6 de novembro de 2014

Tá Na Estante :: 'Ligeiramente Casados' #329

POSTADO POR EM 6 de novembro de 2014

Olá, pessoas. Tudo bem??




Vocês sabem que eu sou viciada em uma história de época, né? Quando eu vi que a Editora Arqueiro iria lançar mais um título desse gênero quase morri. Acho que eu fui uma mocinha muito rebelde em outra vida, mas eu era da alta sociedade. EU SOU RYYYYYCA \O/ Okay, parei de me iludir e vou resenhar para vocês.

Livro: Ligeiramente Casados
Série: Os Bedwyns
Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Sinopse: À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.


No início era apenas conveniência, mas eles
acabaram se rendendo a uma ardente paixão.

Em Ligeiramente Casados somos apresentado ao primeiro Bedwyn, Aidan. Ele é um Coronel do Exécito Inglês que luta contra Napoleão Bonaparte. No campo de batalha, ao socorrer um de seus Capitães, acabou lhe fazendo uma promessa. Ele não fazia a mínima ideia de que essa promessa mudaria sua vida.

O Capitão em questão era Percival Morris, irmão mais velho de Eve Morris. Percy fez Aidan prometer que daria a notícia de sua morte a sua irmã e a protegeria, custasse o que custasse. Como um bom homem que honra a sua palavra, Aidan partiu rumo a casa do jovem Capitão morto a fim de cumprir com sua promessa. 



A verdade é que o Coronel não sabia que o 'Custe o que custar!' do Capitão implicaria em algo muito além de reportar a notícia à sua família. Eve não tinha direito nenhum sob a propriedade em que morava após a morte do irmão. O testamento deixado pelo seu pai lhe dava os direitos sob o Solar Ringwood até um ano após a morte dele, passado esse tempo o Solar deveria ser entregue ao seu irmão e caso ele não estivesse vivo passaria para um primo distante.



Eve ficou sem chão. Sentia mais por aqueles aos quais ela acolheu do que por si própria. A única forma de reverter a situação seria casando-se, mas onde ela encontraria um noivo e faria um cerimônia em  três dias? O Coronel Bedwyn foi mais uma vez sua salvação. Propôs-lhe um casamento de conveniência, eles apenas estariam casados no papel, mas viveriam como se o outro não existisse.

O plano seria perfeito se o duque de Bewcastle, irmão de Aiden, não descobrisse sobre a noiva do irmão. Agora eles terão que se apresentar a sociedade e ficar juntos pelo menos até o recesso do Coronel no exército acabar. Mas será que Eve resistiria ao charmoso e grosso capitão? E ele, resistiria a mocinha arisca?



Achei a abordagem da autora bem interessante. Ela tem uma forma única de escrever que nos prende a leitura. Confesso que estava esperando um livro bem Julia Quinn, o que seria maravilhoso, mas a autora foi por um outro lado tão bom quanto.

O livro não contém todo o humor das histórias da Julia, mas traz uma singularidade ímpar. Gostei da forma como ela se ateve aos pormenores da trama e foi sempre nos brindando com novas descobertas e acontecimentos, uma forma de sempre surpreender o leitor. As cenas de sexo explícito me foram uma surpresa, mas não fez do livro um erótico, só deu uma apimentada gostosa na trama.



Os personagens principais estão envolvidos em si próprios, então para o romance engatar demora um pouquinho, mas quando engata... Uh la la. Os personagens secundários são de grande importância na trama, tanto os que surgem da família da Eve quanto os da família do Aidan.

Achei a autora bem pouco descritiva, ou talvez eu apenas tenha me focado muito na história. O fato é que gostei da forma como ela escreveu. Gostei da personagem principal bem petulante e dona de si. Ela deu um toque atual para uma história de época e ele foi muito bem vindo. É um livro que eu super indico pois sei que vai agradar a maioria dos públicos.

-Mas nunca conheceu um homem que pudesse amar de verdade? - perguntou Aidan?
-Não! - A resposta saiu até mais firme que a anterior, apenas em tom mais baixo. - Nunca. Talvez isso signifique que tal amor não existe, coronel. Talvez eu buscasse o imposível. O que acha? 
Beijocas e até a próxima!
***
Essa postagem é válida para o TOP COMENTARISTA.
Clique AQUI e saiba como participar.

14 comentários:

  1. Oii Barbara !
    Gosto bastante de livro de século , eu as vezes penso "nasci na década errada " haushaushauhsuas.. Gostei da sua resenha , o livro para íncrivel!
    Beijos

    visite : www.nossaspaixoesopsnossoslivros.blogspot

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante da história, apesar de já ter visto ela em muitos livros de romance que li. Confesso que desse gênero, muito poucos livros me atraem realmente, e os de época são os que mais me chamam atenção. Achei a premissa interessante, e peso que seria curioso ler como o amor da casal vai se desenvolvendo aos poucos, a partir de uma situação inusitada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro romances de época, são tão gostosos. Realmente é um daqueles livros que a história surpreende os personagens e por consequência surpreende o leitor.

      Excluir
  3. Humm, gostei da resenha, quero ler :)

    morri de rir com: Acho que eu fui uma mocinha muito rebelde em outra vida, mas eu era da alta sociedade. EU SOU RYYYYYCA \O/

    hahahaha!

    http://nattypoupee.blogspot.com
    http://nattwonderland.blogspot.com
    http://enelimm.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Barbara!
    Achei a narrativa da Mary Balogh diferente da Julia Quinn e da Lisa Kleypas, e isso só me deixou mais encantada pelo livro, como estou acompanhando várias séries de romances de época, o ideal é que elas sejam bem diferentes entre si mesmo =)
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  5. Eu achei a história do livro super bonitinha, me deu vontade de ler. O que não me agradou muito foi a capa, sem saber um pouco a respeito da história do livro eu certamente nem compraria. Não sou muito de ler romances, mas romances de época me cativa.

    ResponderExcluir
  6. Amo romances de época, já estava bastante interessada em ler esse livro e agora depois dessa resenha fiquei anda mais ansiosa pra conferi essa história.

    ResponderExcluir
  7. engraçado, n lembro de ter lido nada de época. pela sinopse parece um pouco mamão com açúcar, mas "bonitinha". a capa realmente eh meio brega rs

    ResponderExcluir
  8. Não li com atenção sua resenha, pois é um livro que estou iniciando agora, e não queria ter nada dele na cabeça.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Barbara

    Gostou muito de romances históricos porque eles tem algo a mais para mim. Não sei dizer o que é mais eles tem uma atração especial sobre minha vida de leitora.
    Ainda não li aqueles da Julia, mas estou super curiosa.
    Este Ligeiramente Casados tenho visto ele em muitos blogues e as resenha estão me deixando ansiosa demais rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. O título parece ser de um filme de comédia, não acho que combina com um romance de época. Além disso, a história é clichê, sabe? Aquela coisa de casamento por conveniência e tudo mais... Enfim... Há quem goste. xD

    ResponderExcluir
  11. Bárbara!
    Gosto de livros descomplicados e que me fazem relaxar e tenho a impressão que esse livro é assim...
    É uma história até comum porque j´´a li uns 4 livros com a mesma temática, ainda assim, a escrita de cada autor é diferenciada e tem suas próprias peculiaridades.
    Um final de semana carregadinho de luz e paz!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu também amo livros de época, mas não gosto muito desse estilo, prefiro aqueles que envolvem um certo mistério e um pouco de sobrenatural, mas sua resenha está ótima :)

    ResponderExcluir