10 de maio de 2015

Tá Na Estante :: 'Minha Mãe é uma Peça' #394

POSTADO POR EM 10 de maio de 2015
Oi, mates! Feliz dia das mães, seus lindos! Hoje - como todos os dias - é aquele dia especial para encher nossas mamães de apertados abraços, palavras especialmente moldadas para eles, e é claro muitos mimos, então porquê não soltar essa resenha para lá de especial de uma das representações mais fieis e verdadeiras da alma materna? Com isso, lhes entrego, Dona Hermínia, a mãe do Brasil.


Livro: Minha mãe é uma peça
Autora: Paulo Gustavo
Editora: Objetiva
Páginas: 150
Sinopse: Minha Mãe É Uma Peça - 'Minha mãe é uma peça', agora em livro e com histórias inéditas de Dona Hermínia. Essas crianças ainda matam Dona Hermínia de tanta preocupação. Após berrar com os filhos no teatro, no cinema e na TV, ela agora narra as desventuras com a família em livro. Marcelina, que está “imensa de gorda”, e Juliano, que em vez de trabalhar prefere decorar as coreografias daquela “cantora negona linda, a Cebion”, não são os únicos que escutam poucas e boas. Sobra bronca também para o ex-marido, Carlos Alberto, para a nova mulher dele, “a vaca da Soraia”, e para a empregada Valdeia, “que prefere ser chamada de secretária, mas ainda não chegou lá”.
Em sua estreia na literatura, Dona Hermínia — ou melhor, Paulo Gustavo, seu criador — fala sobre sexo, dietas e religião, dá conselhos de como criar os filhos, explica a antipatia que tem por Freud e sua “mania de colocar tudo que é culpa na mãe”, mostra como navegar na internet e faz seu guia de viagens. E, ao contrário dos manuais que ensinam como segurar o marido, conta os segredos para não perder o ex.
Paulo Gustavo ficou famoso com o monólogo Minha mãe é uma peça, em cartaz desde 2006. Pelo papel, foi indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator. Em 2013, o espetáculo virou filme, que teve o maior público do cinema nacional no ano, com 4,6 milhões de espectadores. Agora, a dona de casa divertida e mandona, que arranca gargalhadas cúmplices no teatro, na TV e no cinema, surge no livro Minha mãe é uma peça em fotos, ilustrações e textos inéditos escritos com a colaboração de Ulisses Mattos e Fil Braz.


Essa resenha está prometida há quase dois meses. Recebi o livro num dia, e dois dias depois tinha terminado. Arrisquei fazer uma resenha em vídeo, mas não ficou tão boa, e acabou chegou maio e eu pensei: Tem melhor ocasião para dar a vocês a resenha do livro da nossa mãe mais doida, sincera e brasileira possível? Nope!

Para quem não conhece, 'Minha mãe é uma peça' começou discretamente como uma peça teatral escrita e interpretada por Paulo Gustavo. Nunca tive a chance de assistir a peça, mas acompanhei a carreira do autor através do Youtube em vídeos liberados de suas peças (essa e Hiperativo) e várias entrevistas, incluindo as mais famosa, no Jô Soares. E aí o Paulo Gustavo sofreu um BOOM e começou a fazer vários projetos, e foi ganhando mais e mais atenção, e aí veio o filme baseado na peça, focando todas as peripécias da Dona Hermínia e sua família. O sucesso foi tão grande que o filme vai ter uma continuação (ainda nesse ano) e teve o lançamento de um livro de crônicas contando tudo em 16 crônicas o que Dona Hermínia passa sendo a mãe de Marcelina e Juliano, e é claro tudo que passa na cabeça dela, até mesmo Sex Shop e os diversos tipos de práticas esportivas vira discussão para Hermínia.

Objetiva sendo uma linda. 
Não só enviou o livro de cortesia para resenha, como essa bolsa super prática - e rosa chiclé! Puro amor! 
O livro publicado pela editora Objetiva tem dezesseis crônicas expondo as peripécias de sua família e amigos, e tendo diversos temas centrais do nosso cotidiano, como criar os filhos, a luta contra a balança da Marcelina, sexo, sobre como arrumar um emprego, e os famosos e até mesmo sobrou para o Freud.                         

Paulo teve ajuda de Fil Braz para desenvolver e colocar em palavras a alma de Dona Hermínia baseado inteiramente em sua mãe, Deá Lúcia. Eu sou dessas, sou louca para conhecer o Paulo, mas se encontrar dona Deá na rua, vou tietar mesmo. E olha que eu moro em Niterói e fico na rua caçando eles, sou desse tipo de stalker - do bem, é claro. Eu posso ser suspeita para falar, mas para mim, o livro ficou PERFEITAMENTE adequado ao universo teatral/cinematográfico criado por Paulo e a sua equipe. Não nego que tive certo receio de pegar o livro e encontrar histórias desgastadas do Universo de Paulo, ainda mais por na capa especificar que tem 'novas histórias da D.Hermínia' no livro, MAS fui surpreendida com um livro 98% inteiramente de histórias novas, quentinhas para o seu público. Fiquei muito feliz por isso, pois Paulo teve a chance de amplificar o Universo dos seus personagens para um público novo - e aquele que já o acompanha.

O trabalho feito pela editora Objetiva ficou incrível. O livro está impecável. Adorei o trabalho simples da capa, mesmo tendo um preconceito horroroso com esse tom amarelo - mas ele chama atenção, então vende meus caros. Sobre o trabalho interno, a sempre bem vinda folha amarela com um cheirinho delicioso nos acompanha durante essa leitura. A escolha da fonte (e o tamanho) é excelente para a leitura em qualquer ambiente, principalmente para pessoas que como eu são míopes e gostam de ler no ônibus, em pé, na sala de aula, e é claro, no banheiro - eu sei que você lê também.
O bônus do livro são as imagens incríveis protagonizando Paulo como D. Hermínia e os filhos do personagem, como também alguns anúncios ilustrando alguns temas debatidos na trama. Não faço questão de ilustrações em livro, mas confesso que ficou divertido me deparar com alguma foto engraçada da Dona Hermínia ou um anúncio curioso de trabalho para o Juliano.

Recomendo a todos a leitura desse livro, você conhecendo o trabalho do Paulo Gustavo ou simplesmente buscando uma leitura leve, rápida e engraçada. Pode dar uma chance a esse livro sem medo de se arrepender, pois vai lhe divertir, ainda mais naquela fase de estudos sobrecarregados ou pós um livro barra-pesada. E é claro, depois que ler, pode vir falar comigo e vamos rir juntos das aventuras da D.Hermínia. Até a próxima pessoal, e FELIZ DIA DAS MÃES <3

2 comentários:

  1. Só em ler a sinopse do livro eu já dei algumas risadas e bateu aquela vontade doida de comprar. O livro é curto, mas deve dar uma pena de terminar logo, pelo fato das loucuras de D. Hermínia terem ótimas histórias.
    Tive a oportunidade de ver tanto em peça como em filme, adorei ambos e sempre que passa na tv eu e minha filha já sabemos que é risada garantida carregada de muita pipoca!

    Beijos
    www.meudivaporcalsousa.com

    ResponderExcluir
  2. Não cheguei a ler o livro, mas ri muito com o filme.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir