26 outubro, 2016

Devemos investir no inglês?

Heeey, gente. Tudo bem??

Sabe quando a gente conclui uma leitura e fica louco pela continuação, mas o bendito do livro só tem em inglês? Nestas horas a gente senta e chora por não entender uma mísera palavra do idioma mais falado do mundo, ou até por entender algumas, mas não conseguir associar. Não está sendo fácil!

Aprender inglês não é mais um luxo, é uma necessidade. Tanto para o nosso lazer, quanto para o nosso trabalho, principalmente na internet. Quando a gente trabalha com mídias sociais percebemos que boa parte das novidades vêm em inglês e para postarmos em primeira mão é preciso traduzi-las. Investir em um bom curso de inglês é uma ideia bem importante e necessária atualmente.

04 razões para se jogar no inglês

Ler os livros dos sonhos mais rápidos
Imagina aquela distopia que terminou no auge, a gente surta quando a continuação não vem, mesmo que já exista em inglês. Então imaginem comprar o e-book do livro e lê-lo sem nenhum impedimento, entendendo cada gíria existente e matando toda a curiosidade do nosso pequeno coração. Além disso, dá para bater um papo com o autor do livro e contar tudo o que estamos achando da trama sem deixar o cara confuso. O melhor dos dois mundos!
Não precisar esperar a legenda do trailer daquela adaptação maravigold
GAROTA! Vocês sabem que muitas vezes os trailers de adaptações saem na gringa, mas demoram algumas horinhas para sair no Brasil. Nesse meio tempo a gente fica assistindo e fingindo que tá entendendo… Imagina não precisar mais fingir?! Ô glória! Além disso dá para matar a curiosidade em cenas extras de filmes que não vem para o Brasil – como o caso do trailer de Logan.

Acompanhar canais literários gringos e preparar a wishlist do ano
Eu adoro assistir booktubers norte-americanos e ingleses, mas confesso que muitas vezes não entendo o que eles estão falando. No entanto, sempre me interesso pelas previews dos livros e fico bem ansiosa para saber quando chegarão até o Brasil. Entendendo bem o inglês eu e você poderemos assistir a esses booktubers, ficar por dentro das novidades, ler os livros e ainda voltar para discutir com eles. Gente, a gama de possibilidades de leituras vai abrir num nível… Até suei imaginando a pilha de livros, haha.
Realização profissional e pessoal
Muitas blogueiras aproveitam viagens internacionais para coletar material para postar. Impressões de diferentes lugares do mundo por meio de fotos, depoimentos e dicas de turismo podem render posts valiosos. Durante a estadia você poderá conversar com nativos e se aprofundar na cultura local, rendendo muito assunto para postar no blog.
Dominar o inglês é indispensável para a carreira profissional e acadêmica. Por outro lado, é sinônimo de autonomia: nada é melhor do que se sentir seguro para falar com nativos durante uma viagem.

Mas a grande questão é: Como e onde encontrar o curso de inglês ideal para você?
O curso de inglês deve preparar o aluno para lidar com situações cotidianas, para que o falante adquira fluência naturalmente. Na web existem algumas ferramentas para testar seus conhecimentos de inglês e também espanhol. Se jogue e não perca as oportunidades, a vida passa bem depressa.
Beijocas e até a próxima!!

***
Esta postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
Clique aqui e saiba como participar.

*Esta postagem é patrocinada, mas aprender inglês é importante mesmo, hein ♥

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário

8 Comentários

  • lidi
    31 outubro, 2016

    Essa é a minha meta para o próximo ano (já que esse ano o negócio tava difícil)começar um curso de inglês, to cansada de começar a ler um serie e ai a editora vai lá e cancela, ai é só em inglês.

  • Fernanda Mendonça
    31 outubro, 2016

    Concordo plenamente com sua postagem. EU tive muita dificuldade de aprender ingles e sempre que eu ia ler algo em ingles eu me sentia uma criança, sabe? lia tipo "o-me-ni-no-su-bi-u-na-ar-vo-re", mas isso foi só até eu pegar um livro que me engoliu (A série gatos guerreiros ahhahaha) e isso passou. COmecei até a participar de uns sorteios gringos hahahahaha

  • Maria Alves
    28 outubro, 2016

    Muito bom o post, devemos pelo menos falar uma língua diferente e o Inglês é a mais usada, minha filha esta fazendo um curso, espero que ela aprenda e vai me ensinando rs. Deve ser maravilhoso poder saber essa língua e ter acesso as novidades logo que saem e poder ler um livro então, pois dizem que muitas traduções não ficam boas.

  • GISLAINE LOPES
    27 outubro, 2016

    O meu maior problema com o Inglês está na escrita e na leitura, pois essa é a parte de estudo mesmo, onde eu deveria procurar fazer um curso, mas sempre enrolo e nunca faço. Quero aprender para, principalmente, ler livros em inglês e não ter que fica dependendo das editoras nacionais. Sem falar na quantidade de livros que são publicados lá fora que não tem seu direitos comprados pelas editoras nacionais.

  • Marta Izabel
    27 outubro, 2016

    Oi, Barbara!!
    Adorei essa postagem que ficou super bacana!! Acho que é sempre bom aprender coisas novas e aprender outra idioma é um ótimo começo!!
    Beijoss

  • Cristiane Dornelas
    26 outubro, 2016

    Meu curso de inglês ainda é aquele básico de série, filme legendado e música xD
    Nunca tentei um. Mas é bom saber mesmo. E quem nunca passou por aquele desespero que é ver o livro que você quer sendo lançado e demorando meses pra sair aqui. Ou nem sair…
    Só por isso já dá vontade de fazer um curso.

  • Michelli Prado
    26 outubro, 2016

    Muito bacana tua postagem! Minha irmã mais velha estuda inglês e sempre estamos conversando sobre isso, acho importante este conhecimento. Pois agrega a nos em vários fatores, e isso é bastante motivador mesmo. Tem muitas formas de aprender inglês tanto em cursos ou a distancia! Demais tua postagem Bah!! Beijoo♥

  • Luciana Campos
    26 outubro, 2016

    Oi, Barbara!
    Não poderia concordar mais com você! Sou muito grata aos meus pais por terem me colocado pra fazer inglês logo cedo, e hoje colho os frutos disso. Pra mim o ponto mais importante foi mesmo a realização profissional e pessoal.