23 de agosto de 2015

Tá Na Estante :: 'Belas Mentiras' #441

POSTADO POR EM 23 de agosto de 2015

Oi, gente. Tudo bem?


Olha eu aqui com mais uma resenha pra vocês. O escolhido de hoje é um new adult lançado esse mês pela editora Record. Vamos conferir?!

Livro: Belas Mentiras
Série: Pretty Series (#01)
Autora: M. Leighton
Editora: Record
Páginas: 280
Sinopse: Inocente, pura e doce, Sloane sempre foi superprotegida pela família, mas ela jurou a si mesma que, ao completar 21 anos, tudo seria diferente. E, quando o relógio bate meia-noite, Sloane está pronta para sair do casulo e quebrar algumas regras. O jovem Hemi tem vários talentos, mas manter o controle, infelizmente, não é um deles. Acostumado a fazer o que sempre quis, nunca precisou se importar muito com as consequências de seus atos. Até que uma tragédia mudou para sempre sua vida. Agora ele tem apenas uma missão, e nada é capaz de afastá-lo de seu objetivo... Até conhecer Sloane. Mas nada que Sloane e Hemi viveram até hoje foi capaz de prepará-los para o que está por vir. Quando essas duas almas problemáticas se encontram, a conexão é imediata, e eles não têm outra escolha a não ser mergulhar em um mundo de loucura, paixão e devassidão. Porém, os dois têm algo a esconder, e logo vão descobrir que a tentação está nos pequenos detalhes. E é nos pequenos detalhes também que se encontram as mais belas mentiras.

Sloane Locke perdeu a mãe cedo e por isso foi criada à sombra do pai e de três irmãos mais velhos. Tudo o que ela queria era ser livre, mas a proteção da família e o desejo deles de que ela se tornasse uma lady não permitiam que a garota pudesse ser o que desejava. Agora que completou 21 anos, Sloane está finalmente apta a soltar suas amarras e seu primeiro ato de imposição é fazer uma tatuagem.

Dessa forma, ao lado de sua única amiga Sarah, Sloane vai até o estúdio de tatuagem onde conhece o charmoso e sexy Hemi. Uma atração inegável nasce entre os dois ali mesmo, no cubículo de trabalho de Hemi, mas Sloane é uma garota certinha e inocente demais, coisa que Hemi quer evitar a todo custo e por isso a afasta.

Conforme as sessões de pintura da tatuagem vão acontecendo, Sloane e Hemi vão conhecendo mais um ao outro e descobrem interesses em comum. O principal é a paixão pela arte. Sloane estuda artes plásticas na Universidade, mas não sabe o que fará em seu futuro. E eis que Hemi percebe o talento da garota e sugere que ela pode ganhar a vida fazendo tatuagens assim como ele. 

Após muita insistência de Sloane e com um interesse misterioso, Hemi aceita ser o mentor da menina e ensiná-la a arte de tatuar. O que ele não esperava é que essa proximidade com Sloane despertaria nele emoções há muito adormecidas e que ele tentava esconder a todo custo. E Sloane finalmente pode ter encontrado o cara digno de tirar sua virgindade. Hemi parece ser o cara perfeito, mesmo quando tenta afastá-la.

Com os sentimentos em conflito, os dois entram em uma relação, mas os fantasmas no armário de cada um podem dificultar o andamento de sua história. Será essa paixão capaz de resistir a segredos e belas mentiras?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

Eu sempre ouvi falar muito bem da outra trilogia de M. Leighton, Bad Boys, e estava curioso a respeito de sua escrita. Então, quando soube do lançamento de Belas Mentiras aqui no Brasil, tratei de solicitar meu exemplar e me aventurar na leitura assim que possível. Adoro um bom new adult e minhas expectativas para esse estavam bem altas. Por isso a decepção bateu mais forte do que eu esperava.

A escrita de M. Leighton é viciante, não há como contestar. Alternando os pontos de vista de Hemi e Sloane a cada capítulo, a autora conseguiu me prender logo nas primeiras páginas e isso é muito bom, tendo em vista que eu estava em uma ressaca maldita. O problema do livro é que Leighton não inovou em nada, abusando dos clichês e da previsibilidade.

Sabe aquele new adult onde a mocinha é pura e inocente e conhece o bad boy "tira calcinhas com o olhar", se derrete por ele e os dois entram em uma relação repleta de conflitos e prazer? Então. Essa fórmula já está batida na literatura. Foi impossível evitar as comparações com outros livros do gênero que li e isso me chateou muito.

