30 de agosto de 2014

Meu final de semana na Bienal de São Paulo - Parte 02

POSTADO POR EM 30 de agosto de 2014

Oi, gente. Tudo bem?


No post de ontem narrei para vocês o meu primeiro dia em São Paulo e hoje vim contar como foi o segundo dia. Antes, preciso comentar algo que esqueci ontem, a respeito dos preços. Quem vai na Bienal esse fim de semana ainda, tem bastante chances de encontrar promoções ótimas, mas eu posso dizer que no primeiro final de semana não tinha nada que pudesse dizer "ah, meu Zeus, como está barato".

Enfim, meu domingo começou bem cedo. Sábado cheguei no hotel era 23:30, pois nos perdemos no caminho... GPS maldito. Fui direto para o quarto tomar um banho para encontrar minha prima e comermos algo. Só que conectei o Wifi do hotel no celular e comecei a conversar no Facebook, postar fotos, enviar mensagens no WhatsApp e perdi a noção do tempo. Fui dormir 01:15, sabendo que teria que levantar às 5:00 para chegar cedo no Anhembi e enfrentar a fila das senhas da Cassandra Clare.



Eu havia combinado com a Dany, a Mi e a Scheila, do Guardiã da Meia-Noite, de nos encontrarmos no Anhembi às 6:00. Porém, cheguei lá e tomei um chá de cadeira. Nenhuma delas apareceu e nem respondia minhas mensagens. O desespero bateu, pois estava escuro e não havia uma alma viva do lado de fora. Logo que entrei um segurança veio em minha direção e eu tive certeza que ele me expulsaria do local (naquele momento eu tinha certeza que tudo daria errado). Porém, ele foi super atencioso e me indicou o local da fila das senhas, que foi transferida para o lado de fora do Pavilhão para evitar a confusão do dia anterior.

Era exatamente 05:45 quando cheguei à fila e já estava lotado, mais ou menos umas duzentas e cinquenta pessoas na minha frente. Dessa vez a organização foi ótima, preciso dar os parabéns a quem organizou tudo. A fila era separada por aquelas barras de ferro e logo que você chegava ganhava um adesivo que valia como uma senha para a senha, ou seja, garantiria a pulseira. Às 07:00 a 500ª pessoa chegou e a fila foi fechada, mas somente às 10:00 as pulseiras foram distribuídas.



Entrei no pavilhão por volta das 10:15, com a pulseira de número 311 (a entrega era aleatória, pelo que pude perceber), e fui encontrar o Wellyson, que não chegou a tempo de ficar entre os 500. Nos encontramos no nosso cantinho e lá eu dei uma cochilada para renovar minhas forças. Parecia um retardado, claro, pois estava cansado logo na abertura. Não posso deixar de agradecer ao Well pela companhia, por ter aguentado meu mau-humor matutino e me acompanhado de canto a canto da Bienal, fora o fato de ter servido de apoio para meus cochilos, hahaha.



Mais ou menos às 11:00 eu fui mais uma vez para o Grupo Record, na tentativa de encontrar o amor da minha vida (é uma longa história). Quase desistindo por não avistá-la, reconheço uma voz ao fundo e a vejo sentada no chão, conversando com duas Shadowhunters. Meus olhos logo começaram a brilhar imediatamente e, tenho até vergonha em dizer, eu a ataco. Como falei no post de ontem, tenho um carinho imenso pelo pessoal do marketing das editoras, mas minha relação com Manu é mais que isso. Ela sempre foi a fofura em pessoa comigo, mesmo quando eu a atormentava pelo Facebook. Hoje tenho uma foto com essa pessoa tão especial, que admiro muito e chamo de amiga. Manoela Alves, um beijão pra você.



Super feliz com o encontro com Manu, arrastei Well até o estande da Comix, onde ao meio-dia teria uma sessão de autógrafos com a autora Babi Dewet, da trilogia Sábado à Noite. O local já estava lotado pelos aficionados por quadrinhos e Well e eu nos misturamos, atrás da escritora. Depois de um tempo na fila, finalmente consigo autografar meus livros e bater um papo com a autora, que é um amor de pessoa. Sério, me apaixonei.



