15 de maio de 2015

Tá Na Estante :: Younger #398

POSTADO POR EM 15 de maio de 2015

Olá galerinha!


Sei que ando meio sumida por aqui, culpem a faculdade por isso. Mas hoje tirei um tempinho para vir resenhar um livrinho super descontraído para vocês. O escolhido da vez é Younger, laçando recentemente pela editora Record.

Livro: Younger
Autora: Pamela Redmond Satran
Editora: Record
Páginas: 320
Sinopse: Alice sempre pareceu mais nova do que realmente era, apesar de alguns fios de cabelo branco e do jeito despojado de dona de casa de Nova Jersey. Ou melhor: ex-dona de casa. Agora que o marido a deixou e que a filha já não é mais criança, ela precisa refazer sua vida. Então deixa que sua melhor amiga, Maggie, transforme seu visual na véspera do Ano-Novo.
Graças às maravilhas da tintura de cabelo e de um par de jeans colado ao corpo, Alice se vê com uma aparência mais jovem, fato atestado num bar de Manhattan: à meia-noite, ela beija um cara que ainda usava fraldas quando ela já cursava o ensino médio. A mentirinha que contou a Josh a faz acreditar que, se ninguém perguntar sua idade, ninguém vai descobrir a verdade. Então Alice se candidata a um cargo na editora em que trabalhou brevemente antes de se tornar mãe em tempo integral – e consegue o emprego.
Aos poucos, Josh se apaixona perdidamente por Alice, uma mulher muito mais interessante que as da idade dele. Para ele, Alice tem 29 anos – e pela primeira vez desde os 29 ela tem a sensação de que a vida é um mar de possibilidades. Mas, infelizmente, uma delas é ser desmascarada.

Como vocês já estão cansados de saber, sou o tipo de pessoa que não pode ver uma série nova sendo lançada que já quer assistir. Foi desse jeito com Younger. Assim que descobri que a Hilary Duff estaria no elenco, a vontade aumentou ainda mais. E não deu outra, assisti e amei.
Imaginem a minha surpresa quando descobri que a série linda era adaptada de um livro lindo? Tive que ler, não é.

Younger nos apresenta a Alice Green, uma mulher de 44 anos totalmente perdida na vida. Há um ano o marido de Alice a largou por uma mulher com a metade de sua idade, sua mãe morreu e, para completar o abandono, sua filha Diana se mudou para África!

Alice agora não sabe o que fazer, sua vida foi dedicada ao marido e à filha. Sem uma ocupação, ela decide procurar emprego e descobre que não é tão fácil assim para uma mulher com os seus quarenta e poucos anos.

A história se inicia com Alice pegando a balsa de Nova Jérsei, onde mora, para Manhattan na virada do ano. Chegando à cidade, ela se encontra com Maggie, sua amiga de longa data.

Maggie é absolutamente hilária. Percebendo o estado de espírito da amiga, ela encarna a Isabela Fiorentino e faz uma transformação digna de Esquadrão da Moda em Alice. Depois de “reformada”, Alice passa a se enxergar de forma diferente, percebe que não está tão velha quanto pensava e que ainda tem muito o que viver.

E para comprovar a eficiência da transformação, Maggie e Alice entram em um bar e lá encontram Josh. Josh é lindo, sarado, tatuado, com seus vinte e poucos anos, ou seja... um pedaço de mal caminho. Mas o melhor de tudo sobre ele? Ele pensa que Alice tem 29 anos! Até beijo de virada de ano rola, galera!

A partir daí, Alice deduz que se consegue enganar um cara sobre sua idade com o novo visual, conseguiria muito bem se passar por mais nova e conseguir um emprego! Após tentar de tudo na área em que é formada – literatura – Alice desiste a passa a tentar vagas de garçonete. Mas ela acaba desistindo disso também, depois que o dono de um restaurante a pediu para mostrar os peitos.

Tendo que encarar o fracasso e a eminente volta para casa, Alice resolve tentar novamente um emprego na Gentility, a editora em que trabalhou brevemente antes de engravidar de Diana.

E não é que deu certo? Não é o trabalho dos sonhos de Alice, que sonhava em trabalhar no Editorial, mas já é algo. Agora ela é a mais nova secretária de Teri, a temperamental e estressada chefe do departamento de Marketing.

O livro é, antes de mais nada, sobre aceitações. Alice dá um show e nos mostra que idade é só mais um número e que o que realmente importa é como nos sentimos sobre nós mesmos.

Acho que, pelo falo de se passar em Nova York, não consegui parar de comparar um pouquinho com Sex & The City. A vibe é a mesma, uma mulher com suas amigas se divertindo e sendo fantásticas na cidade que nunca dorme.

Mas o fato de eu comparar só aumenta a excelência do livro. Afinal, poucas heroínas podem ser comparadas à nossa eterna Carrie Bradshaw.

Um dos grandes pontos fortes do livro são os personagens. Pamela construiu personagens extremamente cativantes e humanos, de forma que conseguimos nos relacionar com eles. Alice é cheia de neuras e defeitos, e isso só nos faz querer ler mais e mais, até chegar a um final feliz para ela.

A escrita é envolvente e viciante. Daquelas que você deita para ler “só mais um capítulo” e quando percebe já é de manhã e você já acabou o livro todo. True history!

Quanto ao trabalho da editora, não tenho muito o que comentar. A capa poderia ser mais atrativa e nos dar uma ideia melhor do que esperar do livro. Mas um pequeno detalhe na mesma me encantou. Na parte superior, temos um pequeno aviso escrito: “ALARME: Quebre em caso de crise de meia idade”. São cuidados assim que sempre me fazem abrir um meio sorriso de agradecer por fazer parte desse universo tão mágico.

As folhas são amareladas, facilitando e muito a leitura, e a diagramação é simples e sem grandes extravagâncias.

Para as recomendações, devemos levar em conta que esse livro é um chick-lit e que é esperado que seja uma leitura leve e divertida. Recomendo para todos os fãs de Sex & the City e também para os fãs de Sophie Kinsella. Mas, se você simplesmente está procurando um livro de leitura rápida e sem muitas complicações, pegue logo um exemplar de Younger e devore, como eu fiz.
Mas chega de escrever por hoje. Vou embora, mas, como sempre, os deixo com uma pequena citação do livro.

"Só nós mesmas temos o poder de transformar nossos sonhos em realidade."

Beijinhos e até a próxima.

1 comentários:

  1. Oi Nathalia!
    Adorei a resenha <3 vire e mexe gosto de ler um chick-lit, leve e descontraído, só não acho muitos livros que me agradem na história, por isso não leio muito.
    Não sabia desse livro, da série,de nada haahah mas gostei s2 vou dar uma chance quando eu puder, confesso que também achei que a capa poderia ter mais atrativa, e o detalhe que mencionou ficou bem legal mesmo
    a parte que mais gostei: saber que o bonitão é lindo, tatuado e uau hahaha
    Um ótimo dia!
    Pan's Mind
    Monetizando na Web

    ResponderExcluir