Um ponto positivo que me cativou bastante foi o modo como a autora desenvolveu as cenas mais hots. Particularmente, não gosto daquela coisa explícita dos livros eróticos, mas também não gosto das cenas lights demais que encontro em alguns new adults, quando claramente devia ser algo mais "caliente". Leighton conseguiu me convencer ao criar um meio termo que não se encontra em muitos livros por aí. Era ao mesmo tempo sexy e romântico. Gostei muito.

Os personagens foram bem construídos, apesar de suas personalidades nada cativantes. Me identifiquei bastante com Sloane e sua necessidade de livrar-se das amarras ao atingir a maioridade. Até dei uns conselhos mentais pra ela, indicando que ser adulto não muda praticamente nada na sua vida, a idade é só um número. Só que algumas atitudes da protagonista me irritaram muito. Ela queria provar ao pai e aos irmãos que era uma mulher crescida, mas fazia isso de maneira tão errada e estúpida, que eu tinha vontade de lhe dar uns tapas.

Já Hemi e eu tivemos uma relação de amor e ódio. Amor até a metade do livro, na fase da conquista e conforme ele e Sloane iam se envolvendo. Porém, depois de conhecer sua carga emocional e seu 'drama', não consegui mais gostar dele. Achei tudo forçado demais. Sem querer desmerecer o personagem, mas eu encontrei outras formas muito mais fáceis dele resolver seus problemas sem precisar ferir ninguém.

Sobre o final, posso passar horas aqui criticando, mas acho que vocês não vão querer ouvir. Por se tratar de uma trilogia, imaginei que M. Leighton desenvolveria todo o drama no decorrer dos próximos livros, mas a autora acelerou o final para encerrar este livro e escrever o próximo sobre outro personagem. Vocês devem ter noção do quanto isso é frustrante. Virei a última página com aquele revirar de olhos característico e diminuí uma estrela do livro.

Belas Mentiras está longe de ser o melhor new adult que já li, mas também não chega a ser um dos piores. Acredito que muitas pessoas podem gostar do que vão encontrar e é por isso que recomendo a leitura. Entretanto, se vocês são fãs do gênero assim como eu, melhor ficar longe pra decepção não acontecer.

Beijos e até a próxima!


***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
CLIQUE AQUI e saiba como participar. 

8 comentários:

  1. Achei uma história muito boa, mesmo sendo clichê, mas eu costumo amar os livros que você ama, e se você disse que o final não é legal, eu tô passando correndo desse livro. Eu estou traumatizada com alguns finais de livros e não quero aumentar o meu tormento, rs. Mas enfim, talvez leria esse livro, de maneira despretensiosa, e não por agora.

    ResponderExcluir
  2. O livro não me interessou muito, já li alguns com essa fórmula de mocinha certa e badboy, talvez em algum momento eu leia, mas por enquanto não é um dos desejados.

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    Achei a capa bonita, e a sinopse me interessou. Apesar da resenha está bem legal, me desinteressei totalmente no livro. Não gosto muito de new adults, e esse por ser clichê já sei o que esperar. Foi bom saber mais sobre ele, pois pela primeira impressão compraria. Mas pela resenha sei que não vou gostar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Gostei da capa e da história do livro. E só de saber que o livro tem capítulos alternados me conquista ainda mais, gosto de livros que é contado por mais de um personagem, deixa o livro mais interessante.

    ResponderExcluir
  5. amei a capa, e a historia me interessou bastante! mas ai vem o lado que eu sou fa do genero e nao quero me decepcionar, entao deixa para a proxima mesmo!

    ResponderExcluir
  6. Oi Leo, tudo bem? Tenho lido poucos New Adult ultimamente, e esse não me chamou a atenção. Até entendo que alguns enredos podem ser clichês, mas isso não impede da autora criar algo bom com isso, mas odeio previsibilidade. Entretanto, é bom saber que o livro possui alguns pontos positivos, como essa questão das cenas de sexo que você mencionou.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  7. Sinceramente não curto hot. Mas os que li gostei bastante (só o 50 tons e uns da Harlequin).
    Não me interessei por esse, mas gostei da Sloane, ela parece ser legal e o fato de ter tatuadores e tal é bom também! Nunca li nada sobre tatuadores, acho tatuagem um barato!!! Só ainda não tenho coragem de fazer uma! rsrsrsrsrs
    bjos

    ResponderExcluir
  8. New Adult não é um gênero que curto muito. Mas, me interessei por este livro, Belas Mentiras. Achei a protagonista, Sloane, encantadora. Por fim, me decepcionei com a classificação dada e as críticas negativas.

    ResponderExcluir