20 de julho de 2015

Tá Na Estante :: '1 Milhão de Motivos Para Ca$ar' #419

POSTADO POR EM 20 de julho de 2015

Oi, gente. Tudo bem?


E tem mais uma resenha fresquinha chegando pra vocês. O livro da vez é um chick-lit, lançado pela Editora Record agora em julho. Vamos conferir?!

Livro: 1 Milhão de Motivos Para Ca$ar
Série: Jessica Wild (#01)
Autora: Gemma Townley
Editora: Record
Páginas: 392
Sinopse: Quatro milhões de libras. Para Jessica Wild, este é um valor que ela nunca mesmo, em seus sonhos mais loucos, conseguiria ter. Porém, é mais ou menos o quanto ganha quando sua amiga Grace morre e a deixa como herdeira. O único obstáculo entre Jess e a fortuna é um detalhezinho no testamento: seu nome aparece como Sra. Jessica Milton. A questão é que... bem... Grace sempre perguntava sobre a vida amorosa de Jess. Ela, por sua vez, descrente no amor e na felicidade conjugal, acabou inventando um namorado — que viria a se tornar seu marido — de mentira. O sortudo foi Anthony Milton, seu chefe. E agora Jess se vê em um beco sem saída: a única maneira de conseguir a herança é se casar com Anthony. Em cinquenta dias. E sem que ele saiba o verdadeiro motivo. Jessica então terá de usar todas as manobras possíveis para conseguir o sucesso da nova empreitada: o Projeto Casamento.

Jessica Wild perdeu a mãe cedo e nunca conheceu o pai. Por esse motivo, foi criada pela avó, que nem sabia de sua existência até precisar assumir a guarda da menina. No dia que Jessica chegou, o avô saiu de casa para morar com outra mulher e isso complicou a relação dela com a avó, que a tratava de forma impassível, com o objetivo de criá-la diferente da própria filha, que era uma decepção.

Assim, quando a avó decide morar em uma casa de repouso, Jess é totalmente  a favor. Em suas visitas ao local, ela acabou por conhecer a vizinha de quarto da avó, Grace Hampton, uma mulher sozinha de quem tornou-se amiga. Quando a avó de Jess falece, Grace paga todo o enterro e aproxima-se ainda mais da garota, que vai visitá-la sempre que pode e, ao contrário de quando era com a avó, ela fazia por prazer.

Grace é uma mulher romântica e em suas conversas com Jess, sempre insiste em saber dos detalhes da vida amorosa dela, que, para tornar a vida da amiga mais interessante, acaba por inventar um relacionamento com seu chefe, Anthony Milton, que logo vira um casamento. É tudo ficção, para deixar os dias de Grace mais alegres, mas Jessica não sabia o quanto isso ia lhe custar.

Numa noite de domingo, um homem bate na porta do apartamento que Jessica divide com sua amiga, Helen. Ele apresenta-se como Dr. Taylor e diz ser advogado de Grace e está lá para comunicar o falecimento de sua cliente e falar dos detalhes do testamento, já que Grace deixou tudo que tinha para ela. À princípio ela pensa que são alguns objetos pessoais para guardar de lembrança, mas logo descobre que Lady Hampton tinha muitas posses e a fortuna estava estimada em cerca de quatro milhões de libras. 

O problema é que o testamento estava em nome da Sra. Jessica Milton, porque Grace acreditava que Jess realmente tivesse se casado. Para retirar os bens, ela precisaria apresentar uma certidão de casamento, mas como fazer isso se era tudo uma farsa? E é aí que entra Helen com a brilhante ideia de criar o Projeto Casamento, para que Jessica se case com Anthony e tenha direito à herança. Tudo poderia ser visto por uma perspectiva otimista se não houvesse um porém: o testamento precisa ser reconhecido em até cinquenta dias, ou será anulado.

