26 de março de 2017

Tá Na Estante :: 'Casos de Família' #647

POSTADO POR EM 26 de março de 2017

E aí, pessoal! Tudo bem?


Hoje iremos falar sobre um livro pouco comum, que com certeza ainda pode ser considerado um pouco polêmico devido à enorme repercussão que seu conteúdo teve em todo o país: Casos de Família! Vamos conferir?

Livro: Casos de Família - Arquivos Richthofen e Nardoni
Autora: Ilana Casoy
Editora: DarkSide Books
Páginas: 528
Sinopse: Os crimes que impactaram o cenário policial nacional na ultima década, o assassinato do casal Richthofen e de Isabella Nardoni, foram reunidos em um só livro e trazem novos detalhes observados por quem estava nos bastidores. A criminóloga Ilana Casoy, em “Casos de Família: Arquivos Richthofen e Arquivos Nardoni”, abre pela primeira vez seus cadernos de anotações utilizados durante a pesquisa na Polícia Civil, Científica e Ministério Público dos dois crimes, tudo isso com a qualidade quase psicopata de edição, uma marca registrada de todos os títulos da Darkside Books. A pedido da editora, Ilana Casoy mergulhou em suas anotações particulares que está de volta com mais uma luxuosa reedição de suas obras, incluindo os inéditos fac-símiles de trechos dos seus cadernos. Primeira autora nacional dos “Caveirinhas”, na nova publicação traz para seus leitores o mistério desvendado de comentários originais dela mesma no calor dos acontecimentos e descobertas. Além de acompanhar passo a passo o rumo das investigações e julgamento dos assassinos que romperam a linha da lei e do sagrado, os sentimentos e dúvidas da autora ficam agora expostos ao público. 
Admito que quando o lançamento foi divulgado, fiquei meia hora rindo do título. Só conseguia pensar no programa cheio de lavagem de roupa suja que todos nós amamos. Mas passado o momento de palhaçada, fiquei realmente ansioso para desvendar os bastidores de dois dos crimes mais hediondos e comentados por todo o país: O caso Von Richthofen e o caso Nardoni.



Para entendermos um pouco sobre o nascimento desse livro, precisamos antes retroceder e olhar o cenário como um todo. Ilana Casoy – a autora do livro – é uma criminóloga, pesquisadora e consultora da Comissão de Política Criminal e Penitenciária da OAB SP. O livro Casos de Família nasceu da junção de dois de seus estudos: O Quinto Mandamento e A Prova é a Testemunha.

Ilana dedicou sua vida a estudar perfis psicológicos de criminosos, principalmente seriais killers. Então é realmente refrescante ler uma análise tão elaborada sob uma perspectiva de quem realmente entende do que está falando. Disso isso, vale ressaltar que todo o conteúdo do livro é extremamente gráfico e altamente não aconselhável para quem tem estômago fraco.

O livro é dividido em duas partes. Primeiro temos o caso de 2002, quando a jovem Susane Von Richthofen, junto com os irmãos Cravinho, matou brutalmente os pais enquanto os mesmos dormiam. Essa primeira análise é focada no caso como um todo: desde o descobrimento, as autópsias, a re-encenação, as acusações e o julgamento.



Ilana realmente nos imerge no cenário do crime com as suas anotações e seus estudos. É emocionante ler sobre possíveis motivações, possíveis suspeitos, até a confissão da própria Susane. Nesse caso, o fato dos acusados serem réus confessos proporciona uma dinâmica muito maior ao relato.

Sobre o caso em si não há muito o que falar, já que a história é nacionalmente conhecida. Só saliento que a maneira com que os fatos nos são apresentados realmente proporciona uma imersão que não seria possível antes, acompanhando tudo somente de longe.

A segunda parte do livro é dedicada ao caso Nardoni. O país inteiro parou em choque quando a notícia da morte da pequena Isabella Nardoni se espalhou. 

Ao contrário da primeira parte, aqui nos vemos focados no julgamento. A escrita aqui se torna mais técnica e muitos podem ter uma maior dificuldade de compreensão por isso. Creio que o foco somente no julgamento seja motivado pela falta de confissão dos acusados: Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá até hoje se declaram inocentes. E também pelo fato de se tratar do assassinato de uma criança, um pouco de respeito com a família é fundamental, acima de tudo.



Aqui encontramos descrições detalhadas de tudo o que ocorreu durante o julgamento, o testemunho da mãe da menina Isabella – que foi impedida de comparecer ao julgamento – até uma descrição extremamente vívida da frieza dos acusados.

O interessante sobre esse livro é perceber o quanto a mídia enfeita casos como esse. É como se só reportassem informações distorcidas e sensacionalistas, em vez de fazer o seu papel corretamente e nos informar da verdade, mesmo que não seja tão comercial ou agradável quanto gostariam.

Quanto ao trabalho da editora, tudo o que tenho a dizer é: UAU. A DarkSide Books nunca me decepciona quando o quesito é diagramação. O livro é uma verdadeira obra de arte e isso eleva toda a experiência da leitura a um nível totalmente novo. É como se realmente estivéssemos lendo um caderno de anotações da autora.



O que posso concluir após essa leitura é que não é para qualquer um. É uma leitura densa e pesada, que realmente só irá agradar quem tem um senso de curiosidade muito grande. Sem dúvida indicaria para pessoas viciadas em seriados policiais como Criminal Minds, Cold Case e toda a franquia CSI.

Me despeço de vocês por hoje, na esperança de ter esclarecido algumas dúvidas sobre o teor dessa obra prima em forma de livro.

Beijos e até mais!

1 comentários:

  1. Eu gosto muito de conhecer esse tipo de livro porque sou ligada em investigação criminal. O julgamento seria uma parte que não me interessaria muito, eu acho, mas as partes que explicam os fatos, provas e afins são muito interessantes!
    Jesus, o caso da Suzane é de 2002 :O eu não tinha nem 10 anos e lembro claramente de quando aconteceu.

    ResponderExcluir