Depois disso fomos para a área de descanso novamente, em busca de algo para comer. A fome era tanta que Maria, Well e eu não nos importamos de pagar 15 reais por um cachorro-quente e um refri. Os preços lá eram um absurdo. Na busca de um lugar para comer descansado, reencontrei a Scheila e batemos um papo divertidíssimo sobre nossas experiências até ali.



Nisso já era 12:30 e eu corri para mais uma fila, dessa vez para encontrar a Cassandra Clare. A sessão de autógrafos seria apenas às 15:30, mas já havia muita gente na fila. Por sorte encontrei alguns conhecidos e fiquei bem na frente (fui o 15º da fila, pra ser mais exato). Foi uma espera torturante e o final foi decepcionante. Não podíamos posar para a foto com a autora e mal ela terminava de autografar o livro já éramos empurrados para longe pelo seguranças (com delicadeza, é claro). Horas em filas para um encontro bobinho desses me deixaram chateado, mas ao menos consegui um autógrafo da Bolo de Casamento para mim e outro para Well.



Assim que saí de onde a sessão de autógrafos foi realizada, corri mais uma vez para meu fiel companheiro: o espaço de descanso. Estava tão cansado que não conseguia sequer levantar depois que sentei e ali fiquei por um bom tempo. 



Às 17:00 já estava me preparando para ir embora e queria me despedir do pessoal antes de partir para o aeroporto. Mi me chamou para o encontro de blogueiros da editora Novo Conceito, mas antes dei uma passada no estande da editora Arqueiro, na tentativa de encontrar a Fernanda, que é quem nos atende na parceria. A garota estava acocada atrás do balcão, almoçando. Quando cheguei procurando por ela, prontamente Fer se levantou e me dedicou toda atenção do mundo. Gente, quem fala com a Fer é a Barb, mas sempre tive um carinho especial por ela e vê-la sendo tão gentil fez com que eu gostasse ainda mais dela. Fernanda Moura, um grande beijo pra você, sua linda.



Dali fui então para o estande da Novo Conceito, para o encontro de blogueiros, que estava sendo mediado pela fofíssima da Bih Branco. Meu objetivo era só me despedir da Mi e da Dany e ir embora, mas me vi no meio da brincadeira e a alegria logo me contagiou novamente. 



Participei de uma brincadeira com a Caroliny, filha da Scheila, onde ela segurava uma plaquinha com um título de algum livro da editora e eu precisava dar dicas sobre esse livro até ela acertar. O livro em questão era o Perdendo-me... Foi um sufoco, mas no fim conseguimos, hahahaha.



E não foi só isso. Fui praticamente obrigado a participar de outro desafio, que consistia em falar o maior número de títulos da Novo Conceito em 30 segundos. Seria fácil se eu não tivesse que ficar de costas para o estande, então nem colar podia. Vocês podem conferir o vídeo aqui embaixo. Ignorem minha cara de retardado, por favor, hahahaha.


E assim terminou meu dia na Bienal. Às 19:00 reencontrei minha prima e pegamos um táxi de volta para o Aeroporto para voltarmos para Porto Alegre. Mal entrei no táxi e a saudade já bateu, não queria ir embora de jeito maneira. O que me consola é que ano que vem tem mais, dessa vez no Rio de Janeiro, e vou aproveitar do começo ao fim. Também não posso esquecer de agradecer minha prima, Carla Cristina, pela companhia e por ter aceitado e compartilhado das minhas loucuras. Um beijão!

Provavelmente esqueci de metade das coisas que eu queria contar pra vocês, mas espero que tenham gostado do meu depoimento, ou ao menos se divertido, hahahaha.

