23 de maio de 2018

Tá Na Estante :: 'Operação Red Sparrow' #785

POSTADO POR EM 23 de maio de 2018

OLÁ, MATES!


Vocês estão prontos para se atirarem em uma trama política cheia de espionagem, plot twist, gente mal caráter e muita sensualidade? Se não estiverem ficarão após ler essa resenha aqui.
Livro: Operação Red Sparrow
Autor: Jason Matthews
Editora: Arqueiro
Páginas: 452
Sinopse: Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo. Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem. Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR. Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.
Dominika Egorova é uma jovem russa que sonha em fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Ela foi criada por pais com uma opinião muito singular sobre o governo russo, o que a levou a ter um olhar um tanto frívolo quanto a sua nação. Por ter uma habilidade especial que a capacita de interpretar a aura das pessoas com um olhar, ela reconhece uma pessoa com intenções boas a distância e busca escapar de qualquer pessoa que lhe cause arrepios. Ela é vitima de uma sabotagem e assiste a sua carreira promissora acabar de forma injusta e abrupta.

Sem uma direção, ela acaba aceitando a proposta de seu tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, a SVR, de entrar para a organização. Dominika acaba chamando atenção dos professores que ficam impressionados com sua desenvoltura e ela acredita que consiga um bom trabalho no serviço secreto, ao menos o suficiente para seu tio deixar ela e sua família em paz. No entanto, temendo que ela acabasse por abrir a boca, ela é recomendada para a Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para utilizar nas espionagem.

Dominika não curte muito a ideia de ser moldada para ser um objeto de sedução, mas novamente, se vê sem direção e aceita a proposta mal sabia que esse seria o inicio de sua trama.

Nate Nash é o outro lado da moeda. Ele é um agente da CIA. Americano, está a trabalho na Russia, tendo contato direto com um informante do alto nível, infiltrado na SVR. Quando o seu informante quase sofre uma emboscada em um dos seus encontros, ele se vê obrigado a se distanciar do caso, para não colocar o seu trabalho a perder. Mal sabia ele que o vice-diretor da SVR estava farejando ele e tinha a agente ideal para conseguir fazê-lo abrir a boca.

Se eu falar que isso é 20% da leitura do livro, você aí do outro lado da telinha, acredita? Pois é. Para escapar de soltar um spoiler, daqui por diante, vou me atrever a falar apenas dos personagens e da trama, no geral.

Dominika e Nate são protagonistas competentes. O que quero dizer com competente: eles prendem a atenção do leitor seja quando estão juntos, seja em seus capítulos individuais. Eles tem histórias interessantes de vida e personalidades distintas.

Por oras, Dominika soa um tanto quanto hipócrita, por não aceitar certas situações que a vida lhe impõe, mas em outros momentos, ela utiliza dessas mesmas coisas como artifícios/qualidades e isso me deixou com um pé atrás com a personagem, em muitos momentos. Nate, por outro lado, mantém estável em sua jornada, o que não deixa de ser uma problemática em alguns momentos que precisávamos de um Nate mais dominante e menos submisso às situações.

A trama é rebuscada, cheia de detalhes, muito bem planejada e sem sombra de duvida, uma escola de como fazer um suspense de espionagem de mão cheia. Eu achei diferente. Parece que estava lendo o roteiro de um episódio de ALIAS ou Nikita. O autor acerta demais em dividir o peso da trama entre os dois personagens e isso dá um balanço na trama - até uma leveza (um tempo para o leitor respirar) - mesmo que acabe falhando no desenvolvimento desses personagens na história.

Por ter muitos personagens secundários, o leitor pode se sentir um pouco sufocado tentando decorar tantos nomes e marcando em sua mente quem é importante e quem não é para o futuro da história. Não recomendo que você leia esse livro ao mesmo tempo que outros. Não só por ele ser um livro grande, mas por precisar de uma atenção redobrada do leitor para detalhes, narrativa e personagens.

A escrita de Jason é muito boa, ele tem um dom para descrever sem soar repetitivo ou excessivo. Retorci os lábios algumas vezes por conta de algumas descrições onde Jason detalhava a forma física feminina entrelaçada a alguma qualidade de seu caráter. Um exemplo, quando ele descreve que uma personagem é mais esperta do que o esposo, "com os seios rígidos sob a blusa". Sabe a necessidade? Então, não tinha nenhuma para apontar isso.

Esse livro me lembrou no ato uma discussão que rolou na blogosfera gringa sobre como os escritores costumam descrever as mulheres sob uma ótica machista e muitas das vezes soa extremamente ofensivo (e as vezes muito engraçado).

Para quem não sabe, Operação Red Sparrow foi lançada pela editora arqueiro em 2015 com o título 'Roleta Russa' e uma capa para lá de bonita. Com a estreia do filme da obra, estrelado por Jennifer Lawrence, a editora relançou o livro com o título Operação Red Sparrow e a capa do filme que é linda, mas não supera a capa original.

Quanto a diagramação, achei a letra pequena, e isso acabava me cansando um pouco durante a leitura. Se a letra fosse só um pouquinho maior acho que a leitura fluiria melhor (ou talvez ler pelo e-book seja uma boa aqui). Tirando isso, cada capítulo tem como abertura uma receita de algum prato exótico que tem relação com o capítulo antecedente e que certamente te deixará com fome.

No geral, é uma boa leitura para amantes de suspense tem na medida certa uma trama envolvente e sensualidade, sem beirar ao romantismo. Recomendo para os fãs do filme Salt. 

See you soon!

0 comentários:

Postar um comentário