7 de agosto de 2014

Na Telona :: 'Agora e Para Sempre' #08

POSTADO POR EM 7 de agosto de 2014

Oi, gente. Tudo bem?


Estou de volta com mais uma crítica cinematográfica para vocês. O escolhido de hoje é um dos meus filmes favoritos, um dos poucos que já me fez chorar de verdade. Vamos conferir?!

Filme: Agora e Para Sempre
Título Original: Now is Good
Diretor: Ol Parker
Lançamento: 31 de agosto de 2013
Duração: 103 minutos
Distribuidor: Califórnia Filmes
Classificação: 14 anos
Sinopse: Tessa, é uma adolescente de 17 anos apaixonada pela vida. Diagnosticada com uma doença terminal, ela decide fazer bom uso de cada momento fazendo uma lista de coisas que uma adolescente normal iria experimentar. Com a ajuda de uma amiga, ela começa a pôr em prática os itens da lista e, enquanto seus pais e seu irmão lidam com o medo de perdê-la de suas próprias maneiras, Tessa passa a explorar um mundo novo e viver cada dia o mais intensamente possível. No entremeio, a garota se apaixona por Adam, seu novo vizinho, item que não estava na lista mas que se prova a mais revigorante experiência de todas.

O filme narra a vida de Tessa Scott, uma adolescente de dezessete anos que há quatro anos foi diagnosticada com leucemia. A partir daí a vida da garota muda radicalmente devido aos tratamentos experimentais e a quimioterapia e ela passa a ser privada de muitas coisas da vida por seu pai extremamente protetor. Tessa sabe que sua doença é terminal e que os tratamentos só vão alongar sua vida, mas que esta será cheia de restrições e tristeza. Com isso ela toma a radical decisão de interromper os tratamentos e aceitar o inevitável: a morte.

O pai de Tessa é totalmente contra a decisão da filha e faz de tudo para convencê-la a desistir, mas a garota não muda de ideia. Sabendo que seus dias estão contados, a amiga de Tessa, Zoey, a convence a escrever uma lista com tudo que quer fazer antes de morrer. A princípio Tessa hesita, mas acaba se rendendo e escrevendo. Ela deseja coisas bem simples, como ir a uma festa e dançar a noite inteira, mas tem alguns desejos sombrios, como se drogar e roubar uma loja. Porém, o principal desejo pode ser o mais difícil: perder a virgindade.


A coisa que Tessa mais odeia no mundo é que as pessoas sintam pena dela devido à sua condição, lhe dando algum tratamento diferenciado. Isso faz com que os garotos evitem se aproximar e ela finge não se importar. A vida de Tessa é uma confusão, cheia de problemas e a doença é o menor deles. Além do pai fixado em leucemia, ela sofre com a amiga desbocada e a mãe que quase nem liga para ela, quando está sóbria o suficiente para lembrar que tem filha. Tudo isso muda quando a garota conhece Adam.

Adam mora na casa ao lado da de Tessa. Há um ano ele perdeu o pai em um acidente de carro e precisou abrir mão de muita coisa, como sua vaga na faculdade, para cuidar da mãe. Quando os dois se conhecem logo rola um clima e Tessa tenta esconder sua doença, mas logo o garoto descobre e a relação estremece, já que Adam não está pronto para enfrentar outra perda e Tessa não quer se magoar em seus últimos dias de vida.



Porém, uma linda amizade nasce entre os dois e eles vivem momentos sensacionais juntos, tentando cumprir todos os itens da lista da menina, mas aquela atração inicial nunca se extingue e logo os dois se entregam à paixão. Agora que está realmente feliz, Tessa começa a pesar se deve seguir adiante com a decisão de interromper o tratamento e deixar tudo isso para trás ou continuar com os medicamentos e aproveitar sua vida ao lado de Adam.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de assistir.

Depois da febre que foi A Culpa é das Estrelas, não consegui descansar enquanto não encontrasse algum filme que se comparasse àquela obra. Muitos criticavam Agora e Para Sempre, dizendo ser uma imitação do primeiro, mas confesso que não vejo dessa forma, até porque Now is Good foi lançado bem antes de do outro. Para mim, as obras só tem em comum a doença como um empecilho de uma relação, mas o modo como o enredo se desenvolve é completamente diferente. Enquanto eu achei o filme baseado no livro de John Green muito bom, achei Now is Good, que também foi baseado em um livro (Antes de Morrer, no Brasil publicado pela editora Agir em 2008), sensacional, um dos poucos filmes que me arrancou lágrimas de verdade.

A paixão entre Adam e Tessa nasce de forma inocente e vai crescendo enquanto o tempo que eles vão passando juntos aumenta. No começo, ambos estão com algum receio de seguir adiante e achei que isso foi mais egoísmo voltado para Adam do que para Tessa, já que ela tinha muito mais a perder do que ele. Então nem preciso dizer que não gostei do garoto logo de cara, preciso? Porém confesso que conforme as cenas iam avançando, Adam foi me conquistando e, no final do filme, finalmente o achei digno e engoli minhas críticas iniciais.



