11 de outubro de 2014

Tá Na Estante :: ' Meu Nome é Memória ' #316

POSTADO POR EM 11 de outubro de 2014

Olá turma!

Como estão hoje? Preparados para mais uma resenha? Espero que sim, pois hoje vou falar de um livro que chegou de mansinho e me conquistou de uma forma surpreendente: Meu Nome é Memória!


Livro: Meu Nome é Memória
Autora: Ann Brashares
Editora: Suma de Letras
Páginas: 280
Sinopse: Encontrar o amor verdadeiro nunca é fácil. Mas para Daniel, o protagonista de Meu nome é memória, isso parece ser ainda mais difícil. Ele tem um dom que por vezes assemelha-se a uma maldição: lembra-se de todas as suas vidas passadas. E em todas elas, foi apaixonado por Sophia. “Vivi mais de mil anos. Morri incontáveis vezes. Esqueço o número exato. Minha memória é uma coisa extraordinária”, escreve o protagonista. Inglaterra, Antioquia, Congo Belga, Constantinopla, Georgia. Todos esses lugares já presenciaram o amor do casal, porém Sophia nunca se recorda das memórias passadas. Vida após vida, através de dinastias e continentes, Daniel tenta fazê-la relembrar esse amor e conquistá-la para sempre, mesmo que ela mude de nome e aparência. Mas, em todas às vezes que Daniel e Sophia tiveram uma aproximação, foram separados de maneira dolorosa e fatal. No entanto, quando se reencontram em 2007, Sophia – que agora se chama Lucy – começa a lembrar do passado. Aos poucos, flashes das vidas anteriores vêm à memória, lembranças sensoriais se reavivam e ela percebe que Daniel faz parte de sua vida desde sempre. E agora, se o casal quiser passar suas próximas vidas juntos, terá que compreender e superar o inimigo desse amor. 


Meu Nome é Memória é aquele tipo de livro que te pega de jeito e não te larga mais. Pelo menos comigo foi assim. Como já é costume, o escolhi pela capa, sem ter a mínima ideia do real conteúdo da história. E posso dizer, por experiência própria, que foi uma das surpresas mais emocionantes que encontrei escolhendo livros dessa maneira.

A trama gira em torno da história de Daniel, uma alma antiga em um corpo novo. Daniel é uma das poucas pessoas que pode se lembrar de todas as suas vidas anteriores, cada amor, cada dor, cada tormento. Acho que a palavra é essa: tormento.

Para muitos, a memória de Daniel poderia ser um dom divino, mas para ele mesmo é um tormento. Daniel se lembra de cada catástrofe pela qual já passou. Mas o que mais o machuca é a lembrança de Sophia.

Sophia foi o grande amor de todas as vidas de Daniel. A história dos dois começou na primeira vida de Daniel. O ano era 541 d.C, Daniel era um soldado e acabou tirando a vida de uma jovem inocente. 
A partir desse ponto já conhecemos a verdadeira natureza de Daniel. Ele tem uma alma imensamente cheia de compaixão. Acompanhamos todo o seu arrependimento pelo que fez no decorrer de suas outras vidas. Acho que esse é um dos pontos que mais influenciaram no meu julgamento do personagem: sua índole.

Daniel é tão assombrado pelo que fez, que passa a reconhecer a alma da garota em qualquer vida em que ele a encontre. Na primeira vida em que ele realmente chegou a conhecer a garota, ela era Sophia, a esposa de seu irmão.

E assim segue a jornada de Daniel. Sempre nutrindo uma paixão platônica por Sophia em todas as vidas em que a encontra. E sempre encontrando empecilhos no seu caminho, como diferenças de idade, casamento, dentre tantos outros.

Paralelamente à história das vidas passadas de Daniel, acompanhamos sua vida atual. Encontramos com ele a primeira vez quando ele está com 17 anos. Como todo adolescente, ele frequenta a escola e é lá que ele encontra Lucy, a sua Sophia.

Dessa vez, aparentemente nada impede que os dois vivam um grande amor, já que nasceram na mesma época e têm a mesma idade. Porém Daniel só consegue enxergar Sophia, a mulher que conheceu no passado, e não Lucy, a garota que ela é agora.

E para complicar um pouquinho mais a situação, Joaquim, o seu irmão e marido de Sophia, ressurge buscando vingança. Será que os dois conseguirão ultrapassar todos os obstáculos que a vida jogou na frente desse grande amor?

Meu Nome é Memória é uma leitura encantadora, que consegue prender o leitor dentro das várias épocas em que a história se passa. Ann conseguiu desenvolver uma narrativa maravilhosa e nada cansativa. Como o livro é narrado intercalando vidas passadas com a vida atual de Daniel, seria de se esperar que nos perdêssemos algumas vezes durante a leitura. Mas não, Ann nos guia divinamente por toda a narrativa.

Um ponto que me impressionou bastante foi o amadurecimento da Ann como escritora. Em Meu Nome é Memória ela cria uma história leve e envolvente, mas com uma pegada mais adulta. Para quem não sabe, ela também escreveu a famosa série A Irmandade das Calças Viajantes. Comparando essas duas obras, esse crescimento da autora fica ainda mais notório.

