17 de outubro de 2014

Tá Na Estante :: 'Mar da Tranquilidade' #319

POSTADO POR EM 17 de outubro de 2014

Oi, gente. Tudo bem?


Estou de volta com mais uma resenha para vocês. Hoje vim contar o que achei de um dos lançamentos de setembro da editora Arqueiro. Vamos conferir?!

Livro: Mar da Tranquilidade
Autora: Katja Millay
Editora: Arqueiro
Páginas: 368
Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele. A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida. À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer.

Nastya Kashnikov é uma garota de 17 anos que viu sua vida mudar radicalmente três anos antes, quando algo de muito ruim lhe aconteceu, deixando sua mão esquerda incapacitada, tirando-lhe sua vida e sua voz. Aos 15 anos ela morreu por 96 segundos e quando acordou já não era mais a mesma pessoa.
A garota deixou a casa dos pais e foi morar com sua tia Margo, em uma cidade a duas horas de distância, em busca de uma tentativa de fazer seu último ano sem que os outros sintam pena dela. Em momento algum Nastya pretendeu fazer amigos ou ter uma vida social, tanto que seu salto agulha de 15 centímetros somado à maquiagem pesada e às roupas que mal cobrem o essencial fazem com que ela ganhe a fama de vadia logo no seu primeiro dia.

Porém não são apenas olhares estranhos que nossa protagonista atrai. Ela conquista a atenção de Drew Leighton, o famoso galinha da escola. Mas não pensem que é aquele romance clichê do galinha com a garota nova. Pelo contrário. Os dois flertam, Drew com palavras e Nastya com olhares, mas o sentimento é pura amizade.

De outro lado conhecemos Josh Bennett, um garoto que tem a morte como amiga. Desde os 08 anos ele foi perdendo um ente querido de cada vez, até ficar sozinho no mundo. Primeiro a mãe e a irmã, um tempo depois o pai, em seguida a avó e por último seu avô. Acostumado com as perdas, ele não se aproxima de ninguém para não se ferir outra vez. A única pessoa que ele deixa se aproximar é Drew, seu melhor amigo. Fora isso, parece existir um campo de força a seu redor que repele as pessoas.

Nastya tenta de toda forma não se sentir atraída pelo tormento de Josh, mas ele tem exatamente aquilo que ela mais deseja: tranquilidade. Um dos prazeres da garota é correr, mas o tempo parece não querer que ela faça isso durante o dia. Numa certa noite ela sai para sua corrida e sua mente se desliga. Ela então se vê perdida e sem saber como voltar para casa. Além disso ela sente-se misteriosamente atraída por uma casa, uma garagem com as luzes acesas mesmo tão tarde da noite.

Aquela casa pertence a ninguém menos que Josh e, antes que perceba, Nastya já está lá dentro observando o garoto, que trabalha construindo móveis de madeira. Não há contato nenhum entre os dois, mas naquela noite algo muda em sua relação. A partir daí eles se encontram praticamente todas as noites na garagem e tentam a todo custo evitar uma maior aproximação, por medo do que isso acarretaria em suas vidas.

Mas como todos sabem, o destino não é uma criatura muito amigável e não costuma fazer aquilo que esperamos que ele faça. Com seus encontros noturnos, as aulas na oficina e os jantares dominicais com a família Leighton, Josh e Nastya estão cada vez mais próximos e essa proximidade gera consequências em suas vidas, as quais eles ainda não estão prontos para enfrentar. 

O passado de Nastya ainda a assombra, assim como o medo de Josh e isso pode ser um grande empecilho para que seu relacionamento tenha futuro. Será preciso muita paciência de ambas as partes, mas essa virtude não se encontra em suas personalidades.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler.

Meu interesse inicial por esse livro se deu pela capa, que acho incrível. Alguns dias antes do lançamento recebi um e-mail do marketing da editora dizendo que este livro era perfeito para os fãs de Se Eu Ficar e resolvi investir na leitura. Porém, tive uma grande surpresa ao iniciar a leitura.

A narrativa que Katja Millay criou é sensacional. Logo nas primeiras páginas já me vi conectado à Nastya e querendo saber o que aconteceu em seu passado. O livro é narrado em primeira pessoa, alternando os pontos de vista de Josh e Nastya, de forma com que possamos conhecer mais sobre suas vidas.

A autora foi jogando algumas pistas sobre o segredo que a protagonista guarda e o porquê de ter parado de falar, contando que antes ela era uma pianista prodígio e uma boa menina, mas a revelação só chega bem para o final do livro. Adorei o modo como Katja conseguiu construir essa trama sem parecer monótona ou clichê.

Os personagens foram muito bem caracterizados. É praticamente impossível não gostar deles. Nastya é minha favorita. Ela tem pensamentos bem profundos sobre a vida e o sarcasmo corre em suas veias atualmente. Josh, para mim, foi um babaca na maior parte do tempo, mas quando ele agia como gente eu adorava demais. Drew foi uma grande surpresa. Não esperava que ele fosse ter tanto destaque na trama, mas ele divertiu bastante com suas ironias e piadas de cunho sexual, além de ser um excelente amigo tanto para Josh quanto para Nastya.

