Oi, gente. Tudo bem?

Recebi da editora Rocco um dos seus lançamentos mais recentes e hoje vim contar o que achei da obra em questão, que é uma adaptação para os quadrinhos de um dos livros mais famosos do autor Neil Gaiman. Vamos conferir?!

Livro: O Livro do Cemitério – HQ
Série: O Livro do Cemitério (#01)
Autor: Neil Gaiman
Editora: Rocco
Páginas: 192
Sinopse: Bestseller do The New York Times e premiado com as medalhas Newbery (EUA) e Carnegie (Reino Unido), o romance O livro do cemitério, do cultuado escritor Neil Gaiman, ganha versão em quadrinhos adaptada por P. Craig Russell, parceiro de Gaiman em diversos livros, incluindo a versão em HQ de outro clássico do autor, Coraline. O livro é o primeiro de dois volumes que acompanham a trajetória de Ninguém Owens, ou Nin, um garoto como outro qualquer, exceto pelo fato de morar em um cemitério e ser criado por fantasmas. Cada capítulo nesta adaptação de Russell acompanha dois anos da vida do menino e é ilustrado por um artista diferente, apresentando uma variedade fascinante de estilos que dão ainda mais vida à atmosfera ao mesmo tempo afetuosa e sombria da história.

Certa noite, o homem chamado Jack invade uma casa para assassinar todos os membros de uma família, mas seu plano vai por água abaixo quando o bebê escapa sem que ele perceba. O bebê desceu do berço durante a noite e foi parar em um cemitério onde vivem diversos fantasmas.
O homem chamado Jack tenta seguir o rastro da criança, mas depara-se com Silas, que se diz ser o zelador do local, mas na verdade é um vampiro, que o faz esquecer o que buscava. Os fantasmas decidem acolher a criança e lhe dão a liberdade do cemitério, uma espécie de proteção, desde que ele não saia dos limites da propriedade.
O bebê é adotado pelo casal Owens e passa a se chamar Ninguém Owens, ou simplesmente Nin. Silas fica responsável por sua alimentação, enquanto outros fantasmas lhe ensinam coisas sobre a vida e ajudam em sua educação. Nin então vai crescendo em meio aos túmulos e cada vez descobrindo mais histórias sobre aqueles que ali descansam.

***
É um tanto complicado falar sobre esse livro sem dar spoilers. Nessa adaptação de P. Craig Russell, a cada capítulo vamos acompanhar uma aventura de Nin pelo cemitério, desde sua chegada até ter dez anos. Cada capítulo é ilustrado por um desenhista diferente, cada qual dando sua versão dos personagens e dos cenários de acordo com o timbre da narrativa.
Eu li duas obras de Neil Gaiman até hoje e sempre fui curioso por conhecer O Livro do Cemitério. Então, quando a Rocco anunciou que lançaria a versão em quadrinhos, imediatamente solicitei meu exemplar para leitura. E achei que a experiência valeu totalmente a pena.
A narrativa de Gaiman é fluida e envolvente em todas as suas histórias. Somando isso com os quadrinhos de Russell, tudo fica ainda mais rápido e imersivo. Comecei a leitura com o intuito de ler apenas um capítulo, mas quando percebi já estava querendo saber o que aconteceria. 
Acho que meu capítulo favorito foi o terceiro, em que Nin vai se aventurar no mundo dos ghouls. Toda essa mitologia é bem explorada e ainda temos uma personagem misteriosa que consegue roubar a cena aos poucos. Também gostei muito do episódio onde humanos e fantasmas interagem  para dançar a macabra. Cada nuance foi bem representada e ficou tudo belíssimo.
A edição física está sensacional. A capa não é dura, mas de um material resistente e flexível que parece encadernado. As páginas são da textura de uma revista, mas com uma gramatura maior. Tudo é bem colorido e maravilhoso. Estou apaixonado.
Em suma, O Livro do Cemitério foi uma experiência bem interessante e já estou ansioso pelo lançamento do segundo volume dessa adaptação, assim como pela obra que o originou. Deixo aqui minha recomendação a todos vocês, porque vale mesmo a pena!

Beijos e até a próxima!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário

1 Comentário

  • RUDYNALVA
    29 dezembro, 2017

    Leo!
    Maravilha ver um livro do Gaiman em quadrinhos, fica bem melhor de visualisar todo enredo, é?
    Um Novo Ano repleto de realizações!!
    “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.” (Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy