25 de junho de 2016

Tá Na Estante :: 'Além-Mundos' #544

POSTADO POR EM 25 de junho de 2016

Oi, gente. Tudo bem?


Aqui é a Denise, do blog Sacudindo as Palavras, e hoje estou aqui, a convite do Leo, pra falar de um livro que li recentemente e gostei muito. Bora conhecer?!

Livro: Além-Mundos
Autor: Scott Westerfeld
Editora: Galera Record
Páginas: 546
Sinopse: Scott Westerfeld, autor da série Feios, retorna em mais uma aventura de tirar o fôlego. Darcy Patel escreveu seu primeiro livro em um mês. Não muito tempo depois, se mudou para Nova York, para realizar o sonho de viver de escrever. Lizzie se prepara para mais uma viagem de avião, até terroristas invadirem o aeroporto e começarem a atirar em todos. Desesperada, Lizzie se joga no chão. Eu estou morta, eu estou morta... No fim, está tão convencida de pertencer ao lugar dos mortos que acaba atravessando a fronteira do além-mundo. Darcy criou Lizzie. A menina de Além-mundos é sua protagonista. Enquanto Lizzie se vê cada vez mais envolvida nos assuntos dos mortos e do submundo, Darcy luta para se manter no paraíso do YA, na Big Apple, e quanto mais Darcy aprende e amadurece, mais a história de Lizzie também cresce. Ou seria o contrário? Sempre atravessando as barreiras entremundos, as duas irão se redescobrir, se reescrever e explorar os infinitos mundos dentro de si mesmas.
Em Além-Mundos conhecemos Darcy Patel, uma garota de 18 anos que escreveu o seu primeiro livro em um mês. Pouco tempo depois ela consegue um contrato com uma grande editora e vai para Nova York para realizar o sonho de todo autor que é viver da escrita. Só que nem tudo são rosas. Darcy tem muitas dúvidas com relação ao seu livro e de si mesma.



No livro também conhecemos Lizzie, que está aguardando o seu voo para voltar pra casa, depois de passar as suas férias com o pai. Tudo ia muito bem até que terroristas invadem o aeroporto onde Lizzie estava e começam a atirar em todo mundo. Desesperada, a menina liga para a emergência, onde a atendente diz para ela atirar-se no chão e fingir-se de morta. E é o que Lizzie faz. Ao se deitar no chão, ela fica pensando e repetindo em sua mente "Eu estou morta... Eu estou morta", até que finalmente abre os olhos e percebe que tudo está cinza, sem cor.

Lizzie ficou tão convencida de que estava morta que acabou atravessando para o Além-Mundos, que é onde os fantasmas das pessoas vivem, além dos psicopompos - ou ceifadores - que são responsáveis por conduzir os espíritos. Lá ela também descobre que é um psicopompo e que além de poder atravessar para o Além-Mundos, também vai descobrir que não estava tão sozinha assim no lado dos vivos.
"Só se lembre: nem sempre as coisas que escrevemos são o que nós somos."
Acho que você deve estar um pouquinho confuso agora, né?! Mas calma que vou explicar! Lizzie é a protagonista do livro de Darcy, que se chama Além-Mundos. E enquanto lemos a obra de Scott Westerfeld acabamos lendo não um, mas dois livros. Enquanto somos introduzidos no mundo de Darcy e nas dificuldades e inseguranças de se publicar um livro, também vamos nos envolvendo no mundo de Lizzie e no submundo que vamos descobrir junto com ela.

Mas para saber o que vai acontecer com a Darcy e descobrir o que ela vai aprontar com Lizzie, só lendo Além-Mundos para descobrir!



Confesso que peguei o livro para ler com um pouco de receio por causa do tamanho dele. Livros muito grandes acabam por se tornar cansativos e arrastados para mim, ainda mais quando tenho outros livros para ler. Entretanto, Além-Mundos foi um livro relativamente tranquilo, só tenho uma ressalva que falarei mais para a frente. 

O livro é narrado em terceira pessoa e é dividido em dois. Os capítulos ímpares são narrados pela Darcy e contam a história dela e de como é o mundo por trás dos lançamentos dos livros. Já os capítulos pares, que também contém traços em cima e embaixo de onde está escrito o capítulo e o respectivo número, são narrados por Lizzie e contam a história do Além-Mundos.

