21 de julho de 2015

Tá Na Estante :: 'O que o amor esconde' #420

POSTADO POR EM 21 de julho de 2015

Heeey, mates.


'O que o amor esconde' chegou até mim nos 45 minutos do segundo tempo. Desconhecia a autora e a história, mas havia algo na sinopse e nessa capa que me atraíram diretamente para a história escrita por Dorothy Koomson e agora vocês vão saber como eu fui fascinada por esse thriller psicológico.

Livro: O Que o Amor Esconde
Autora: Dorothy Koomson
Editora: Fundamento
Páginas: 400
Sinopse: Nem sempre os fantasmas do passado permanecem onde deveriam... Libby Rabvena tem uma vida confortável ao lado de Jack, seu amável marido. Mas ele parece ainda não ter superado a perda de Eve, sua primeira mulher, que morreu de forma trágica e misteriosa na mesma casa em que eles vivem agora. Depois de sofrerem um horrível acidente de carro, do qual Jack sai praticamente ileso e Libby se fere gravemente, ela encontra os diários de Eve escondidos em sua casa. Disposta a procurar pistas sobre Jack e conhecer melhor a mulher que ele amava, Libby decide lê-los e descobre que alguns segredos são difíceis de suportar... e que a morte de Eve pode não ter sido acidental. Com os terríveis segredos do passado prestes a vir à tona, Libby começa a temer por sua vida. Principalmente quando o suspeito do crime pode estar sentado no sofá da sala, bem ao seu lado...

                                                           


Falar de um thriller psicológico sem dar uma pista do que pode vir acontecer no futuro da trama é bem mais difícil do que aparenta ser e eu vou lutar para não estragar a surpresa para ninguém aqui, mesmo que a minha vontade de dar um spoiler seja muito tentadora.

'O que o amor esconde' começa com Libby sofrendo um acidente de carro, aparentemente muito grave, que desperta subitamente memórias de sua relação com Jack. Como uma moeda, essa relação tem dois lados, o bom e o ruim, e é nesse segundo que o passado de Jack se torna um fantasma na vida de Libby.

Libby não se importava muito com a ex-esposa de Jack, mas isso muda quando os dois sofrem um acidente, onde apenas ela fica gravemente ferida. Desconfiável? Desocupada, Libby acaba se distraindo com alguns antigos diários encontrados em sua casa e todos eles pertenciam a Eve, a falecida ex-esposa de Jack. Libby fica muito fragilizada após o acidente, começando a questionar até mesmo a sua aparência. Os diários se tornam uma ponte para descobrir o passado de Jack e até mesmo, uma distração para sua mente a esmo.

Incluindo mais um problema a listinha de Libby, um detetive se torna figura presente na vida de Jack e as suas acusações atingem a frágil relação de Libby e Jack a levando direto a uma busca pela verdade, e os diários de Eve se tornam a sua melhor arma.

Com um convidativo 'Não leia, apenas queime' no inicio do diário, Libby claramente não obedeceu aquelas palavras, atrevendo-se jogar naquelas páginas em busca de respostas. O que aconteceu com Eve? O que Jack não está lhe contando? Quais são as chances de Libby ser a próxima Eve? Como confiar em seu marido quando ele não lhe dá muita segurança para isso com suas atitudes escusas e impenetrável passado?

A morte misteriosa de Eve é o grande mistério por trás de 'O Que o Amor esconde'. O suspense e mistério são as chaves para nos contar lentamente o que aconteceu com Eve, através dos pontos de vistas de Jack e Libby - e o mais importante: trechos do diário de Eve, único contado direto que temos com a personagem. É bem claro o enorme abismo existente entre Libby e Jack. Eles são pólos opostos, mas que de certo modo acabam se encontrando e despertando um no outro um peculiar sentimento. Com o decorrer da história, vemos que essa oposição que os separava demarca bem as suas opiniões sobre as tramas por trás da história.  Como todo livro de suspense que se preze, 'O que o amor esconde' entrega aos leitores diversas pistas para este buscar compreender a história de Libby, Jack e Eve sozinhos.

Quem era Jack? É uma das grandes questões por trás dessa história. Logo nas primeiras páginas, acreditamos que Jack é um mulherengo impenetrável, com o decorrer da história e pelo privilegio de conhecer o seu ponto de vista, descobrimos que Jack foi tocado pela insegurança e pesar após a perda do grande amor da sua vida, Eve. Sua morte foi misteriosa e questionável, o que o colocou na ponta da pirâmide de possíveis assassinos, ainda mais com o seu passado intocável. O homem que Jack é hoje é apenas uma camada do homem que ele era verdadeiramente há anos atrás e descobrimos os motivos que o levaram a se tornar quem é através de seu ponto de vista.

A outra grande questão é: Quem foi Eve? Uma mulher tão simples e bonita quanto Libby, mas sofrida. Existe uma semelhança entre Libby e Eve que nos leva a acreditar que Jack apenas se apaixonou perdidamente por Libby, por ela lembrar-lhe de sua falecida esposa.

Se eu gostei do livro? AMEI. Não conhecia o trabalho da britânica Dorothy Koomson e entortei um pouquinho os lábios quando descobri que o livro era dividido em pontos de vista, pois nem sempre o autor sabe aplicar muito bem isso - ainda mais em um suspense! Dorothy não só conseguiu trabalhar muito bem com esse formato particular de escrita e desenvolvimento de história, como tornou a sua história interessante, envolvente e perturbadoramente angustiante. É fácil nos envolvermos com Libby: ela é engraçada, esperta e simpática aos nossos olhos. A sua determinação em descobrir a verdade, é a nossa determinação e isso nos une até o fim dessa jornada. Jack é irritante, manipulador, charmoso e sofrido, tanto quando Eve, e isso nos manipula a gostar e temê-lo. E Eve... quem foi Eve? Minha única reclamação não vai para a escrita de Dorothy ou a sua construção estrutural do romance, e sim para a divisão dos capítulos: achei desnecessário o tamanho extenso dos capítulos. Em alguns momentos sentia estar perto de finalizar o capítulo e mais um dia era apresentado, e outro, e outro... Isso começou a me cansar. Acreditava que ela poderia ter dado mais mobilidade aos pontos de vista, o que tornaria o livro mais constante, e menos preso.

Sobre o trabalho da Editora Fundamento foi muito bom com esse livro. A capa não é apenas atraente, como impactante e chamativa. O abuso do vermelho, o efeito estilhaçado (por todo o livro) e a fonte foram escolhidas a dedo. O trabalho de diagramação foi ótimo: o tamanho da letra está ótimo. Como disse, por todo o livro temos desenhos de um vidro estilhaçado. No inicio do capítulo descobrimos quem será a voz em nossa mente e existe um pequeno calendário marcando as datas dos eventos relatados pelos personagens, o que foi um charme a parte da história. Agora quanto a revisão, fiquei bem irritada encontrando vários erros de português - ao ponto de marcar com um lápis, viu? Acho um abuso encontrar erros de português em livros de uma editora grande, é passável quando o autor é independente e está iniciando a sua carreira (um revisor é caro e é necessário responsabilidade e confiança de ambas as partes para tal serviço), agora um livro em uma editora do porte da Fundamento sendo revisado e entregue com tantos erros? É bem chato, sabe? De qualquer forma, é passável. Pode incomodar, mas o livro é bom, então os erros são esquecíveis pelo prazer da história.

Recomendo esse livro para todos os apaixonados por thriller psicológicos, como eu e estão, principalmente, em busca de um novo autor para se apaixonar. Dorothy te espera, meus caros.

Beijos e até a próxima!

0 comentários:

Postar um comentário