9 de junho de 2018

O QUE DESCOBRI QUANDO INVESTI NO MEU PRÓPRIO NEGÓCIO

POSTADO POR EM 9 de junho de 2018

Heeey, gente. Tudo bem??

Investir em um negócio próprio, seja ele você mesmo, uma loja física ou até algo na internet é desafiador e amedrontador. Esses fatores se multiplicam quando você precisa se arriscar saindo de qualquer tipo de trabalho fixo para investir neste, até então, sonho. Por isso é preciso certo planejamento para que este passo seja executado e é sobre isso que eu vou falar no post de hoje.



Ao decidi sair de um emprego fixo para investir no minha empresa, coloquei os prós e contra numa balança antes de tomar a decisão final. Eu trabalhava na área jurídica apenas e só pelo salário, não era um emprego que me deixava triste, mas também não me fazia feliz, e eu também não via uma opção de carreira ali. Trabalhava por uma empresa terceirizada, não havia cursado direito e percebi que o tempo passaria e eu estaria sempre na mesma função. Estar em uma empresa sem possibilidades de crescimento de carreira é desestimulante e acaba fazendo com que a gente esteja sempre entregando o mesmo trabalho, sem um incentivo real para melhorar aquilo ali.


Do outro lado da moeda eu tinha um hobbie que adorava e me desafiava, ali eu via possibilidade de crescimento, tanto profissional quanto pessoal, além disso me fazia feliz, despertava uma emoção que eu não tinha no emprego fixo. O problema estava nessa pequena palavrinha: fixo. Não era um emprego fixo e até o momento sequer era um emprego. Então chegar ao patamar de colocar isso como meta de vida tendo retorno financeiro foi muito complicado; tanto por não saber se daria certo quanto por não saber como agir caso desse certo.

A distância entre pensar nessa troca de função e ela realmente acontecer foi longa, cerca de um ano e meio. Primeiro eu precisei enxergar a internet como um trabalho real e levar o meu conteúdo para os clientes como trabalho. Depois foi valorizar esse trabalho e fazer com que ele rendesse o possível para que eu me sustentasse e ainda investisse com o passar dos meses. Mas ainda assim eu sabia que não seria uma constante e que os gastos iriam multiplicar conforme o tempo passasse. Então precisei fazer uma reserva de dinheiro para saber administrar a situação nos primeiros meses. - reserva essa que se acabou rapidinho devido a minha falta de organização (tópico para um próximo post?).



Quando finalmente criei coragem para fazer a mudança, precisei pensar em formas de aumentar o rendimento da empresa e descobri que isso se faz com investimento. Eu não daria conta de tudo sozinha, então precisaria de mão-de-obra para trabalhar comigo nas partes que não exigiam tanta criatividade, também precisava investir dinheiro no marketing do produto, de forma a alcançar mais clientes. Essa é uma das coisas que a maioria dos novos empresários peca: o medo de investir. Dentro de uma empresa o dinheiro é rotativo e no primeiro momento ele deve ser reinvestido sim, principalmente para que exista um futuro.

O nosso negócio nasce como um filho para a gente, mas diante das outras pessoas temos que perceber que ele é apenas um negócio, por isso também temos que tratá-lo como tal. Estudar o mercado, desenvolver formas de destacar sua marca, e mais, de fixar sua marca na cabeça daqueles que a consomem, essa é a melhor forma de criar uma rede boa de clientes. Quando o trabalho é online deve se pensar nos cliente e também nos leitores, tendo em vista que os clientes são as marcas que vão comprar o seu servirço e os leitores àqueles que vão consumir o seu produto. São dois pontos importantes no negócio e que precisam ser valorizados de forma igual.

Uma das coisas que parei para pensar esta semana foi no plano de carreira. Como a ideia de transformar o hobbies e trabalho foi acontecendo na minha vida, devo confessar que não busquei dicas de criação ou gerenciamento de negócio, a coisa foi meio que acontecendo conforme o tempo ia passando. Agora percebi que preciso me dedicar a isso, inclusive hoje levei uns susto quanto a alguns números que percebi não ter notado e que isso aconteceu pela falta de planejamento de negócio. Descobrir onde quer chegar, estipular metas e trabalhar para que essas metas aconteçam é um dos pontos altos quando o objetivo é evoluir como marca.

São muitos passos a serem seguidos e eu não posso dizer que seja fácil, não é. No entanto, a recompensa de saber que aquilo está crescendo por fruto do seu trabalho e que você está evoluindo sua marca para então evoluir como pessoa por trás dela é gratificante. Espero que minha trajetória tenha te dado uma luz caso seja isso que você está pensando em fazer e que vocês tenham gostado desse tipo de post, pois foi um conteúdo que eu adorei produzir e que espero fazer mais vezes, caso seja do interesse de vocês. Me conta aqui nos comentários.

Beijocas da Barb 🖤


***
Este post é válido para o Comentário Premiado.
Clique aqui para mais informações.

4 comentários:

  1. Bárbara!
    REalmente foi muito ousado da sua parte e admiro sua obstinação.
    Desejo que tenha cada vez mais sucesso no seu negócio.
    Agora gostaria de saber qual é seu negócio?
    Um final de semana cheio de luz e paz!
    “Sou uma pessoa insegura, indecisa, sem rumo na vida, sem leme para me guiar: na verdade não sei o que fazer comigo.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudy. Muito obrigada pelo comentário ❤️Então, meu negócio é o Segredos Entre Amigas. Hoje somos uma empresa que presta serviço de divulgação literária para autores e editoras.

      Beijoos!!

      Excluir
    2. Bárbara!
      Bacana ter tornado o Segredos Entre Amigas um negócio.
      Desejo cada vez mais sucesso!
      cheirinhos
      Rudy

      Excluir