16 de agosto de 2017

Tá Na Estante :: 'Um Tom Mais Escuro de Magia' #684

POSTADO POR EM 16 de agosto de 2017

Oi, gente. Tudo bem?


Ando meio sumido, eu sei, mas hoje voltei pra falar para vocês a minha opinião sobre uma das minhas melhores  leituras do ano, que foi o livro de Janeiro do Vórtice Fantástico aqui de Porto Alegre. Vamos conferir?!
Livro: Um Tom Mais Escuro de Magia
Série: A Darker Shade of Magic (#01)
Autora: V. E. Schwab
Editora: Record
Páginas: 420
Sinopse: Entre em um universo de aventuras audaciosas, poder eletrizante e Londres múltiplas. Kell é um dos últimos Viajantes — magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco — George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez... a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela. Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos.
Nesse universo criado por V. E. Schwab, vamos conhecer quatro versões da mesma Londres, localizadas em dimensões diferentes. Nosso protagonista, Kell, é um Antari, um dos últimos de sua espécie e que tem a habilidade de atravessar as dimensões, indo de uma Londres para a outra.

Foto por Estante Diagonal


Para diferenciar as cidades, Kell atribuiu cores a cada uma delas, de acordo com a quantidade de magia presente nas mesmas. A Londres Cinza é a que conhecemos, onde não existe mais magia. A Londres Vermelha, lar de Kell, tem a magia bem ativa, com um reino civilizado. Na Londres Branca,  a magia ainda existe, mas é escassa e seus habitantes são famintos por ela. Por fim, existe a Londres Preta, mas esta não é mencionada por ninguém.

Por Kell ter a habilidade de viajar entre as Londres, ele se tornou embaixador da Londres Vermelha. A população em geral não sabe da existência das outras dimensões, apenas a realeza, e cabe a Kell transmitir mensagens entre as cortes.

Porém, há algo que Kell faz que contraria todas as leis. Ele tem o hábito de contrabandear itens de um reino para outro, utilizando seu dom para obter vantagens, o que desagrada o príncipe e seu melhor amigo, Rhy Maresh. As Londres estão separadas por algum motivo e os hábitos de Kell podem ser um perigo.

Em sua última missão, voltando da Londres Branca, Kell cai em uma armadilha e se vê carregando  consigo um item misterioso, originário da Londres Preta. Esse item é extremamente perigoso e pode colocar todos os reinos em risco, assim como a vida do Antari.

A partir daí, Kell começa a ser perseguido por todos os lados e fugir é sua única saída.  É aí que seu destino esbarra com o de Dalilah Bard, uma ladra extremamente astuta. À princípio os dois entram em atrito, mas logo acabam tornando-se aliados em uma perigosa jornada para consertar seus erros e salvar o mundo do caos.

Foto por Estante Diagonal


Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Acho que já não é mais novidade pra ninguém aqui que Victoria Schwab é uma das minhas autoras queridinhas da atualidade. Meu primeiro contato com ela foi em A Guardiã de Histórias, mas o amor se consolidou aqui, com Um Tom Mais Escuro de Magia. Então, percebam meu choque quando reparei que ainda não havia feito resenha dele para vocês. Já está mais do que na hora de vocês  conhecerem essa trama sensacional.

O universo construído pela autora é sensacional. Temos a magia como uma protagonista onipresente. Tudo gira em torno dela, tudo depende dela, tudo leva a ela. Amei que Schwab soube desenvolver isso muito bem e me prendeu logo nas primeiras páginas. Sabe aquele livro que você pega e sabe que vai amar?  Então. Aconteceu isso aqui e eu não poderia estar mais contente.

O livro é narrado em terceira pessoa e outra característica marcante dos livros de Schwab é que ela sabe desenvolver muito bem seus personagens. Alternando as perspectivas dos mesmos, a autora soube atar bem os detalhes e criar protagonistas únicos. Kell e Lilah são simplesmente incríveis e tenho certeza que todos que leram se apaixonaram pelos dois como eu.

O cenário das Londres também foi bem caracterizado. Schwab detalhou super bem e em vários momentos da trama consegui me ver nos ambientes, me aventurando ao lado dos personagens. Isso traz uma forte gratificação para mim, pois estar cem por cento imerso em uma obra só a torna mais grandiosa.

O final foi de tirar o fôlego, apesar de um tanto previsível. Conforme o clímax foi se desenvolvendo, já sabia mais ou  menos onde tudo iria acabar, mas mesmo assim a tensão não foi menor. V. E. sabe muito bem conduzir seu leitor para onde ela quer, sem deixar que o ritmo acelerado estanque. Estou completamente ansioso pela continuação, que será lançada pela Record na Bienal. Cadê setembro que não chega??

Foto por Estante Diagonal


A edição física está muito bem trabalhada. A capa é uma adaptação da original e que, particularmente, acho sensacional. A diagramação é simples, a fonte tem um bom tamanho para leitura, as páginas são amareladas e a revisão está muito boa.

Um Tom Mais Escuro de Magia é um ícone da fantasia e merece ser mais conhecida e divulgada. Sendo assim, deixo aqui meu apelo: LEIAM e se apaixonem também. Garanto que vale muito a pena!

Beijos e até a próxima!

2 comentários:

  1. Leo!
    Gosto do livro com portais, magia, artefatos e mistério.
    O Kel agora vai ter de se livrar o tal artefato para que não morra ou não prejudique o equilíbrio das Londres e ainda consegue uma aliada ladra, talvez não dessem certo, porém pelo visto, vamos acompanhar uma grande jordana desses dois juntos.
    Gostei de saber que a autora não poupa mortes, sinal que nem dá para se apegar muito as personagens.
    Como gosto das fantasias no estilo, gostaria de ler.
    “Para cultivar a sabedoria, é preciso força interior. Sem crescimento interno, é difícil conquistar a autoconfiança e a coragem necessárias. Sem elas, nossa vida se complica. O impossível torna-se possível com a força de vontade.” (Dalai Lama)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Eu já estava doida para ler esse livro e depois dessa resenha fiquei mais ainda! Eu nunca tinha ido tão fundo na história, lendo alguma resenha, mas ainda bem que li essa porque notei elementos presentes nessa história que eu gosto muito!
    Eu já comprei o ebook na Amazon e tava só adiando a leitura, com certeza não vou mais adiar!!
    Valeu Leo pela resenha!

    ResponderExcluir