26 de abril de 2015

Tá Na Estante :: 'Uma História de Amor e TOC' #390

POSTADO POR EM 26 de abril de 2015

Oi, gente. Tudo bem?


Mais uma resenha fresquinha saindo do forno pra vocês. O escolhido de hoje é um lançamento de abril da Galera Record pelo qual eu estava super ansioso. Vamos conferir?!

Livro: Uma História de Amor e TOC
Autora: Corey Ann Haydu
Editora: Galera Record
Páginas: 320
Sinopse: Bea foi diagnosticada com transtorno obsessivo-compulsivo. De uns tempos pra cá, desenvolveu algumas manias que podem se tornar bem graves quando se trata de... garotos! Ela jura que está melhorando, que está tudo sob controle. Até começar a se apaixonar por Beck, um menino que também tem TOC. Enquanto ele lava as mãos oito vezes depois de beijá-la, ela persegue outro cara nos intervalos dos encontros. Mas eles sabem que são a única esperança um do outro. Afinal, se existem tantos casais complicados por aí, por que as coisas não dariam certo para um casal obsessivo-compulsivo? No fundo, esta é só mais uma história de amor... e TOC.

Bea estava em uma festa à noite quando a luz de repente acabou. Todas as pessoas que estavam no salão foram saindo aos poucos, mas a garota reconheceu o som de alguém tendo um ataque de pânico e como expert no assunto, resolveu ajudar. Assim ela conheceu Beck e algo ali fez com que ela não parasse de pensar nele.

Algum tempo antes, Bea teve alguns problemas com um ex-namorado e foi impelida a fazer terapia pra tratar de sua ansiedade. Toda semana ela encontra-se com a Dra. Pat para conversar sobre o que a atormenta, que vai desde dirigir acima de 50 km/h a precisar conferir várias vezes se não atropelou alguém no caminho.

A Dra. Pat insiste que Bea deve entrar na terapia de grupo, algo que a menina rejeita com todas as forças. Ela não se considera doente, só um pouco ansiosa e preocupada demais. Que adolescente de 16 anos é assim? Ela deveria é ganhar um prêmio por seguir as normas de segurança à risca. Porém, após alguma insistência, Bea acaba cedendo.

No primeiro dia da terapia em grupo, Bea conhece seus colegas. Rudy, Jenny, Fawn e... Beck. Sim, aquele Beck do ataque de pânico, que fugiu antes que ela pudesse saber mais sobre ele. Todos ali foram diagnosticados com TOC, mas Beck e Bea se acham normais e querem mostrar que os outros sim são loucos. É só avaliar. Jenny arranca os cabelos quando está ansiosa e Rudy espreme as espinhas. Os dois não fazem nada disso. Assim, Bea e Beck começam a passar mais tempo juntos enquanto descobrem mais sobre si mesmos e um sobre o outro. 

Bea está no momento com uma fixação pelo casal que faz terapia no horário antes dela. Ela chega uma hora antes da sua sessão para ouvir o que se passa atrás da porta e anotar em um caderno. A garota só quer se aproximar de Austin e Sylvia e segui-los até o apartamento deles é um modo de saber se eles estão bem e seguros. 

Beck tem uma pequena fixação pelo número oito. Ele precisa mandar oito mensagens e ligar oito vezes, além de lavar as mãos oito vezes sempre que vê um banheiro. Além disso, o garoto tem uma forte questão com seu corpo. Beck passa oito horas na academia levantando pesos, tornando seu corpo cada vez mais musculoso.

Bea e Beck são o casal que todos esperariam que ficasse junto. Quer dizer, os dois tem TOC e respeitam as manias e compulsões do outro, tem coisa mais perfeita que isso? O problema é que ambos precisam enfrentar suas compulsões se quiserem ter algo juntos, mas Bea não está preparada para expor seu TOC tão abertamente a Beck, com medo da reação do garoto. Com isso, o afastamento pode vir a acontecer, mesmo com eles tentando evitar a todo custo.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

Quando vi esse livro nos futuros lançamentos da Galera Record, desejei instantaneamente. Foi uma grande surpresa quando o livro chegou aqui em casa sem ter sido solicitado e tratei de pegá-lo para ler imediatamente. Pela sinopse, o livro parecia ser bem engraçado e eu queria uma leitura assim. Porém, a coisa foi bem diferente do que eu esperava.

