29 de setembro de 2017

Tá Na Estante :: 'Império de Tempestades' #696

POSTADO POR EM 29 de setembro de 2017

Hey, people. Tudo certo?


Aqui é a Nathy e hoje vim mais uma vez como convidada, pra falar de Império de Tempestades, quinto e penúltimo volume da série Trono de Vidro. E é claro que eu não poderia falar dele sozinha, então convidei o Leo para essa resenha dupla, representando o Blog Recanto da Mi. Vamos conferir?!
Livro: Império de Tempestades
Série: Trono de Vidro (#05)
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 686
Sinopse: A história de Aelin Galathynius, sempre repleta de ação, intriga e cenas de luta inesquecíveis, continua neste quinto e penúltimo volume. Antes de serem traídos pelo atual rei, os Galathynius reinaram em Terrasen por séculos. E agora Aelin deseja recuperar a coroa e voltar a seu trono de direito... Mas o caminho até lá é longo e sinuoso. Amigos serão perdidos, lealdades serão quebradas e alianças inesperadas surgirão. Com a vida e poder jurados ao povo que está determinada a salvar, a antiga assassina, conhecida como Celaena Sardothien, colocará a própria segurança em risco para proteger os seus. Mas a única salvação está numa relíquia enterrada nas ruínas de um velho pântano.
Após os acontecimentos de Rainha das Sombras, a série Trono de Vidro entrou em um novo patamar. O rei de Adarlan foi derrotado e agora, finalmente, Dorian assumiu o trono e está tentando dar um novo rumo  ao seu reino.

Aelin Galathynius está a caminho de Terrasen, para encontrar os lordes da corte e fazer aliados, querendo assumir seu posto como rainha. Ao lado de sua corte pessoal, formada por Rowan, Aedion, Lysandra e Evangeline, a semifeérica avança pelo seu território com a certeza de uma nova vida, mas não é bem assim que as coisas vão se desenrolar.

Foto por Resenhando Sonhos


Os lordes, que deveriam apoiá-la, são contra Aelin assumir o trono. Ou seja, sem a aprovação deles, Aelin segue como princesa e não pode governar Terrasen, como planejava. Uma guerra contra o exército de Erawan se aproxima e os lordes só vão apoiar Aelin se a mesma conseguir aliados para lutarem ao seu lado.

Enquanto isso, em Morath, Manon Bico Negro, a Líder Alada, está diante de um impasse. Ela precisa tomar uma importante decisão que colocará em risco não só sua vida, mas também a de suas Treze e poderá mudar o rumo da guerra iminente.

Além disso, temos a jovem Elide, viajando para Terrasen em busca de Celaena Sardothien e sua rainha Aelin, sem saber que essas são a mesma pessoa. Seu caminho vai se cruzar com o de Lorcan, que ainda busca as outras chaves de Wyrd e tem suas próprias contas a acertar tanto com Morath quanto com Aelin.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

NATHY: É complicado não começar essa resenha falando sobre como foi desnecessária a divisão desse livro em dois volumes. Já estamos acostumados com os calhamaços escritos por Sarah J. Maas e se formos somar as páginas dos dois tomos, é quase o mesmo número do livro anterior, Rainha das Sombras. Então, né. Muito desnecessário.

Tendo dito isso, vamos falar sobre a obra em si. Depois do final de Rainha das Sombras, eu estava extremamente ansiosa pelo que aconteceria dali pra frente. Sarah conseguiu me surpreender com o rumo para o qual levou a história, então assim que recebi os meus exemplares de Império de Tempestades, passei na frente de toda a fila de leitura e praticamente devorei o livro.

LEO: A escrita de Sarah J. Maas segue leve, fluida e envolvente. Faz mais de um ano que li o volume anterior e, mesmo após cinco livros da série, ainda me surpreendo com o quanto Sarah consegue me prender em suas obras. Comecei a ler e só consegui parar depois do virar da última página, tamanha minha intensidade perante os acontecimentos.

Foto por Resenhando Sonhos


A narrativa é feita em terceira pessoa, abrindo ainda mais a quantidade de perspectivas. Como Sarah expandiu os cenários e construiu diversas subtramas, que vão se conectar mais pra frente, foram necessários mais pontos de vista. Os principais são os de Aelin, Dorian, Manon e Elide, mas todos têm sua devida importância. Quer dizer, quase todos.

NATHY: Eu amo os personagens criados por Sarah e Aelin me surpreende cada vez mais. Desde que ela era apenas Celaena, sua sagacidade, humor ácido e temperamentalismo me cativaram. Agora, como a rainha Aelin, ela está ainda mais determinada a conseguir aquilo que quer, mesmo que precise enfrentar diversos perigos.

Além disso, o romance de Aelin com Rowan está cada vez mais intenso. Gosto muito da química dos dois e Rowan é um personagem que me cativa muito. Contudo, a tensão sexual que emanava entre eles me incomodou um pouco. Eles estão no meio de uma guerra, tudo aquilo que acreditam está em jogo, e um só consegue pensar em safadezas com o outro. Não precisava.

LEO: Falando em personagens, precisamos falar sobre como Manon é FUCKING MARAVILHOSA. Logo que ela apareceu, lá em Herdeira do Fogo, não gostei muito dela. Mas gente! Essa foi uma personagem que cresceu, apareceu e se sobressaiu, tornando-se uma das minhas favoritas da trama. Agora Sarah está lhe dando uma nova perspectiva e ainda mais importância, o que me deixa bem animado.

Por outro lado, Dorian, um personagem que é conhecido por sua inteligência e sempre foi cativante, está cada vez mais apagado. Nesse livro, ele estava li como uma samambaia, só de enfeite. Tudo bem que muita coisa aconteceu, mas o rei de Adarlan deveria se impor um pouco mais. Só que ele fica na sombra de Aelin, esperando as próximas decisões da aliada.

Foto por Resenhando Sonhos


NATHY: O final foi bem fechado e me deixou cheia de expectativas para o próximo volume, que só deve ser lançado lá fora no ano que vem. Este ano tivemos o lançamento de Tower of Dawn, que é um spin-off da série protagonizado por Chaol, que nem apareceu em Império de Tempestades. Quero muito ler, mas só de pensar que precisarei esperar ainda mais pelo desfecho da série, já roo as unhas.

LEO: Em suma, Império de Tempestades é um livro excelente, mesmo com algumas ressalvas. Está aquém dos livros anteriores? Sim, mas não é por isso que a série perde seu brilhantismo. Ainda sou apaixonado por esse universo e deixo aqui minha recomendação a todos vocês. Espero que gostem tanto quanto a gente.

Beijos e até a próxima!

1 comentários:

  1. Oi Nathy e Leo!
    Os personagens são cheios de nuances, e tudo pode mudar de uma hora para outra, o que acaba tornando o livro muito interesante.
    A assassina parece ser duas personagens em uma só. A garota inocente que ela seria se o seu destino não fosse marcado logo quando criança, teve que dar lugar ao da assassina. Um lado frio e calculista que ela teve que aprender e desenvolver para sobreviver. Este lado é como uma carcaça usada quando preciso. Mas ela também tem seu lado doce que constantemente tem que manter escondido.
    Achei fascinante.
    Um final de semana de muita inspiração e paz no coração!
    “Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.” (Richard Bach)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir