15 de outubro de 2016

Tá Na Estante :: 'A Maldição do Vencedor' #584

POSTADO POR EM 15 de outubro de 2016

Oi, gente. Tudo bem?


A vida anda bastante corrida, mas aproveitei o feriadão pra colocar as leituras em dia e hoje vim contar pra vocês o que achei de um livro que recebeu bastante hype na época do lançamento. Vamos conferir?!

Livro: A Maldição do Vencedor
Série: The Winner's Curse (#01)
Autora: Marie Rutkoski
Editora: Plataforma 21
Páginas: 328
Sinopse: Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai – o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos –, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A maldição do vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita.
Nessa sociedade, o povo valoriano conquistou e escravizou os herranis após uma guerra épica, que entrou para os livros de história e mudou o rumo de toda uma nação. O pai de Kestrel é o general mais conhecido do Império, por ter sido um dos melhores soldados na guerra de expansão do território e a menina sofre com as expectativas do pai sobre ela.

Aos 17 anos, tudo que Kestrel deseja é tocar seu piano e jogar Morder e Picar com os amigos, mas isso não é o que o general Trajan deseja para sua única herdeira. Aos vinte anos, Kestrel deverá decidir se vai se alistar ou se casar, mas nenhuma das opções lhe agrada. O pai tenta pressioná-la a entrar para o exército, mas apesar de ser uma grande estrategista, suas aptidões para batalha são nefastas.

Certo dia, enquanto caminha pelo centro da cidade com sua amiga Jess, Kestrel vai parar em meio a um leilão de escravos, algo que repudia com todas as forças. Porém, o primeiro herrani a ser ofertado atrai a atenção da moça com seus olhos cinzentos. Quando o leiloeiro anuncia que o escravo é um cantor, Kestrel age por impulso e acaba comprando o rapaz por uma quantia exorbitante.

O dinheiro não é problema para a família de Kestrel, mas o que ela vai fazer com mais um escravo? Quando percebe o erro que cometeu, a jovem deixa o escravo, Arin, a cargo do mordomo da residência e tenta esquecer que aquilo tudo aconteceu. Mas é claro que isso não será nem um pouco fácil. Algo em Arin despertou um sentimento dentro de Kestrel, que a está deixando extremamente confusa.

Aos poucos, Kestrel e Arin vão se aproximando e ela vai conhecendo mais sobre o misterioso escravo que comprou. Porém, será que o rapaz é exatamente quem diz? Arin possui inúmeros segredos que podem ferir Kestrel, mas quando a paixão fala mais alto, fica difícil resistir a tudo...

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

Quando a V&R anunciou o selo Plataforma 21 e seu primeiro lançamento, A Maldição do Vencedor, fiquei bastante empolgado. Já tinha visto a capa da obra blogosfera afora e estava bastante curioso a respeito do que a trama trataria. Então, quando recebi de parceria um exemplar da obra, quis ler assim que possível, mas não consegui. E me arrependi de não ter lido antes.

A escrita de Marie Rutkoski é simplesmente viciante. Sua trama não é muito original, mas ela conseguiu me prender e me deixar curioso acerca do que aconteceria. O livro é narrado em terceira pessoa e foca principalmente na perspectiva da protagonista Kestrel, mas alguns capítulos possuem também a visão de Arin.

Kestrel é uma protagonista que entra para o ranking daquela relação de amor e ódio. Ela é bastante a frente do seu tempo e tem ideias bastante maduras, mas em certos momentos surge aquele seu ar de menina mimada que faz birra quando não consegue o que quer e tenho vontade de estrangulá-la. Porém, no geral, gostei da inteligência e da sagacidade da personagem.

Quanto a Arin, não consegui me apaixonar por ele. Seu jeito de badboy sofrido foi interessante no comecinho, mas depois que ele se aproximou de Kestrel, perdi a paixão por ele. Fora que a ideia de romance entre os dois é muito nula. Sério. Não sei em que momento aquela paixão arrebatadora começou e isso não me convenceu nem um pouco.

Gostei bastante da forma com que Rutkoski apresentou a sociedade valoriana e seus costumes. É aquela típica sociedade onde as fofocas correm soltas e a reputação é o que mais importa, mas ao mesmo tempo tem um lado diferente, onde as mulheres podem também se alistar no exército e serem guerreiras, não apenas frágeis donzelas.