BEIJOS E ATÉ A PRÓXIMA!
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA
Clique AQUI e saiba como participar

12 comentários:

  1. mesmo com todos os problemas que aconteceram nessa bienal, levando em conta os autores, o lugar em si, a organização geral deu pra ver que você se divertiu e isso que vale!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Autógrafo da "bolo de casamento" foi ótimo! rs
    Gostei bastante do seu relato e minha impressão é de que você conseguiu tirar até o último caldinho do evento. rs
    Apesar da lotação e da falta de organização em alguns momentos, o evento é extremamente relevante e compensador, né? Encontrar os autores e os amigos para falar de literatura é maravilhoso!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Ainda bem que o segurança te disse onde iriam ser entregue as senhas... 5hrs da manha e já ter fila :O E 15 reais por um cachorro quente é uma falta de respeito... Mais que bom que apesar de todos os encontros e desencontros valeu apena!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Ai para, eu estou com saudades já :'(
    Só de ver nossa foto ali, já me aperta o coração de saudades, meeeeeeeeeeeeeu Deus, como passou rápido :'(

    http://eaimarry.com

    ResponderExcluir
  5. Encontrou conhecidos, vulgo, furou fila HIDAHUISHDUHASUDUASHDUIHASUHDUHASHD

    ResponderExcluir
  6. Oiee.
    Ainn fique com inveja sua, mesmo sendo cansativo e tendo toda a muvuca eu faria de tudo para estar ai.
    Que bom que tu pode aproveitar ao máximo, uma chance dessa é pra a gente sair só o bagaço mesmo.
    Gostei de sentir a Bienal através dos seus sentimentos.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  7. Fui no dia 24 e ainda havia vestígios do pandemônio do dia anterior com o segundo dia de autógrafos de Cassandra Clare: muita gente, muita gritaria... olha, nunca passei tanto perrengue numa bienal.

    ResponderExcluir
  8. Leo!
    É tão maravilhoso quando podemos realizar nossos pequenos sonhos! E melhor ainda quando sentimos saudade, é porque foi bom demais e não queremos deixar passar momentos importantes.
    O bom é que conseguiu registrar boa parte de tudo que aconteceu.
    E que bom que estou em casa porque fiquei cansada só de acompanhar sua maratona!!!kkk Acho que ficaria no cantinho do descanso a maior parte do tempo...
    Parabéns por sua felicidade!
    E até ano que vem...
    Bom domingo!
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!

    ResponderExcluir
  9. Aaaah que bacana,eu adorei a gincana,acho que eu ia me embananar toda com os nomes dos livros,provavelmente ia sair livros que não eram da editora kkkkk
    Decepção com a Cassandra hein,nem um minutinho de atenção por toda a fila que tiveram que encarar né!
    Deve ter sido uma experiência mto boa msm,encontrar pessoas que só se conhecia pela internet,fazer novas amizades e tudo mais não tem preço né.
    Bjus

    ResponderExcluir
  10. Caramba, deu para notar que o teu dia foi completamente corrido. Mas quem me dera poder participar dessa correria haha queria muito ir na bienal, mas o meu estado geralmente não faz o evento, e São Paulo é longe demóóóóis ): mas enfim, realmente é decepcionante esperar horas para falar com um ídolo seu e depois nem conseguir tirar uma foto com ele, sei como se sente, e quanto às brincadeiras, achei todas super legais, eu com certeza me empolgaria e ficaria mais um pouco, como tu fez haha

    ResponderExcluir
  11. Caramba, deu para notar que o teu dia foi completamente corrido. Mas quem me dera poder participar dessa correria haha queria muito ir na bienal, mas o meu estado geralmente não faz o evento, e São Paulo é longe demóóóóis ): mas enfim, realmente é decepcionante esperar horas para falar com um ídolo seu e depois nem conseguir tirar uma foto com ele, sei como se sente, e quanto às brincadeiras, achei todas super legais, eu com certeza me empolgaria e ficaria mais um pouco, como tu fez haha

    ResponderExcluir
  12. Olha a inveja do bem que eu estou sentndo agora não se encontra em nenhum lugar rs. Sua foto com a Cassie mdsss ♥ o autografo é meio sem gracinha né rs :c
    Bom pelo visto aproveitaste muito né ♥ Ano que vem espero que todos vocês venham para a bienal do Rio hein.
    http://garotaliterary.blogspot.com

    ResponderExcluir