• Livro: Uma breve história da bebedeira
  • Autor: Mark Forsyth
  • Editora: Companhia de Mesa
  • Páginas: 224
Sinopse: A história da paixão por um bom drinque e as várias faces da bebedeira - dos nossos ancestrais até os dias de hoje. A embriaguez é praticamente universal. Quase toda cultura no mundo tem bebida alcoólica. Os poucos que não se animavam muito - como na América do Norte e na Austrália - foram colonizados por outros bem entusiasmados.Os livros de história gostam de contar que fulano ou sicrano bebiam, mas não explicam as minúcias da bebedeira. Como acontecia? Com quem? A que hora do dia? Beber sempre envolveu uma série de regras, raramente escritas.É disso que esse livro trata, Não do álcool em si, mas da embriaguez: suas armadilhas e seus deuses. De Ninkasi, a deusa suméria da cerveja, aos quatrocentos coelhinhos bêbados do México.

Já se perguntaram por que o ser humano começou a beber? Então vamos fazer uma viagem ao longo da história da humanidade.

Em Uma Breve História da Bebedeira, o autor Mark Forsyth nos leva a conhecer as origens da bebida alcoólica nas antigas civilizações, passando pela evolução do homem, pela pré-história, pela Suméria até chegar na Rússia e na Lei Seca. Tudo isso em uma escrita carregada de bom humor e imaginação, na qual o autor nos coloca dentro da realidade que ele está contando, como se fossemos personagens da história.

As escolhas das eras históricas que o livro traz é algo interessantíssimo. Ao mesmo que tempo que vem em ordem cronológica, o autor volta no tempo para fazer comparações entre as diferentes civilizações e até mesmo textos religiosos, como a Bíblia e o Corão.

O livro traz algumas ilustrações para explicar, por exemplo, os recipientes em que se bebia, o local, a disposição de convidados, entre outros. Essas ilustrações colaboram com a inserção do leitor no ambiente histórico para compreender melhor o que acontecia ali.

Esse é um livro que desperta a curiosidade e que nos apresenta fatos sobre a bebida alcoólica e a humanidade que grande parte da população desconhece. As interpretações de antigos textos, de textos religiosos, de leis da história próxima, são parte essencial do livro e partes esclarecedoras.

Para mim, o bom humor do autor é impagável, com piadas, ironia e tiradas que fazem a leitura ficar leve e descontraída, apesar do grande peso histórico que ela trás. Indico esse livro para quem tem curiosidade sobre coisas do cotidiano, como elas surgiram, por que elas continuam e como estão nos dias atuais em comparação com o passado.

Eu adorei o livro e me diverti muito com a leitura. Espero que gostem.

 

BEIJÃO E ATÉ MAIS!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário