13 de março de 2018

Tá Na Estante :: 'O Início do Hoje' #770

POSTADO POR EM 13 de março de 2018

Heeey, gente. Tudo bem??

Recentemente comentei com vocês sobre um livro nacional que eu fui convidada a ler. Com uma premissa diferente e uma história que mistura os períodos contemporâneo e histórico, hoje eu vou contar para vocês o que achei desta leitura.

Livro: O Início do Hoje
Autor: Anis Nacfur Junior
Editora: Drago
Páginas: 148
Sinopse: Há milênios, os seres iniciais, oriundos da própria luz do Criador, chamados de "Os Seis Grandes", entram em conflito. Parte deles, liderada por Ravengart, passa a acreditar que todos os demais seres viventes, de todos os mundos, inclusive o humano, deveriam honrá-los como ao próprio Deus. Então, iniciam uma campanha perante os humanos e demais seres para os obrigarem a adorá-los. Por longos séculos, Ravengart, Baal-Tiar e Dromus, com seus liderados, apareceram aos humanos nas mais diversas formas: deuses pagãos, seres mitológicos etc, sempre com intuito de obterem adoração humana. Em contrapartida, Miguel, Afhir e Augustus ordenaram aos seus anjos comandados que combatessem a todo custo a investida de seus irmãos desvirtuados. Não tardou a essa disputa findar na primeira batalha bélica entre os dois grupos: a primeira luta entre os grandes. A disputa transformou-se em guerra, até atingir um patamar que fez surgir Justus, o Guardião do Equilíbrio, o qual convoca os Seis Grandes à Gruta do Destino, para a leitura da sentença do Criador. Lá, o guardião decreta o Pacto Eterno, um grande termo de equilíbrio, imposto às duas forças.


Clique aqui para comprar o livro.


Milênios atrás o Universo foi criado e junto com ele os Seis Grandes, criaturas que tinham como princípio auxiliar o Criador na manutenção de tudo o que estava existindo. Céu, terra, animais e seres humanos, a terra como é hoje. Miguel, Afhair, Augustus, Revengart, Baal-Tiar e Dromus viviam em perfeita paz auxiliando o Criador, até que os três últimos decidirem que queria mais. Mais poder do que tinham, mais influência do que tinham, basicamente eles queriam ocupar o lugar daquele que os criou.



O desejo desses três seres tornou-se grande ao ponto de possuir suas almas, que até então eram profundamente belas e limpas. Visando o caos que poderia se espalhar, Justus surgiu como uma nova criação, detentor de poderes similares aos dos primeiros seres, mas podendo se conectar com o grande Criador. Neste momento Revengart, Baal-Tiar e Dromus foram expulsos dos céus, sendo enviados para baixo da terra, enquanto Miguel, Afhair e Augustus foram promovidos, ganhando seus próprios reinos e exércitos, exatamente como os outros irmãos desejavam.


Juntamente com essas modificações, o Pacto Eterno foi selado e eles prometeram manter a paz e principalmente não atingir diretamente os humanos, os quais eram detentores do livre-arbítrio e podiam seguir o caminho que desejassem, sendo sempre influenciados pelo bem e pelo mal.

Milênios se passam e o anjo Calael vêm a terra quando percebe uma alteração nos elementos que confirmam o Pacto Eterno. Sua busca é pelo Padre Amaro, humano detentor de um dos símbolos que demonstram a validade do Pacto Eterno. Quando isto é validado, Calael e Amaro partem em uma missão para descobrir onde este pacto foi quebrado, e pra isso precisarão atravessar mundos místicos e ficar cara a cara com as tretas e a luz. Será que conseguirão enfrentar todos os perigos que os aguarda?



***

Uma das coisas que mais me chamou a atenção em O Início do Hoje foi a mistura de épocas; abordar histórico e contemporâneo não é fácil, então eu fiquei ansiosa para descobrir como o Anis faria isso, principalmente depois que vi o quão curto era o livro. Também curti a proposta de trazer uma história sobre anjos sem romantizar os acontecimentos, livros que no geral não fazem o meu gênero.

Nesses dois pontos a trama me surpreendeu ferozmente. Adorei a forma como as épocas foram apresentadas e não me perdi em momento nenhum. Fomos recebendo os acontecimentos por doses e isso fez com que a trama fosse se desenvolvendo de uma forma muito natural para mim. mesmo contanto com vários artifícios, o livro se ambienta bem com explicações bastante lógicas.

