1 de março de 2017

O dia em que eu "aprendi" a surfar

POSTADO POR EM 1 de março de 2017

Heeey, gente. Tudo bem??

Nem só de livros vive o homem, haha, por isso eu aproveitei esse Carnaval para dar uma curtidinha com os amigos. Peguei uma praia, passei na avenida, li alguns livrinhos e me diverti pra caramba! No último dia de carnaval fui à praia com alguns amigos e um deles surfa; não perdi tempo e pedi umas aulinhas.



O Julio (se pronuncia Rulio) - espanhol vegano maravigold que mora no meu heart - foi super paciente me dando algumas aulinhas sobre como remar, subir na prancha e me equilibrar. Ficamos bons minutos treinando as técnicas na areia e eu confesso que estava me divertindo mais do que aprendendo. 

 Fiz uns bons anos de natação, então já tinha uma segurança para entrar no mar mais agitado e me aventurar remando algumas ondinhas. No entanto, confesso que fui na coragem por tê-lo do meu lado. Estar sozinha no mar é completamente diferente de estar presa à prancha, durante alguns dos muitos caldos que levei, sentia a prancha flutuando e me levando junto. Glória a Deus o Julio por lá ou eu beberia o triplo de água do oceano. 





Foi uma experiência maravilhosa e que despertou em mim mais ainda aquela vontade de me aventurar por novos horizontes. Lembra do texto sobre o medo? Foi como tirar mais um peso das minhas costas. Eu sempre quis aprender a surfar, ou tentar algum outro esporte no mar, mas o medo me paralisava. Hoje, quando o Julio me perguntou se eu queria surfar, respondi com convicção que sim, eu queria! 




Não peguei onda nenhuma, consegui remar por umas duas, mas me desequilibrei mais que tudo - senso de direção e equilíbrio zero, mas saí de lá de alma lava e certa de que subi mais um degrau na escadinha da autodescoberta. Só essa semana foram duas coisas.

E você, em que se auto descobriu nos últimos dias? Me conta aí! Obrigada por estar aqui, nos vemos em breve ♥

Beijocas e até a próxima!!!

3 comentários:

  1. Que legal foi o seu carnaval aproveitou bastante que bom. Que aventura surfar, eu não surfaria pois não sei nadar e acabaria me afogando rs. Que bom que você teve um professor e amigo paciente, para ensinar acho que deve ser difícil surfar por causa do equilíbrio é maravilhoso quando fazemos alguma coisa diferente para sair da rotina. Por enquanto não me auto descobri em algo rs.

    ResponderExcluir
  2. Bárbara!
    Que bacana!
    Tão bom se aventurar em coisas inéditas e ainda mais, lutar contra o medo, está de parabéns!
    Você já queria ficar de pé na prancha na primeira aula? Seria uma coisa extraordinária! Mas só a diversão já deve ter valido a pena, né?
    Bom demais!
    “Todos os homens, por natureza, desejam saber.” (Aristóteles)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Oi Bárbara,
    Acho lindo e corajoso quem surfa. No meu caso, não sei nem nadar, imagina eu me jogando no mar com uma prancha?!! (melhor nem imaginar....heheeheh). É bom sairmos da rotina, as vezes, e nos permitirmos termos experiências novas diferentes e divertidas. E na companhia dos amigos é melhor ainda!!

    ResponderExcluir