23 de novembro de 2015

Tá Na Estante :: 'A Torre Partida' #476

POSTADO POR EM 23 de novembro de 2015

Oi, gente. Tudo bem?


Estou de volta com mais uma resenha para vocês. Além disso, mais uma vez trouxe minha querida amiga Andressa Leal, do blog Mais que Livros, pra compartilhar esse momento. Vamos conferir?!

Livro: A Torre Partida
Série: Saga da Terra Conquistada (#02)
Autor: J. Barton Mitchell
Editora: Jangada
Páginas: 472
Sinopse: Neste segundo volume da Saga da Terra Conquistada, Mira, Holt, Zoey e Max embarcam numa jornada épica em busca da Torre Partida - um marco famoso e sombrio no meio do cenário mais perigoso do mundo: as Terras Estranhas. Os poderes de Zoey despertam, mas quem ela é continua sendo um mistério. Tudo o que ela sabe é que precisa chegar à Torre Partida. Os alienígenas, chamados pelos sobreviventes de Confederados, perseguem Zoey, e entre eles um novo grupo cujas intenções parecem diferir das dos demais. Para tornar tudo pior, o Bando - grupo que persegue Holt - também está nas Terras Estranhas, liderado por uma bela e ameaçadora pirata chamada Ravan. Assim como o primeiro amor de Mira, Benjamin Aubertine, cuja ambição desmedida para chegar à misteriosa Torre pode levar todos à morte. E há também as próprias Terras Estranhas, que inexplicavelmente começam a se expandir, tornando-se ainda mais poderosas e mortais. De alguma forma, tudo parece ligado à Zoey, e quanto mais perto da Torre mais enfraquecida ela parece ficar.

Zoey entrou na vida de Holt e Mira de maneira nada convencional - como se alguma coisa nesse grupo fosse - e eles não conseguiram mais dizer não a essa garotinha fofa e cheia de poderes. Quando descobriram que seria necessário levá-la até a Torre Partida, estavam cientes do quão difícil seria a jornada. Afinal de contas, ninguém atravessou as Terras Estranhas e voltou para contar como foi a experiência. Só que agora será ainda pior, já que todo o conhecimento que tinham sobre o lugar parece não valer mais de nada. 

As Terra Estranhas sempre foram sombrias e cheia de anomalias, mas ela está se tornando ainda mais inóspita! De uma forma inexplicável, o lugar está se expandindo e quando mais perto da Torre, mais fraca a pequena Zoey fica. Será que esses dois fatos possuem alguma ligação?

Ainda mais devastador do que o ambiente que os cerca, é o passado de cada um, que leva grupos totalmente distintos a persegui-los nas Terras Estranhas, tornando essa aventura ainda mais perigosa. 

Os Confederados estão atrás de Zoey desde que ela aterrissou na floresta e não se acovardam com o lugar, ao contrário, parecem cada vez mais dispostos a capturá-la. Benjamin, o primeiro amor de Mira, sempre foi ambicioso e não mede esforços para alcançar seu objetivo, que é chegar à Torre Partida. Ele está colocando a vida de todos em risco com as suas atitudes, mas quem disse que ele se importa? 

No primeiro livro, a única informação que temos sobre o passado de Holt é que ele está fugindo do Bando, mas não sabemos o porquê. Agora descobrimos mais sobre esse grupo de piratas e sobre sua líder Ravan, que teve um envolvimento com Holt no passado e algo aconteceu, fazendo com que esta guardasse muita mágoa dele. Eles são os menos interessados em estar naquele lugar e por isso instigam muito o leitor... Digamos que no final as coisas são b-o-m-b-á-s-t-i-c-a-s.

Esse livro foi muito aguardado por nós! J. Barton Mitchell conseguiu se superar escrevendo uma sequência de tirar o fôlego, que prende o leitor da primeira à última página. Depois de tantas perguntas, finalmente o autor nos presenteou com inúmeras respostas.

Narrado em terceira pessoa e dividido em capítulos e partes, o livro segue a mesma dinâmica que seu antecessor. A maior diferença é que, se antes Holt tinha um grande destaque, agora o foco está majoritariamente em Mira e Zoey. O leitor terá uma surpresa em relação as pessoas que a narrativa acompanha. 

Mas o que não é surpreendente nesse livro? Iniciando exatamente onde o outro termina, a ação começa a se desenrolar nos primeiros parágrafos e vocês podem se preparar para só largar o livro depois que chegar ao ponto final. Como fizemos uma leitura simultânea, tivemos muitos momentos de surtos via WhatsApp. O que foi ótimo, porque não sei o que faria se não tivesse com quem dividir esses acontecimentos.

Um ponto fortíssimo da história de J. Barton são os personagens. Eles são cativantes, intrigantes, brilhantes e todos os outros -antes que você imaginar. Há um crescimento significativo dos personagens, principalmente de Zoey. Em alguns momentos ela foi tão madura que cheguei a me assustar, mas ela fez apenas o que era necessário. 

Assim como Mira, que precisou enfrentar todos os seus medos para finalmente acreditar que ela era capaz sim. A sua relação com Holt também se aprofunda um pouco mais. Pelo menos agora os dois conseguem admitir que se preocupam um com o outro e que há um sentimento pairando sobre suas cabeças. Mas não são só eles, todos os personagens que entram nessa história são inteligentes e determinados. Não tem um que não seja relevante.

Para combinar com uma história incrível, temos uma edição física impecável! A editora manteve a capa original, que combina muito com a trama. Internamente a diagramação é simples e agradável para o leitor, já que a fonte e os espaçamentos estão em um ótimo tamanho. As páginas são amareladas e não encontramos nenhum erro de revisão.

Mais uma vez o autor finalizou o livro deixando aquela sensação de 'preciso desesperadamente da continuação'. A boa notícia é que Vale das Chamas, o último livro da trilogia, chega ao Brasil ainda esse ano! Então não perde mais tempo, gente, corre para conhecer essa história. JÁ!

Beijos e até a próxima!

0 comentários:

Postar um comentário