• Livro: Tempo de Partir
  • Autor: Jodi Picoult
  • Editora: Verus
  • Páginas: 434
Sinopse: Uma leitura emocionante e surpreendente sobre amor materno, perda e luto. Faz mais de uma década que Jenna Metcalf não consegue parar de pensar em sua mãe, Alice, desaparecida em circunstâncias misteriosas logo após um trágico acidente. Jenna se recusa a acreditar que a mãe a abandonaria, por isso continua buscando pistas online e nas páginas de seus antigos diários. Alice era uma cientista que pesquisava o sofrimento entre os elefantes e, nos diários, escrevia basicamente sobre esses animais que ela tanto amava, mas Jenna tem esperança de encontrar alguma pista sobre seu paradeiro. Desesperada por respostas, Jenna convoca dois improváveis aliados: Serenity Jones, uma médium famosa por encontrar pessoas desaparecidas, e Virgil Stanhope, o detetive que investigou originalmente o caso de Alice, assim como a estranha morte de uma das colegas dela. Conforme os três trabalham juntos para tentar descobrir o que realmente aconteceu com Alice, percebem que, ao fazer perguntas difíceis, terão de lidar com respostas ainda mais duras. E, à medida que as memórias de Jenna se encaixam com os eventos narrados nos diários de sua mãe, a história se encaminha para um fim hipnotizante.

Uma garota de 13 anos super inteligente que se vê perdida nas anotações de sua mãe e em origamis de elefantes em notas de um dólar – as lembranças que restaram de Alice Metcalf, mãe de Jenna.

Durante 10 anos, Jenna está à procura de sua mãe em sites de desaparecidos. Ela era apenas uma criança de 3 anos quando tudo aconteceu: o acidente no santuário de elefantes que seus pais administravam.

Mas, por mais que tente, Jenna não consegue se lembrar do que aconteceu naquela noite. Um pisoteamento, uma funcionária morta, Alice Metcalf que some após ser levada ao hospital, um administrador que enlouqueceu, uma investigação que nunca terminou.

Na natureza, o trabalho da mãe é ensinar à filha tudo que ela terá de saber para ela mesma se tornar mãe.

Alice Metcalf é uma neurobiologista que estuda elefantes, principalmente o luto deles. Somos apresentados à sua pesquisa nos capítulos em que ela narra sobre sua vida, sobre as circunstâncias que a levaram da África para os EUA, do elefantes selvagens aos resgatados no santuário.

Alice é mãe de Jenna, a filha que sente sua falta há 10 anos e que vive atualmente com a avó materna e com a cachorra Gertie, uma vez que seu pai, Thomas Metcalf, está internado em uma clínica psiquiátrica.

-Acho que o luto é como um sofá muito feio mesmo. Ele nunca desaparece. A gente pode decorar em volta dele, enfeitá-lo com toalhinhas rendadas ou empurrá-lo para um canto da sala. Até que, uma hora, você aprende a viver com ele.

Depois de muito tempo aguardando a volta de sua mãe, Jenna resolve investigar os acontecimentos por si mesma. Para isso, vai contar com a ajuda de uma médium falida, Serenity Jones, e de um ex-investigador da polícia que estava no caso de sua mãe, Virgil Stanhope.

Juntos irão em busca de provas que se perderam no passado, vão discutir sobre vida e morte, espíritos e fantasmas e vão criar laços para toda uma eternidade.

Na natureza, mãe e filha permanecem juntas até que uma delas morra.

O livro é totalmente escrito em primeira pessoa, tendo os capítulos narrados por Alice, Jenna, Virgil e Serenity, o que nos leva a conhecer a vida e o passado de cada um deles. Devo ser honesta que se um autor quer me prender, que escreva um livro de investigação com capítulos em primeira pessoa. Isso funciona em 90% dos casos.

E a autora Jodi Picoult soube fazer isso muito bem em Tempo de Partir. Não espere não se envolver com os personagens, não ficar ansioso por saber o que irá acontecer no próximo ato, e não ficar preso entre o desejo de chegar logo ao final e descobrir tudo e não querer terminar o livro porque é muito bom.

Tempo de Partir trouxe o melhor plot twist que já li, foi totalmente inesperado e imprevisível: durante a leitura não consegui de forma alguma cogitar que o final seria da forma que foi.

O fato de falar sobre pesquisas científicas traz uma ambientação diferente e interessante, principalmente porque são fatos reais e pesquisas que realmente acontecem.

A temática dos elefantes e o estudo feito pela personagem Alice Metcalf vai se desenrolando em contrapontos com a vida humana, fazendo uma trama sensacional no enredo. Você vai acabar apaixonado por elefantes.

Em suma, eu amei o livro, este primeiro contato sensacional com a escrita da autora me fez querer ler tudo o que esta mulher escreveu e irá escrever. Fui ler sem qualquer intenção, achando que seria apenas mais um romance e acabei me apaixonando. Tempo de Partir entrou para minha lista de favoritos.

Já leram algo da autora? Me contem nos comentários.

BEIJÃO E ATÉ MAIS!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Joyce
    02 fevereiro, 2019

    Oi Marina, tudo bem?
    Eu não conhecia a história, mas achei bem interessante.
    Misturar essa busca pela mãe e os acontecimentos com a vida dos elefantes e um pai internado na clínica psiquiátrica …
    Bom, parece ter muitas coisas legais na história! E parece ser algo original.
    Gostei bastante de saber da existência desse livro.

    • Marina Saraiva
      Marina Saraiva
      09 fevereiro, 2019

      Olá Joyce!
      Espero que consiga ler o livro, ele vale muito a pena, é bem original a temática.
      Beijos.