Oi, gente. Tudo bem?

Estou de volta com mais uma resenha para vocês. Dessa vez, vim comentar minha opinião sobre o terceiro livro do meu muso do thriller, Charlie Donlea. Vamos conferir?!

Livro: Não Confie em Ninguém
Autor: Charlie Donlea
Editora: Faro Editorial
Páginas: 352
Sinopse: O melhor livro de Charlie Donlea – até agora. O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com o namorado. O rapaz é assassinado. E ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.

Sidney Ryan
é uma cineasta que está construindo sua carreira em cima de documentários. Seus
primeiros trabalhos foram sobre pessoas condenadas injustamente por crimes que
não cometeram e graças a Sidney tiveram sua pena revertida. O trabalho mais
recente dela lhe rendeu um grande status, além de um contrato com uma emissora
para exibi-lo em horário nobre.

Por conta da
eficácia da cineasta em resolver crimes, ela recebe diariamente centenas de
cartas de pessoas que acreditam ter sido condenadas injustamente e é de uma
dessas cartas que Sidney vai tirar seu próximo trabalho. 10 anos antes, o país
ficou chocado com a história de Grace Sebold, uma garota estudante de medicina
acusada de matar o namorado em uma ilha no Caribe.
Sidney e
Grace estudaram juntas na faculdade e ao longo dos dez anos em que está presa,
Grace enviou várias cartas para a colega, alegando sua inocência. Determinada a
investigar a verdade por trás da morte de Julian Crist, Sidney embarca para
Santa Lúcia em busca de provas, tendo em vista que o julgamento de Grace
pareceu conveniente demais, com as poucas pistas encontradas apontando para
ela, mas sem um real embasamento.

Conforme vai
reunindo as provas, Sidney vai montando os episódios de A Garota de Sugar
Beach, que promete ser um sucesso. O caso de Grace ainda está na mente dos
americanos e, sendo exibido em horário nobre, pode arrancar um excelente pico
de audiência. Mas a cineasta está mais preocupada em apresentar a verdade e, se
for o caso, atestar a inocência de Grace.

Porém, será
que Sidney conseguirá fazer isso? Depois de dez anos, ainda existem provas que
possam ser significativas para o caso? E o mais importante: será Grace
realmente inocente?
Querem saber
o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Depois de
ter lido A Garota do Lago e Deixada para Trás, Charlie Donlea se tornou um dos
meus maiores ídolos literários. Suas obras são muito bem elaboradas,
convincentes e te deixam pensando por horas mesmo após a conclusão da leitura. Então,
quando a Faro anunciou o lançamento de Não Conte a Ninguém, é óbvio que
solicitei meu exemplar imediatamente e já iniciei a leitura.
A escrita de
Donlea segue leve, fluida e envolvente. O autor tem um modo de escrita muito
particular, que consegue apresentar os fatos e prender o leitor imediatamente.
Perto do terceiro capítulo eu já estava tão imerso na trama que não conseguia
largar o livro por nada. Em plena Bienal ler um livro de quase 400 páginas tão
rápido só mostra o quão bom o autor é.
O livro é
narrado em terceira pessoa, apresentando diversas perspectivas. Ao contrário
dos livros anteriores do autor, esse apresenta uma gama de personagens e todos eles
têm sua importância dentro da narrativa. Sidney se tornou uma das minhas
favoritas e adorei o modo como ela abordava os fatos, de uma forma natural e
extremamente profissional.
Falando nos
personagens, temos a aparição de uma personagem maravilhosa de Deixada para
Trás, que foi bastante importante no andamento do caso. Quando ela apareceu,
confesso que dei um gritinho, fangirl total. Espero de verdade que ela apareça
novamente em outros livros (SPOILER: Charlie falou na Bienal que a veremos
novamente, então já estou em surto por antecipação).
O final foi
de tirar o fôlego. Mais ou menos na metade eu já desconfiava da verdade, mas
ver minha teoria se concretizando foi surreal. O modo como Donlea apresentou a
resolução, com um fato extremamente chocante, só me deixou meu queixo ainda
mais caído. Não o suficiente, Charlie deixou uma ponta em aberto (mais uma vez)
que rendeu inúmeras teorias na minha cabeça. Socorro, esse homem ainda vai me
matar!
Sobre a
edição da Faro, nem preciso comentar a maravilhosidade, não é mesmo? O livro
segue o mesmo padrão dos outros do autor e eles ficam lindos lado a lado na
estante. A diagramação é bem elaborada, as páginas são amareladas, naquela
gramatura esplêndida que só a editora tem e a fonte é agradável para leitura.
Mais um tiro!
Não Confie
em Ninguém é diferente dos livros anteriores de Charlie, mas ainda assim
consegue ser maravilhoso e mostrar o dom do autor para o thriller
investigativo. A cada nova obra eu tiro o chapéu para ele e me encanto ainda
mais por seus trabalhos. Deixo aqui minha recomendação a todos, porque vale
muito a pena!
Beijos e até a próxima!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Matheus souza da silva
    13 agosto, 2018

    Já estou ansioso pra ler, Deixada para trás, foi sensacional.