4 de março de 2017

Lançamento DarkLove - A Guerra que Salvou a Minha Vida

POSTADO POR EM 4 de março de 2017
A DarkSide Books começou o ano de 2017 adicionando ótimos títulos ao seu catálogo e um deles é A Guerra que Salvou a Minha Vida, um daqueles romances que você lê com um nó no peito, sorrisos no rosto e lágrimas nos olhos entre um parágrafo e outro e que foi eleito entre os melhores livros de 2015 pelo Wall Street Journal.


Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.

Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor.



Kimberly Brubaker Bradley consegue ir muito além do que se convencionou chamar “história de superação”. Seu livro é um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa.

Essa é uma das belas surpresas do livro: mostrar a guerra pelos olhos de uma menina, e não pelo ponto de vista de um soldado, que enfrenta a fome e a necessidade de abandonar seu lar. Assim como a protagonista, milhares de crianças precisaram deixar a família em Londres na esperança de escapar dos horrores dos bombardeios.


Combinando a ternura de Em Algum Lugar Nas Estrelas, outro título da coleção DarkLove, com a realidade angustiante de O Diário de Anne Frank, A GUERRA QUE SALVOU A MINHA VIDA apresenta uma perspectiva da Segunda Guerra Mundial vista pelos olhos de uma menina que se transforma em refugiada no seu próprio país. Mais uma oportunidade perfeita para emocionar corações de todas as idades e relembrar os valores do companheirismo e da amizade em todos os momentos da nossa vida. Vencedor do Newbery Honor Award, primeiro lugar na lista do New York Times e adotado em diversas escolas nos Estados Unidos.
Beijos e até a próxima!!!
***
Esta postagem esta concorrendo ao COMENTÁRIO PREMIADO!
CLIQUE AQUI e saiba como participar.

3 comentários:

  1. Gostei dessa capa, fiquei triste ao saber como Ada é tratada pela mãe por causa do pé, ela é uma boa menina, mas a mãe não a valoriza, se não prestasse talvez seria valorizada. Deve ser uma historia emocionante e com reflexões, a guerra em si mexe muito com as pessoas ainda mais vista por uma visão de uma garotinha deve ser bem angustiante.

    ResponderExcluir
  2. Weel!
    Gosto muito de livros ambientados em guerras e ver aqui uma narrativa através dos olhos inocentes e infantis de uma criança, deve ser uma leitura inédita e tenho certeza que será um sucesso aqui no Brasil.
    Bom final de semana!!
    “Se sabemos exatamente o que vamos fazer, para quê fazê-lo?” (Pablo Picasso)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Oi Wellyson,
    É bom ver que a editora está bem eclética e tem lançado livros de diferentes gêneros. A história já seria tocante o bastante se fosse só a garotinha tendo que lidar com os desafios da vida com a condição que física que ela tem, mas a autora ainda acrescentou na ambientação a 2ª Guerra Mundial, deixando a trama mais envolvente. Sem ter lido o livro já sei que vou gostar e me emocionar em conhecer a história de Ada. Quanto a edição, sinto que estou ficando muito repetitiva sempre que falo dos livros da Darkside, mas, como sempre, eles capricharam e esta edição está linda!!

    ResponderExcluir