Um dos pontos altos do longa é com certeza a atuação. Dakota Fanning deu um show ao interpretar Tessa, pois conseguiu realmente nos passar toda morbidez e rebeldia da personagem. A garota não é alguém fácil de lidar, tendo em vista que tenta afastar os outros por saber que morrerá em breve, e Dakota incorporou essas características com maestria. Jeremy Irvine me surpreendeu bastante. Quando ele foi escalado para viver o Daniel de Fallen não gostei muito da escolha, mas na verdade não conhecia o seu trabalho. Adam é um cara humilde, de bom caráter e muito apaixonado. Jeremy passou as qualidades do personagem tão bem que parecia que ele havia sido inspirado no ator. A participação de Kaya Scodelario foi menor do que eu esperava, mas a atriz soube como incorporar Zoey e me convenceu de verdade.

A trilha sonora do filme está impecável. Não foi aquele tipo de trilha de filmes de drama do qual estamos acostumados, melodiosa e com uma letra profunda, que só serve para aumentar nosso turbilhão de emoções interno e nos fazer chorar. O responsável pela trilha soube usar das músicas no nível certo, sem apelações, e isso me fez gostar ainda mais do filme.



Now is Good é aquele filme que você tem que estar no clima para assistir, se não pode acabar desprezando a mensagem que ele passa. Quando os créditos finais subiram, fiquei encarando a televisão com lágrimas nos olhos e repassando os momentos mais importantes da minha vida, já que o longa nos mostra que a vida é feita de momentos e isso é o que mais importa. Desapegar-se e viver, como não houvesse amanhã. Com isso deixo a vocês minha recomendação extrema. Assistam, não vão se arrepender.



BEIJos E ATÉ A PRÓXIMA!
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA
Clique AQUI e saiba como participar.

10 comentários:

  1. Faz um tempo que estava atrás de um filme que me fizesse chorar,ultimamente estava só nas comédias e comédias românticas,não vejo a hora de assistir esse!Estou baixando aqui nesse exato momento!Espero gostar tanto quanto você!
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Adoro filmes com a temática do drama, choro pelos mais bobos. Mas uma coisa que esse filme parece não ser é bobo. Adorei a história e a trama parece ser realmente envolvente. Com certeza irei assistir que tiver oportunidade.

    ResponderExcluir
  3. Leo!
    Não conhecia o filme e fiquei encantada com o enredo e com a vitalidade da protagonista em enfrentar tudo.
    O que achei um tanto estranho é que no nosso século já tem técnicas bem avançadas para cura da leucemia, aqui no Brasil tem, avalie nos Estados Unidos...mas, é ficção, né? E tudo vale.
    Muito bom, valeu a avaliação e dica.
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!

    ResponderExcluir
  4. Oieee.
    Menino, eu já ouvi falarem tão bem desse filme que nem sei porque ainda não vi.
    Não, não, eu sei....
    Estou esperando um momento melhor pra assisti-lo porque falaram que é tão emocionante que não tem como não chorar, então preciso antes me preparar psicologicamente pra vê-lo.
    Se eu já queria ver, depois do que li minha vontade só cresceu.
    Obrigada pela dica ;)

    ResponderExcluir
  5. Quero muito ver esse filme, desde que soube do seu lançamento. Eu como sou manteiga derretida, já chorei, só de ler sua resenha kkkk, mas aposto que com a interpretação de Dakotta e o roteiro maravilhoso que esse filme parece ter, até um coração de pedra irá se emocionar com a história *---*

    Beijoos,
    Lauro.

    ResponderExcluir
  6. Não sei se gosto dessa onda de filmes e livros com personagens doentes. Isso torna a obra mais sensível, mas não gostaria de começar um livro ou filme sabendo que o personagem pode morrer... sei lá, penso trocentas vezes antes de começar um ou outro.

    ResponderExcluir
  7. Morro de vontade de ver esse filme desde que foi lançado.. mas acabo sempre esquecendo de procurá-lo. Tive a sensação de ser algo mais melancólico e triste que ACEDE. E adoro a Dakota, ela é uma atriz sensacional e muito versátil. Prometo ver um dia. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  8. Assisti o filme enquanto esperava pra ver a culpa é das estrelas e tbm não me arrependi! Gostei muito, mas ao contrario de você prefiro a culpa é das estrelas. Não sabia que o livro havia sido baseado em um livro e definitivamente o casal protagonista é muito fofo e ponto alto do filme.

    ResponderExcluir
  9. Já tinha visto a capa do filme por aí, mas não vi até agora por achar bem triste.
    Mas percebo que a coisa é um tanto diferente. Muito mais inspirador do que trágico, talvez.
    A trilha sonora deve ser bacana mesmo. Aliás, que diferença que uma boa música faz quando inserida no contexto e no momento certo, né?
    bjs

    ResponderExcluir
  10. O filme ah eu amei♥ Chorei um pouco é lindo!
    garotaliterary.blogspot.com

    ResponderExcluir