31 de janeiro de 2018

Tá Na Estante :: 'Mais lindo que a lua' #756

POSTADO POR EM 31 de janeiro de 2018

Heeey, gente. Tudo bem??


Hoje vou comentar com vocês sobre um lançamento desse mês da Editora Arqueiro. Uma leitura que eu fiz bem rapidinho e que acho que vocês vão curtir, assim como eu. Vamos?
Livro: Mais Lindo que a Lua
Série: Irmãs Lyndon #01
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Sinopse: Mais Lindo Que a Lua, primeiro livro primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre sobre reencontro e desafios, romantismo e perseverança.Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?
Clique aqui para comprar o livro.

Amor à primeira vista é o foco desse novo romance de Julia Quinn. Robert Kemble é um conde, filho do marquês mais rico da região e vive uma vida tranquila, mas percebe que sua vida está incompleta quando encontra a razão disso brincando num lago. Ao observar a jovem Victoria Lyndon pulando de pedra em pedra, descalça e deixando mostrar o calcanhar, percebe que nada do que ele têm faz sentido e que tudo só faria sentido se ele a tivesse ao seu lado.



Por incrível que pareça, o amor bateu para Victoria da mesma forma que para Robert, e por alguns meses eles viveram a plenitude de um relacionamento amoroso onde, acima de tudo, eles eram muito amigos um do outro. A ligação foi extremamente forte e o assunto casamento era abordado entre eles o tempo todo, mas as coisas não seriam fáceis, principalmente por ele ser um conde e ela apenas a filha do vigário.

Vendo que a união seria inaceitável para suas famílias, o jovem e apaixonado casal monta um plano de fuga que declina para o fracasso quando é descoberto por seus familiares. Para piorar a situação, a forma como tudo aconteceu deu a entender para ambos que o outro era culpado, que não lutou o suficiente. Por isso, eles passam sete anos distantes e amargurados com o trágico final de um relacionamento que tinha tudo para ser lindo e duradouro.



Quando se reencontram, a raiva e o ódio perpetuam em seus corações e ambos se alfinetam de forma consciente, enquanto inconscientemente deixam todo o amor transbordar de volta em seus corações.  O grande problema é que ambos não querem admitir o que sentem, não querem sentir, e isso faz com que vivam se magoando a todo momento, sem dar margem para um pedido de desculpas, ou até para uma conversa franca.

Mesmo com essa mágoa guardada e com alfinetadas fortes a todo momento, Robert e Victoria engatam em uma pseudo amizade que acaba os unindo, mas Robert quer mais e acaba oferecendo a Victoria o cargo de sua amante, o que faz com que a garota se sinta ainda mais ressentida com relação ao antigo amor e decida fugir, como fez outrora.



No entanto Robert sabe que Victoria é a mulher da sua vida e não medirá esforços para tê-la ao seu lado. Resta saber se a jovem acreditará nas intenções do conde e se eles, em algum momento, se despirão do passado para tentar um futuro juntos.

***

Abram os portões para a deusa da nação, pode entrar Julia Quinn. Que tiro foi esse? A cada novo livro essa mulher consegue me surpreender mais, me emocionar mais e me divertir mais. Parece que tem um pequeno dedo mágico que transforma tudo o que escreve em algo surrealmente lindo e encantador. Socorro!

No começo do livro temos uma carta da autora contando que não acredita em amor à primeira vista, por isso nunca escreveu sobre o tema em suas histórias. Mas que para Victoria e Robert isso parecia certo, e eu não posso concordar menos com ela. A história de amor do casal protagonista é esfuziante e envolvente. E mesmo sendo mirabolante e surreal, a gente consegue ver, e ouso dizer que sentir, o amor deles, o romance acontecendo.



Ao apresentar um casal protagonista jovem e depois mais maduro, Julia Quinn conseguiu inserir o leitor ainda mais na trama e no contexto dos personagens. A gente avaliou a personalidade de cada um, seus sentimentos e o amadurecimento com o passar da trama. Além disso, lidar com um casal que guarda mágoas e ressentimentos passados foi interessante, pois a gente consegue enxergar que toda aquela intriguinha têm um motivo - mesmo que para o leitor, enxergando a história por todos os lados, esse motivo seja inexistente.

O mais interessante, ao meu ver, foi a carga emocional que a trama trouxe. Durante os sete anos em que estiveram separados, Robert e Victoria passaram por situações adversas e que formaram as pessoas que são, no entanto grande parte dessas situações não foram positivas, então quando tudo isso vêm a tona, nos colocamos no lugar dos personagens de uma maneira muito pessoal. A trama me levou do riso às lágrimas em diversos momentos. Me senti envolvida com a história e ansiando por mias a cada capítulo encerrado.



Os personagens secundários são peças importantes em diversas cenas da trama e alguns dão um charme especial ao livro. Achei interessante como a autora abordou o papel da mulher na sociedade da época, ainda fez uma crítica muito forte sobre desigualdade social e ainda abordou o tema do estupro de uma forma muito mais concisa do quê em qualquer outro romance de época que eu tenha lido.

Julia Quinn conseguiu mais uma vez. Criou um romance intenso e cheio de reviravoltas, personagens interessantes, um trama envolvente e ainda levantou questionamentos que devem ser discutidos na sociedade atual. É um dos livros mais diferentes que eu li da autora e me surpreendi com essa nova faceta dela. Indico muito a leitura.

***

Você já leu algo da Julia Quinn? Me conta nos comentários, e se não leu, me conta se tem curiosidade. Sempre adoro saber! Têm resenha da maioria dos livros dela aqui no blog, dá uma fuçada.

Beijocas e até a próxima!!! 

4 comentários:

  1. A Julia Quinn chega, como sempre, arrasando com nossos corações. Amo a escrita e as estórias da Julia. Já li todos os livros da autora, esse é o único que falta e estava ansiosíssima para ler essa nova obra da rainha dos romances de época, mas depois dessa resenha minha curiosidade triplicou. Parabéns pela resenha! XOXO

    ResponderExcluir
  2. Não lembro onde li uma resenha falando sobre o livro não ser tão bom e que tirou todo o meu animo em ler. Fiquei triste porque amo a Julia Quinn e tudo que essa mulher escreve. Muito muito muuuuito obrigada por despertar em mim a vontade de correr para a livraria mais próxima (comprar pela internet e esperar chegar seria uma tortura) só para ter esse livro.
    Adorei a resenha, acho que deu para notar.❤

    ResponderExcluir
  3. Concordo em tudo que disse. JQ sempre surpreendendo, e olha que fiquei com o pé atrás com esse livro porque tava com muita expectativa. 💜💙💜💙

    ResponderExcluir