E agora? Como transformar Jessica Wild, a garota que não acredita no amor e é contra casamentos e dependência masculina, em uma mulher sensual e digna de se casar com o conceituado Anthony Milton? Mas se Jess quer pôr a mão na fortuna, precisará de todos os seus artifícios para conquistar Milton e casar-se em menos de cinquenta dias. Só que o destino gosta de pregar peças nas pessoas e talvez essa missão torne-se mais interessante do que ela esperava, mas ela estará ela preparada para enfrentar as consequências?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

Quando eu vi a capa desse livro, logo minha vontade de lê-lo bateu. Adoro um bom chick-lit e escrito por uma autora tão consagrada no gênero, a experiência seria no mínimo interessante. Então, quando solicitei, tratei de lê-lo assim que chegou e foi realmente interessante, mas não da forma que eu esperava.

A escrita de Gemma Townley é leve, descontraída e bem fluida, naquele estilo típico do chick-lit. A narrativa é feita em primeira pessoa na perspectiva da protagonista e acompanhar as peripécias de Jessica tornaram tudo ainda mais cômico. Há tempos eu não ria tanto durante uma leitura. Gemma conseguiu construir uma trama bem detalhada e ainda assim divertida, perfeita para ser lida em um intervalo de livros mais "tensos".

Sobre os personagens, o que posso dizer? Jessica é extremamente divertida e passou por poucas e boas no seu Projeto Casamento. Ela é uma mulher decidida, mas também muito insegura e cheia de neuras quanto ao amor e coisas do tipo. Meu único problema foi o fato de ela se chamar Jessica Wild, que é o mesmo nome de uma drag queen porto-riquenha que participou da segunda temporada de RuPaul's Drag Race. A todo instante eu imaginava a Jessica personagem como a Jessica drag e isso me fazia rir. E muito.



Os personagens secundários foram bem controversos pra mim. Anthony é aquele tipo de pessoa que eu simplesmente detesto. Empresário sucedido que leva tudo na lábia por ser importante. Jess mudou muito a personalidade quando passou a tentar conquistá-lo e acho que as mulheres não devem se rebaixar a esse papel por nada nesse mundo, muito menos por um homem. E temos Marcia, colega de serviço de Jess, que é uma mulher fútil e mesquinha, do tipo que se preocupa mais com as unhas do que com o emprego e acaba sobrecarregando Jess com suas funções.

Por outro lado temos a Helen, que é uma personagem fantástica e muito doida, sempre acompanhando a Jess nos momentos mais bizarros possíveis. E também temos a Ivana, uma prostituta contratada por Helen para ensinar Jess a ser sedutora. Não preciso dizer que as cenas mais hilárias foram as que Ivana tentava desempenhar sua função, certo?

Temos um indício de triângulo amoroso na história, com Max, o sócio de Anthony, na outra ponta, mas achei que Gemma se perdeu um pouco aí. Era palpável o sentimento que Jess sentia por Max, mas muitas vezes ela o desprezava sem motivo algum ou apenas para parecer mais interessante para Anthony. Já disse o quanto eu odeio esse cara?

O final foi o que me decepcionou e me fez tirar uma estrela do livro. Eu vinha montando uma teoria sobre os acontecimentos, mas a achei tão bizarra que nem levei em consideração. Então pensem no meu choque quando a vi se concretizando. Não acreditei que Townley tivesse seguido por essa linha e o modo como ela encerrou tudo não me soou legal. Claro que muitas águas vão rolar, já que esse é o primeiro livro de uma trilogia, mas confesso que achei desnecessária uma continuação e não tenho certeza se prosseguirei com a série.

Quanto à versão física do livro, está sensacional. A capa é maravilhosa e faz jus ao gênero do livro. É simples, com apenas alguns detalhes em verniz localizado no título. A contracapa também conta com detalhes em verniz, em forma de flores e folhas. Bem cute. A diagramação é simples, as folhas são amareladas e a fonte é grande. Sobre a revisão, não tenho nenhuma reclamação a fazer. Tudo do jeitinho que eu gosto, hehe.

1 Milhão de Motivos Para Ca$ar não é o melhor chick-lit do ano, mas merece atenção especial. É aquele tipo de livro que te diverte e ainda te faz pensar. Até onde você iria para alcançar um objetivo, por mais egoísta que ele seja? A leitura foi extremamente prazerosa e eu super recomendo. Se não te convenci, lembre que Gemma Townley é irmã de Sophie Kinsella e o talento para a escrita está no DNA,

Beijos e até a próxima!

0 comentários:

Postar um comentário