E ainda ressaltando o trabalho da autora: que composição maravilhosa de personagens! Daniel foi muito bem construído dentro do seu tormento, simplesmente não consigo transmitir em palavras a complexidade que detectei nesse personagem. Já Lucy é uma guerreira. Luta a todo custo contra seus medos e em busca do seu passado. Os protagonistas são aquele tipo de personagem que nos fazem refletir, mesmo após o término da leitura.

E não poderia deixar de elogiar, também, o trabalho divino que a Editora Suma de Letras fez com esse livro. Como mencionei anteriormente, a capa é uma obra de arte que embeleza qualquer estante. É de uma serenidade e de uma calma que só podem ser sentidas a partir do momento em que pegamos o livro em mãos.

A diagramação não é nada exagerada. Apenas o essencial para que a história seja compreendida. No começo de cada capítulo temos a identificação do local e do ano no qual o capítulo é desenvolvido. E como já é de costume: folhas amareladas!

E agora chegamos à parte das recomendações. Geralmente recomendo cada livro que leio para um tipo específico de leitor. Meu Nome é Memória não se enquadra em nenhum padrão, não consigo definir um único tipo de público para esse livro. Então irei parafrasear um dos meus autores favoritos aqui, Nick Farewell: “esse livro foi escrito para dois tipos de pessoas, aquelas que têm talento para leitura e aquelas que têm talento para a vida”.

E, com isso, me despeço de vocês, na esperança de ter despertado pelo menos uma pequena centelha de curiosidade em vocês. Fiquem com uma citação saída diretamente de Meu Nome é Memória.

Quando você sabe que é diferente, quando seu mundo interior não faz sentido para ninguém, inclusive para você, isso naturalmente lhe afasta das pessoas.

Beijinhos e até a próxima!
***
Este post está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
Clique AQUI e saiba como participar.

10 comentários:

  1. Olá, Nathalia.

    Que resenha mais encantadora. Essa é a segunda que leio de Meu nome é memória e me fez ainda mais querer ler ele. Fiquei imaginando como deve ser difícil para Daniel reviver esse amor por tantas vidas, meio que me lembrou de Fallen, você já leu?
    Quero muito esse livro em minha estante e também adorei a quote dele que tu colocou. >.<

    Sorteio: O lado mais sombrio e Atrás do espelho, participem.
    http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/2014/10/sorteio-de-halloween-novo-layout.html

    Beijos e até mais.

    ResponderExcluir
  2. Pela resenha esse livro parece ter algo a mais. ham, nao sou muito fã do genero, mas sim esse livro me chamou muita atenção, entao te parabenizo pela resenha, que foi onde eu me interessei por ele, e claro que vou adicionar na minha lista de livros, mas na do ano que vem rsrs a desse ano ta cheia e nem vou conseguir terminar-la!

    ResponderExcluir
  3. Oi Nathalia,
    Não me convenceu muito poquê se trata de reercanação (o que por sinal não sou interessada ) , mas fora isso gostei bastante da resenha. O livro parece emocionante e ah que CAPA u.u .
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. História linda e definitivamente emocionante. Não sei porque lembrei da Lucy e do Daniel de Fallen, além dos nomes serem iguais a história das reencarnações também é. Eu não leio muito sobre esse assunto, mas sempre gosto de conhecer visões de outros autores sobre ele. Achei a capa maravilhosa, com certeza seria um livro que entraria para os meus favoritos.

    ResponderExcluir
  5. Oiee Barbara!
    Eu também amei a capa desse livro.
    Eu não sabia nada do livro, mas depois de ler sua resenha me apaixonei por ele, sinceramente o quero para já.
    Deve ser muito emocionante ver o quanto Daniel é apaixonado e devotado por Sophia, quero muito conhecer essa linda história.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  6. Achei legal a proposta do livro, mesmo achando que não seja tão original. Mas como defendo que vc pode ter a mesma história contade de diferentes formas, acho sim que esse livro tem mto a oferecer. E como deram cinco estrelas, fiquei com mais vontade ainda de ler.

    ResponderExcluir
  7. Nathalia!
    Livros com um lado espiritualista na minha opinião sempre acrescentam e nos fazem nos colocar no lugar dos protagonistas.
    Gostaria de estar no lugar de Daniel e saber/lembrar das minhas vidas passadas, seria bem interessante, mesmo que tenha acontecido algo no passado que fosse uma tortura, acho até que seria bom, assim poderia melhorar e me evoluir espiritualmente.
    Triste ver Daniel passar por toda essa tortura.

    Desejo uma semaninha maravilhosa de luz e paz!!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. A capa realmente é maravilhosa, espero que a história seja muito boa também. Eu gosto de ler livros que te prendam do começo ao fim e como você disse, esse livro é um desses. Acho que vale a pena conferir esse livro :)

    ResponderExcluir
  9. Oi Nathalia, não conhecia o livro e já fiquei interessada logo nos primeiros parágrafos da sua resenha. Valeu pela dica.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  10. Gosto muuuito de livros deste tipo, deixa a gente olhar diferente do muuuito
    por isso pra mim e tão importante ler ! Gostei muuuito da historia merece 5 estrelas

    ResponderExcluir