O romance mesmo se desenrola de bem mais da metade pro final. Há sim aquela atração mútua logo no início, mas até que algo realmente aconteça a leitura já está bem avançada. Gostei de não ter sido aquele amor doentio à primeira vista dos livros do gênero, que os personagens mal se conhecem e já estão se amando.  Além disso, Josh e Nastya possuem uma química inquestionável, não são unidos apenas por seus sofrimentos. Mais um ponto a favor da narrativa.

De todas, a maior surpresa foi que o livro é extremamente profundo e delicado. A trama me lembrou bastante o livro Um Caso Perdido, de Colleen Hoover, que é um dos meus new adults favoritos. Então, se vocês pensam que tem algo a ver com Se Eu Ficar, saiam de perto. Acho que a única coisa em comum é o fato da Nastya de antes lembrar um pouco a Mia, a protagonista do sick-lit.

A editora Arqueiro fez um trabalho lindo com o livro. A capa é sensacional, como já havia comentado, embora ache, depois de ler, que não faça jus à trama. A revisão está impecável como sempre e a diagramação é bem simples.

Mar da Tranquilidade é um livro que vai te fazer entrar em uma ressaca literária profunda e te fazer pensar mesmo semanas após a conclusão da leitura. Ele entrou para os meus favoritos e para o ranking de melhores leituras do ano, então eu com certeza o recomendo para vocês. Na verdade, eu obrigo vocês a lerem. 

As pessoas gostam de dizer que o amor é incondicional, mas isso não é verdade. E mesmo que fosse incondicional, o amor nunca é de graça. Sempre vem acompanhado de uma expectativa. Todo mundo sempre quer algo em troca. Tipo, querem que você seja feliz, ou o que for, e isso nos torna automaticamente responsáveis pela felicidade dos outros, porque eles não serão felizes a menos que você também seja.

BEIJOS E ATÉ A PRÓXIMA!
***
Este post está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
Clique AQUI e saiba como participar.

11 comentários:

  1. Oi Leonardo!
    Realmente a capa é linda , gostei bastante da história ,nada a ver com "Se eu ficar".
    Vou colocar em minha leitura de 2015 srsrrsrs este ano está cheio já!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oiee Barbara!
    Diferente de você eu achei essa capa uóo.
    Eu gostei muito da resenha, não dava nada por esse livro e me surpreendi em saber que ele é tão cheio de surpresas.
    Espero conseguir lê-lo em breve.
    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ops. Oiee Leo!

      A pessoa que é distraída é outra história.
      Sorry!

      Excluir
  3. Oi Leonardo!!
    Concordo quando você diz que esse livro é incrível, também considero uma das minhas melhores leituras do ano. Fiquei dias com a história na cabeça e confesso que demorei um pouquinho para começar outra leitura depois dele ;)
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  4. Que história incrível, eu não sou muito de ler romances clichês pois acho tudo muito entediante de se ler, mas esse parece ser um romance diferente, sem contar que tem um toque de mistério, que sou apaixonada por esse tema de livro. To louca pra lê-lo logo.

    ResponderExcluir
  5. A capa é definitivamente perfeita, e nos passa a tranquilidade descrita logo no título, então já podemos esperar a mesma pegada do livro. Adorei a sinopse também, é daquele tipo que te incita a ler o livro. Confesso que quando olhei a capa esperava outro tipo de trama, mas eu gostei dessa, embora romance não seja exatamente meu gênero preferido. Porém, pelo que eu percebi na tua resenha a história envolve muito mais do que um romance entre dois adolescentes deslocados socialmente, traz episódios da vida deles e nos faz entender porque são assim, o que eu acho super interessante num enredo.

    ResponderExcluir
  6. Não curti muuuuito a capa mas gostei da historia!!!
    Incrivel, que realmente nos prender a ler ate final sem pisca
    os olhos, li muuuitos comentarios positivos em ele!
    Por isso minha curiosidade aumentou bastante

    ResponderExcluir
  7. Nossa Leo, não tinha a mínima ideia de que o livro falava sobre tudo isso.. a sinopse não deu pista alguma.. e acredita que só poucos dias atrás é que me dei conta de que é um sorvete que está derramado na capa? kkk Se você gostou tanto assim, certamente vale a pena investir na leitura. Já fiquei louca de vontade agora. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Leo.

    Uaul, tipo a sua resenha me deixou louca pra ler esse livro. Eu na maioria das vezes compro o livro pela capa e essa capa não me chamou nenhum pouco de atenção, te confesso que comecei a ler a resenha sem ler a sinopse do livro. Conforme você ia falado da Nastya eu ficava pensando o que levou ela a parar de falar, e o que Josh tem que parece que eles viraram uns imas que se atraem. Gosto muito de dramas e esse parece ser o tipo perfeito pra mim. Adoro os livros da Colleen Hoover e agora quero Mar de Tranquilidade.
    Ainda não consegui comprar porque só vejo ele em falta em algumas livrarias, mas já está na minha lista.

    Visite: http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi Leo, a capa realmente chama atenção, mas como não li o livro ainda, não posso dizer se concordo com sua opinião sobre a relação com o enredo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  10. Leo!
    Mar de tranquilidade não tem nada de tranquilo pelo que pude observar através da sua resenha. E por isso mesmo quero lê-lo.
    A capa é como um Teste de Rorschach que aplicamos na psicologia o que me agrada ainda mais.
    Tenha uma semana de sucesso!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir