28 de fevereiro de 2017

Tá Na Estante :: 'Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter' #640

POSTADO POR EM 28 de fevereiro de 2017

Heeey, gente. Tudo bem?


Aproveitando esse Carnaval eu concluí mais uma leitura de romance de época e hoje vim contar para vocês o que achei do segundo volume da série Números do Amor, lançada pela editora Arqueiro.
Livro: Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter
Série: Números do Amor (#02)
Autora: Sarah MacLean
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Sinopse: Isabel Townsend não é exatamente o que se espera da filha de um conde. Apesar de ter a pele delicada e de saber se portar como uma dama quando necessário, a jovem também monta a cavalo, conserta telhados, administra a propriedade e cria o irmão caçula desde que a mãe faleceu – tudo isso sem despertar a menor suspeita de que não há um homem sequer para cuidar de sua família. Para o pai dela, que só queria se divertir e gastar dinheiro em jogatinas, pouco importava o que ela fizesse. Porém, quando ele morre, Isabel se vê sem recursos e precisa defender os direitos do irmão, ameaçados pela chegada iminente de um tutor. Assim, não lhe resta saída senão vender sua coleção de estátuas de mármore, o único bem que herdou. Para sorte sua, um especialista em antiguidades acaba de chegar ao condado. Inteligente e sensual, lorde Nicholas St. John é um solteiro convicto que deixou Londres para se livrar das jovens que passaram a persegui-lo desde que foi eleito um dos melhores partidos da cidade. Em poucos dias, fica claro para Nick que Isabel é a mulher mais obstinada e misteriosa – além da mais interessante – que já cruzou seu caminho. Ao mesmo tempo, ao conhecê-lo melhor, a independente Isabel percebe que há homens em que vale a pena confiar. Enquanto eles põem de lado suas antigas convicções, seus corações se abrem para dar uma chance ao amor.
Os gêmeos St. John foram abandonados pela mãe quando crianças e isso causou muito sofrimento para os dois. Contudo, Nicholas foi o mais afetado pelo abandono, retraindo-se e achando que nenhuma mulher é confiável, que não pode entregar seu coração para elas. Ele se envolveu com várias, é claro, mas nunca deixou avançar a ponto de se apaixonar.

Nicholas trabalha com peças de antiquário, mas tem uma habilidade incrível de rastrear pessoas e isso lhe deu a oportunidade de sair de Londres. O desejo de sair da cidade se deu depois que seu nome foi citado como um dos cavalheiros solteiros a ser conquistado, mas Nicholas não quer nem pensar em casamento. Ele agora tem a missão de encontrar a irmã de seu amigo que fugiu de casa.



De outro lado temos Isabel, uma moça extremamente guerreira. Depois da morte da mãe, ela cuidou do irmão mais novo, para que ele recebesse tudo que um futuro conde precisa, isso enquanto seu pai bebia e apostava sua mão em mesas de jogo.

A jovem transformou sua casa em uma Casa de Minerva, um abrigo para moças que buscam uma chance de recomeçar. Ela administra o lugar precisamente, escondendo da sociedade que não havia um homem ali para comandar a propriedade. E, quando Isabel descobre que o pai morreu, ela percebe que precisa de um plano logo, antes que seu tutor apareça e descubra seus segredos.


Com o objetivo de arrecadar dinheiro para transferir suas tuteladas para um novo local, Isabel resolve vender o conjunto de estátuas gregas, seu único bem pessoal, que não pertence ao condado do irmão. É quando seu destino cruza-se com o de Nicholas. Quer dizer, qual o melhor momento para um especialista em antiguidades aparecer por lá? E nem preciso dizer o que vai acontecer, preciso?

***

Quando eu li Nove Regras a Ignorar antes de se Apaixonar, me encantei com a narrativa de Sarah MacLean e todo romance desenvolvido na obra. Não sabia muito bem o que esperar de Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter, mas já tinha certeza que ia amar. E não é que eu estava certa?

Quem me conhece sabe que eu amo romances de época, mas se tem um tipo de história dentro desse gênero que me conquista é aquela em que a protagonista foge completamente dos padrões. Aqui temos uma moça que é muito à frente de seu tempo, que não almeja um casamento e preocupa-se em cuidar de quem precisa, além de praticamente criar seu irmão mais novo.

Amei muito a Calpúrnia no primeiro livro e também adorei conhecer a Isabel. Confesso que em alguns momentos ela me irritou, mas na maior parte do tempo eu sentia vontade de entrar na história só para aplaudir suas atitudes.

O romance foi um pouquinho de mais do mesmo. No primeiro livro Sarah conseguiu me entreter, mas aqui confesso que fiquei um tanto incomodada com o "vai-não-vai" dos protagonistas. Isabel e Nicholas não queriam se envolver, mas quando isso acontece e parece que vai deslanchar, acontece algo que os afasta...

Sarah MacLean com certeza se destaca no cenário do romance de época. Seus livros sempre passam uma mensagem interessante e mostram que há muito mais a ser explorado além do casamento. Sua escrita é sensacional, fluida de uma forma que me faz devorar suas obras num piscar de olhos. Já quero o terceiro volume dessa série!

Algo que me cativou muito nesse segundo livro, já que o romance não cumpriu seu papel, foi conhecer um pouco sobre as moças que habitavam a Casa de Minerva. Cada história tem seu peso emocional e gostaria muito de conhecê-las mais a fundo. Pesquisando, descobri que Georgiana, a moça que Nicholas procurava, é a protagonista do quarto livro da outra série da autora, publicada pela editora Gutenberg. Foi muito interessante saber que essas duas séries se interligam e já estou ansiosa para lê-la.

Sem mais delongas, Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter pode não ter sido tão bom quanto seu predecessor, mas com certeza valeu a leitura. O terceiro e último volume dessa trilogia será lançado ainda esse ano pela Arqueiro e vai se chamar Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir. Este será protagonizado pela irmã dos gêmeos, então já posso esperar muitas confusões a caminho. Estou empolgada!

Beijocas e até a próxima!!!
***
Esta postagem esta concorrendo ao COMENTÁRIO PREMIADO!
CLIQUE AQUI e saiba como participar.

5 comentários:

  1. Oi Barbara, tudo bem?
    Eu gosto bastante de romance de época, mas ultimamente estou ficando um pouco irritada porque as histórias estão seguindo quase sempre o mesmo caminho. Adorei essa protagonista que é bem diferente das mulheres da época, e tenho muita vontade de ler um romance de época que valorize as personagens femininas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adorei a personagem, por ser uma mulher de fibra e não pensa só nela, pois ajuda outras mulheres que estão com dificuldades e não deve ser nada fácil dar conta de tudo. Não gosto quando o romance fica no chove e não molha, ficam enrolando.

    ResponderExcluir
  3. Bárbara!
    Gosto também de romances onde a protagonista é bem a frente de seu tempo e a tal Calpúrnia (que nome, hein?) parece muito ousada mesmo e já gostei dela.
    Adoro quando as protagonistas femininas são valorizadas nos romances de época.
    Gostaria muito de fazer a leitura desse livro.
    “Não basta saber, é preferível saber aplicar. Não é o bastante querer, é preciso saber querer.” (Johann Goethe)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Barbara!!
    Adorei a resenha!! Também adoro livros de época!! Gosto muito quando as mocinha são forte e decididas!! Ainda não li esse livro mais espero fazer a leitura em breve!! Excelente indicação de leitura!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  5. AMEI A RESENHA !!!! E o livro I da série não encontrei, olhei na editora arqueiro, e na saraiva.Abraços

    ResponderExcluir