E agora começam as minhas reclamações. Essa coisa de misturar duas histórias acabou com que eu não gostasse tanto do livro assim. Quando eu iniciei a leitura e ainda estava me ambientando ao cenário e a troca de "livro", até que estava curtindo ver os dois lados. Mas chegou certa hora que comecei a me simpatizar mais pela história da Lizzie do que da Darcy.

Darcy mostra como é a pressão de ter que escrever, publicar um livro, lidar com as críticas e tudo o mais, mas por vezes ela se mostra muito insegura com coisas que ela não precisava e isso começou a me irritar nos capítulos que ela narrava. Tudo bem que ela é nova nessa coisa de escritora e que está "se descobrindo" como pessoa e tudo mais, mas não precisa ser tão chata.


Já com a Lizzie, eu simpatizei logo de cara (tirando a parte do romance, que me incomodou um pouco). Logo no começo do livro me vi empolgada e presa em sua história, pois o modo como o lado dela é conduzido é bem mais leve e fluido, e eu me via louca para saber como aquilo ia terminar. Mas daí tinha a troca dos capítulos e eu me via desanimada para continuar a história com o ponto de vista da Darcy.
"O mundo sempre tem mais detalhes do que é possível se lembrar, mais do que é possível ver, e mil vezes mais do que é possível escrever. Estamos sempre apagando e esquecendo muito mais do que conseguimos expressar em palavras."
Em um todo, o livro é muito bom. Só acho que ele poderia ter sido escrito de modo separado, pois muitas vezes nas partes da Darcy ela soltava spoilers do que aconteceria com a Lizzie e eu ficava com um pouquinho de raiva disso. 

A edição do livro me agradou, está bem bonita, e só encontrei dois erros durante a leitura que me incomodaram um pouco, mas tirando isso, o livro está perfeito. E para a minha primeira experiência com a escrita do Scott, acho que foi muito boa. Gostei do modo que ele escreve e pretendo dar outras chances para os outros livros dele. Então deixo aqui a minha recomendação de Além-Mundos para que você leiam.

Beijinhos e até mais!
***
Esta postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
Clique aqui e saiba como participar.

8 comentários:

  1. Não me animei muito para ler esse livro. :/ KKKKK

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Do autor eu tenho Feios como meta de leitura para 2016, mais nada impede de conhecer sua escrita por essa obra, que parecia misturar muito bem a vida de um escritor, o livro que é escrito e a autora do livro escrito sendo levada pelo universo que ela mesma criou ( falando assim parece mesmo confuso) fiquei meio instigada pelo tamanho do livro, mas acho a história sera muito envolvente, é uma pena que em algumas partes se torne desprezivo ficar trocando de cenário, também fico muito nervosa quando o próprio livro nos da spoiler rsrs, estarei lendo o livro e vejo o que acharei dos personagens

    ResponderExcluir
  4. Olá, Denise.
    Eu li uma série do autor e gostei bastante da escrita dele. mas não sei se leria esse livro. Geralmente gosto de narrações e histórias alternadas entre os capítulos, mas quando as duas são boas. Então não sei se leria.

    ResponderExcluir
  5. Eu li um livro do autor, Feios, mas achei que o autor não explorou o potencial da história e os personagens eram bem infantis. Depois disso, não li mais nada dele.
    Por esse motivo estou um pouco receosa de ler Além-mundos. Até achei a premissa do livro interessante, mas acho que ter dois livros em um pode não ter sido tão bom assim, uma vez que Darcy parece ser um pouco chata.
    Não sei se vou ler o livro.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Não li nada desse autor. Tenho curiosidade sobre esse livro, mas parece ser um enredo um pouco confuso, não sei se vou gostar. A sua resenha está perfeita, bem detalhada e muito clara. Talvez venha a ler, se tiver oportunidade. Vamos ver. Obrigada. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Adorei esse livro quando vi o vídeo no Canal Estante Secreta Record falando um pouco sobre a história, mas agora fiquei mais curioso e com vontade de ler. :D

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Nunca li nada do autor, mas achei interessante isso de mesclar as duas histórias. E a vida dela na nova cidade, não é? Só isso já é uma aventura suficiente.
    Beijos.

    ResponderExcluir