O desfecho foi bastante previsível, mas ainda sim envolvente. A autora soube desenrolar bem as cenas de ação e mostrar um lado ainda mais ágil da protagonista. Além disso, Rutkoski deixou um gancho para a continuação que me deixou intrigado. O segundo livro se chama O Crime do Vencedor e já foi lançado aqui no Brasil.

Sobre a edição física, a Plataforma 21 deu um grande show no seu primeiro lançamento. A capa é uma adaptação da original e é belíssima. A diagramação é muito bem trabalhada, as páginas são amareladas e a fonte é grande. Meu problema se deu com a revisão. Encontrei muitos errinhos durante a leitura e isso me incomodou um pouco, já que foram coisas bobas que poderiam ter sido evitadas.

A Maldição do Vencedor não é uma obra prima, mas é um livro que merece um bom destaque e que vale a pena ser lido. Com certeza recomendo e não vejo a hora de ler as continuações.

Beijos e até a próxima!
***
Esta postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA.
Clique aqui e saiba como participar.

10 comentários:

  1. Vivo dizendo que ão irei começar mais nenhuma, trilogia ou série, mas quando lançam livros com sinopses como esta é difícil resistir!
    A trama me parece bem interessante, estou curiosa com este escravo. Com certeza há segredos sobre sua identidade e um pouco de mistério e sempre bom.
    E esta capa está linda!!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei bem animada com esse livro quando vi o lançamento também. Já gostei do estilo e pensei que seria bem legal de ler, que era uma história que prometia ser forte e etc, dessas que gosto. Vi muita coisa bacana dele e acho que vale a pena a leitura. Mesmo que não seja aquele livro dos livros e tenha lá seus momentos um tanto previsíveis, ainda assim acho que tem uma trama muito boa e que prende. A escrita dela é boa. E o final dá vontade de ter o próximo logo pra ler, não é? Gostaria de ver como é essa história.

    ResponderExcluir
  3. Tenho ,muita vontade de ler esse livro, já ouvi falar tanto dele e a capa é linda, já tinha lido a sinopse e me interessei muito pela historia, é o tipo de livro que gosto, vou ter que esperar a lista de livros para ler diminuir antes de pensar em comprar este.

    ResponderExcluir
  4. Eu já estava super ansiosa para fazer a leitura desse livro, agora então... Só aguardando meu exemplar que comprei na loja virtual!

    ResponderExcluir
  5. Primeira resenha que confiro do livro, e confesso que fiquei bastante interessada sobre ele, achei sua historia bem original e foi o que mais me agradou! Espero que a série continue tão boa quanto o primeiro. Amei demais esta capa ♥

    ResponderExcluir
  6. Oi, Leonardo!!
    Estou muito curiosa sobre a história desse livro e fiquei mais ainda quando li a sua resenha. Gostei bastante da capa que muito interessante e chamativa. Bom espero ter a oportunidade de ler esse livro o mais breve possível.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  7. Oi, Leonardo!
    Diferente de você, eu achei sim a obra bem original! Principalmente no que diz respeito a ser possível que mulheres se alistem no exército em uma época assim e tudo mais. Só achei um pouco forçado como ocorreu essa compra de Arin, com a Kestrel simplesmente sendo levada a fazer aquilo...

    ResponderExcluir
  8. Achei a capa linda e foi ela que chamou minha atenção, sim Julgo um livro pela capa rs. Que pena o romance do casal não convencer, teria que conquistar o leitor para podermos torcer por eles. Já não gostei do pai dela, pois acho que os filhos deveriam escolher seu caminho sem interferência dos pais.

    ResponderExcluir
  9. Sempre vejo comentários negativos sobre esse livro, claro que a capa é belíssima e chama muito a atenção, não coloquei ele na minha lista, ainda mais com esses errinhos que você comentou, dá uma agonia no coração!

    ResponderExcluir
  10. Oi!!! Eu vi muita gente fazendo comentarios negativos e positivos sobre o livro, e por esse motivo eu não pretendo compra-lo antes de ler e julgar por mim mesma hehehehe Teoricamente a história parece do tipo q me agrada, mas vai saber

    ResponderExcluir