O que eu mais estava aguardando, no entanto, era a mistura com personagens mitológicos, o que aconteceu, mas não da maneira como eu imaginava. Acredito que se tivesse uma dose a mais desses personagens eu ficaria ainda mais satisfeita com o livro. Todavia, compreendi que a presença ínfima teve como propósito o extenso final do livro e em se tratar de um livro curto, esse corte da mitologia era necessário.



Durante a leitura eu observei as atitudes dos personagens, tanto dos mocinhos quanto dos vilões, como atitudes adotadas no dia-a-dia pelos seres humanos. Desde o se dar pelo próximo até o fato de querer ocupar o lugar do próximo. Acredito que essa foi uma das questões mais importantes para o Anis no decorrer da trama e fazer essa reflexão dentro de uma história onde existe uma batalha em prol da humanidade foi bem legal. Abriu a minha mente para certas atitudes que observo e que talvez esteja fora do contingente esperado para um espécie que basicamente destrói outras coisas para se manter.

No fim das contas foi uma leitura muito prazerosa, o Anis desenvolve os fatos sem querer evangelizar as pessoas e isso foi interessante para um livro com um tema tão conhecido. A ambientização é sensacional, a cada novo lugar narrado eu conseguia me conectar demais com a história e me sentia como parte do todo. Fui muito surpreendida e espero que vocês também sejam. Indico muito a leitura.

***

Também comentei sobre esse livro em um vídeo no canal, olha aqui:


Espero que tenham gostado.  Não se esqueçam de me contar nos comentários.

Conteúdo patrocinado.

Beijocas e até breve!
***
Este post está concorrendo ao COMENTÁRIO PREMIADO.
CLIQUE AQUI e descubra como participar.

24 comentários:

  1. Bárbara!
    Achei o plot genial, sem contar que amo livros que misturam mitologia com anjos, aliás, sou apaixonada por anjos e fiquei rendida, quero poder ler.
    “Os lírios não bastam. As leis não nascem das flores. Meu nome é luta, e escreve-se na história.” (Luciana Maria Tico-tico)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Parece que existiu mesmo esta questão de guardiões mas não entendo muito da história bíblica pois não leio, mas eu não curto leituras mais fantásticas assim até pela questão de nomes mais complicados. Não é um estilo que eu curto ler mesmo que tenha o esquema de guerra e tudo o mais.

    ResponderExcluir
  3. Ai, fiquei com muita vontade de ler! E amei sua resenha! Quanto mais lia mais vontade me dava de querer ler o livro.

    Eu gosto de temas assim, sobre a disputa entre o bem e o mal, embora leia pouquíssimo sobre o assunto. Talvez por não encontrar muitos livros do gênero. Gosto de ficção sobre a Histórica Bíblica, sobre como o mundo surgiu, as guerras travadas pelos anjos, arcanjos e a queda do anjo que decidiu que queria ser como Deus. Me parece que esse livro, O Início do Hoje, traz justamente todo esse princípio contado na Bíblica, só que através da ficção, de uma forma que nos envolva e nos faça refletir. Quero muito ler!

    ResponderExcluir
  4. Ainda não conhecia o livro e fiquei muito curiosa em relação a administração destes tempos narrativos dentro do enredo. Se você elogiou o fato dele usar contemporâneo com o passado de forma boa, já me faz querer ler o livro agora. Fiquei bem empolgada em conhecer a obra.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia a obra. Mas através de sua resenha já gostei de alguns pontos. Como a não romantização e nem evangelização. Acredito que dê para tratar de seres mitológicos sem fazer essas duas coisas. Vou anotar a indicação, o enredo me instigou!

    ResponderExcluir
  6. Oi tudo bem? Que resenha fantástica adorei, adoro história sobre seres místicos e mitológicos. Vou ler com certeza obrigado pela dica. Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pela resenha!
    não conhecia a obra, mas infelizmente vou deixar a dica passar.
    Não curto fantasia, nunca consegui seguir adiante com esse gênero literário.

    Beijinhos

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, Barbara!
    Eu adoro fantasia, principalmente quando elas têm um diferencial, como é no caso dessa obra. Achei a temática muito interessante, e fiquei curiosa para saber como o autor trabalho com essa mistura de épocas também.
    Valeu pela dica!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Oiiii tudo bem??

    Não conhecia esse livro, e confesso que o enredo me surpreendeu.
    Achei que seria só mais um romance com um bad boy.
    Mas a questão da criação de tudo, de anjos e depois essa mistura de épocas me atrai bastante.
    Adorei conhecer.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  10. Eu já quero ler esse livro, sério que interessante, eu amo mitologia, mas confesso que fiquei um tanto decepcionada por saber que não tem aquela profundidade no assunto, mas isso não vai me atrapalhar de ler o livro.E esse ano eu quero ler mais nacionais e só de saber que um livro tão incrível é nacional já me alegra. Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  11. Oiii, o livro não tem o gênero literário que eu costumo ler sempre, mas achei a história bem interessante e fiquei curiosa para saber mais dele.