O livro é repleto de altos e baixos. Corey Ann Haydu criou uma trama onde o TOC é o foco principal e, confesso, que não esperava por isso. Sim, o livro se chama Uma História de Amor e TOC, mas né. Dois Garotos se Beijando tem esse nome e não tem só dois garotos se beijando. Faz sentido meu raciocínio? Não? Okay. 

Eu esperava que o foco do livro fosse o romance e que o TOC fosse uma trama adjacente, de forma que fôssemos descobrindo mais sobre o transtorno enquanto acompanhássemos o desenvolvimento do romance. Porém, a autora focou demais no TOC, não há uma página lida sem que sejamos lembrados das manias de Bea e Beck e em alguns momentos fiquei agoniado com isso.

A narrativa é feita em primeira pessoa sob o ponto de vista de Bea. Com isso, acompanhamos toda a história pela visão da garota e acompanhamos de perto suas manias e obsessões. Num primeiro momento foi divertido, até entrar numa parte mais profunda e o foco do livro ser jogado em cima de mim de balde. Não é algo pesado e triste, mas está bem longe de ter aquele humor que eu esperava, estilo Síndrome Psíquica Grave.

Os personagens são interessantes e muito bem construídos. Gostei de Beck logo de cara e ia me afeiçoando a ele cada vez mais conforme ia avançando na leitura. Depois de descobrir o que desencadeou seu TOC, tive um momento de emoção. Já com Bea há uma relação de amor e ódio. Eu entendo que boa parte de suas atitudes eram ocasionadas pelo transtorno, mas em muitos momentos ela conseguiu me irritar e querer jogar o livro longe.

Confesso que estou frustrado por não ter gostado tanto assim. Uma História de Amor e TOC foi um livro que esperei tanto, mas já estou um pouco saturado de livros do gênero sick-lit, a mais recente febre literária. Infelizmente, o livro não funcionou pra mim da forma que deveria.

A Galera Record fez um ótimo trabalho com a capa e a diagramação, mas deixou bastante a desejar na revisão. Há muitos erros de digitação e de português, como sílabas sendo separadas erroneamente. Além disso, há diálogos sem travessão e uma cena específica com erro de continuidade, que não sei se foi erro da história mesmo ou algo da tradução. Uma pena.

Uma História de Amor e TOC é um livro bonitinho, mas que podia ser muito melhor. Pode não ter me agradado tanto, mas tenho certeza que muita gente vai gostar e por isso recomendo.

Beijos e até a próxima!

4 comentários:

  1. poxa leo pena que o livro não foi tudo aquilo que vc esperava =/
    porém ainda parece uma história interessante sabe, e eu to querendo ler assim que der. espero gostar nem que seja um pouco.
    http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/2015/04/mini-opiniao-batman-minigotham-vol-01.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ignora o link da resenha que deixei no final. pensei que tinha colado apenas o link do blog.

      Excluir
  2. Tinha lido outra resenha desse livro e tinha sido bem pior, pelo menos você gostou um pouco da história. Fiquei com vontade de ler esse livro quando vi o lançamento dele, mas agora estou bem desanimada, esperava algo mais interessante.
    Vou procurar por mais opiniões pra decidir se eu vou ler, mas até agora esse livro está fora da minha wishlist.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Esse livro me parece ter uma dose de sofrimento que só quem conhece o TOC pode sentir com toda sua magnitude. Confesso que também detesto livros que contenham erros, já que lemos tantos livros lindos, bom mesmo assim parece interessante para ter uma ideia do que é TOC.
    Um abraço
    Mila
    http://scraplivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir