finalizar minha leitura, tudo o que consegui fazer foi gritar loucamente com Leonardo para lê-lo logo. Após isso, saí em disparada para procurar outras obras da autora. Sem sombras de dúvidas, lerei qualquer coisa que ela publicar.

Atormentada entrou para a lista consideravelmente pequena de leituras favoritas de todos os tempos e realmente recomendo esse livro a todos. O mundo precisa conhecer a história de Rinn, Nate e Annaliese.

E com esse último apelo, eu e Leo nos despedimos de vocês com uma citação desse livro fantástico que nos cativou logo de cara.

— Este é o restaurante da Millie. Não é uma gracinha? — Minha mãe dá um piparote no meu braço. — Não fique bufando pra mim.
— Eu não bufei. Estou com alergia.
— Alergia a quê?
— A toda essa porcaria de ar puro. — Eu finjo uma tosse. — Meu organismo não aguenta. Talvez seja melhor eu sair do carro e sugar a fumaça do escapamento por um minuto.
BEIJOS E ATÉ A PRÓXIMA!
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
Clique AQUI e saiba como participar.

9 comentários:

  1. Adorei essa resenha, ainda não conhecia o livro, mas a história parece ser realmente muito boa. Um suspense com personagens psicóticas, é tudo de bom. Fiquei muito curiosa pra ler.

    Bjok

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, me fez ficar interessada pelo livro!

    www.namesmafrequencia.com.br

    ResponderExcluir
  3. Esse é um livro que está na minha lista, mas ainda não consegui ler!
    Adorei a dica e espero gostar assim como você!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  4. Que legal a resenha dupla ficou kkkk Bem criativo e vemos duas opiniões em um só post. To doida pra ler um livro assim. Eles mechem demais comigo. Não conhecia esse, e pelo visto é uma ótima indicação. Vou ler assim que puder.

    ResponderExcluir
  5. Nao leria esse livro nao, primeiro nao gosto do estilo espirituais em livros, mas tambem porque nada na historia me prendeu!! acho que eu acabaria arrastando a historia :/
    beijos

    ResponderExcluir
  6. esse é o tipo de livro que eu tenho certeza que nao leria, primeiro porque nao gosto do estilo literario relacionado com espiritismo e tambem porque acho que acabaria arrastando a leitura e nao iria gostar mesmo :/
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi,
    Eu já estava com vontade de ler esse livro, e agora com vcs dois falando tão bem dele, fiquei ainda mais ansiosa. Também fui atraída pelo fato de a protagonista ter um transtorno psicológico, e como gosto de fantasia, iria ficar mt curiosa para saber se tudo o que ela via era verdade ou não, sem falar na narrativa, a qual já li algumas resenhas que, assim como a de vcs, também a elogiaram. Espero gostar também.
    Beijos,
    Andréia - StarBooks

    ResponderExcluir
  8. Gente a resenha está incrível.O livro parece ser bem bacana além de ser bem construído e conduzido pela autora.E o que dizer de Mara Dyer esse livro extremamente Maravilhoso com uma personagem que faz a gente enlouquecer junto com o decorrer e desenrolar do livro.
    abraços!

    ResponderExcluir
  9. Eu tinha começado a ler esse livro mas tive que parar e agora que estou retornando a lê-lo t^me reapaixonando por ele de novo. Beijos

    ResponderExcluir