    Beijão!!!

    ResponderExcluir
  12. Oiii Bárbara, tudo bem??

    Caraca, eu não sou muito fã de livros que envolvem anjos e mistérios do céu não rs, mas a sua resenha me deixou super curiosa. Vou colocar na listinha de desejados!

    Beijinhos ♥
    Wanessa

    ResponderExcluir
  13. Oiiii,

    Achei a vão chamativa, tem um “q” de suspense eu acho rs. Achei interessante e meio perigoso essa coisa de misturar épocas, fiquei curiosa para saber como o autor fez para misturar isto de forma a deixa a história interessante. Vou anotar a dica e quando puder vou procurar para ler.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  14. Olá, acho que eu ainda não conhecia esse livro. Parece ser uma trama mega interessante pela sua resenha, ainda que tenha um número pequeno de páginas. Já foquei curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  15. O que mais me chamou a atenção foi essa capa. Que capa mais lindaaaaa!! Que bom que gostou desse livro e parece ser realmente muito bom e interessante e ao mesmo tempo diferente, como você falou não deve ser fácil criar dois esse mundo e nossa preciso conhecer. Amei a resenha.

    Um beijoo!!!

    http://sussurrandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro e nem o autor, mas fiquei bastante curiosa. A premissa é muito original e me pareceu ser uma leitura bem interessante e envolvente. Uma pena que os personagens mitológicos não apareçam tanto, pois acho que essa seria a parte que eu mais me interessaria também. Porém, achei gostei de saber que tanto os mocinhos quanto os vilões têm comportamentos tão humanos, pois acredito que isso contribua para dar mais complexidade aos personagens e torná-los mais reais.
    Adorei sua resenha e já anotei a dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Oi tudo bem?
    Achei a premissa interessante, uma mistura de ideias que dão muito certo em fantasias. Eu não compraria pela capa, não me atraiu. Mas a história em si já me dá mais um olhar em direção ao livro. Adorei a resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  18. Oi oi!
    Eu não conhecia essa obra, mas adorei saber mais sobre essa historia. Achei o enredo bem envolvente e o cenário me deixou bem intrigada. A sua resenha me deixou com vontade de ler esse livro e tudo o que envolve o autor. Espero gostar da leitura, porque será meu primeiro contato com o autor...

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  19. Oie!
    Adorei a resenha! Não havia curtido muito a capa mas a história em si parece ser muito bacana! Obrigada por divulgar ❤

    ResponderExcluir
  20. Olá, tudo bem?

    Eu não conhecia o autor, tampouco a obra publicada por ele, mas com certeza passaria totalmente despercebida por mim em uma livraria apenas pela capa que beira o clichê dos livros que envolvem seres míticos, como os anjos. Não sei ainda se o fato de ele ter trabalhado com pulos no tempo para justificar certas ações seria o bastante para que eu desse uma oportunidade de lê-lo.

    Beijos
    @blogodiariodoleitor

    ResponderExcluir
  21. Olá Bárbara, tudo bom?
    Não conhecia o autor ou sua obra, mas confesso que fiquei bem curiosa com esse enredo, apesar da mistura com os seres mitológicos não terem ocorrido como você esperava. Curti saber sobre essa transição bem feita entre os tempos e claro, sobre o fato de o autor não romantizar essa história sobre os anjos. Curti essa abordagem da cobiça do lugar do próximo também, realmente parece fazer refletir. Enfim! Adorei sua resenha e espero poder dar uma chance a esse livro em breve!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Achei bem interessante a questão dos tempos narrativos do livro e apesar de não conhecer o autor nem o livro eu fiquei bem interessada na historia que pelo visto deve ser uma serie e me chamou muito a atenção por envolver a questão dos seres mitologicos e uma pena que não tenha sido uma boa experiencia para voce

    ResponderExcluir
  23. Ola lindona não conhecia o livro, achei interessante essa mistura de tempos diferentes, porém o fato de não ter muitas páginas pode deixar o assunto um pouco vago, devido a tantos detalhes a serem explorados, mesmo assim fiquei muito curiosa, dica anotada. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  24. Olá,
    Não conhecia o livro, mas confesso que não me interessei muito, apesar da premissa parecer bacana, ele me lembra um pouco a história bíblica com uma pega mítica. Sucesso ao autor.

    Beijos

    ResponderExcluir