• Livro: Cinder
  • Autor: Marissa Meyer
  • Editora: Rocco Jovens Leitores
  • Páginas: 448
Sinopse: Enquanto a suas irmãs foram dados lindos vestidos e sandálias finas, Cinderella tinha apenas um avental sujo e sapatos de madeira. Contos de fadas revisitados Cinder tem dezesseis anos e é considerada uma abominação tecnológica pela maior parte da sociedade e um fardo por sua madrasta. Por outro lado, ser ciborgue tem suas vantagens: a interface de seu cérebro lhe deu a capacidade sobre-humana de consertar tudo ― robôs, aerodeslizadores, os próprios membros cibernéticos quebrados―, tornando-a a melhor mecânica de Nova Pequim. Sua reputação faz com que o herdeiro do império, o príncipe Kai em pessoa, apareça em seu estande na feira, solicitando o conserto de um androide antes do baile anual. Embora esteja ansiosa para agradar o príncipe, Cinder é impedida de trabalhar no androide quando Peony, sua meia-irmã e única amiga, é infectada por uma peste fatal que tem assolado a Terra por anos. Culpando-a pelo destino da filha, a madrasta de Cinder a entrega como voluntária para as pesquisas da doença, uma “honra” a qual ninguém sobreviveu até então. Logo, porém, os pesquisadores descobrem algo de incomum na cobaia recém-adquirida. Algo pelo qual há quem esteja disposto a matar.

Em um mundo futurístico, humanos, ciborgues, androides e lunares (habitantes da lua) interagem e compõe a nova sociedade da Terra. Nesse universo distópico em que a quarta guerra mundial aconteceu a mais de cem anos e um surto de letumose – uma doença letal vem massacrando a população, vive Lihn Cinder, uma garota ciborgue que sabe pouco sobre seu passado, pois foi adotada por um misterioso cientista que logo faleceu, deixando-a aos cuidados da madrasta e as duas irmãs.

A madrasta enxerga Cinder como um fardo deixado pelo marido, e não vê outra utilidade para a enteada além da garantia de sustento do próprio lar e das filhas, já que Cinder é considerada a melhor mecânica de Nova Pequim. Por esse motivo Cinder é obrigada a trabalhar para trazer recursos para casa.

E enquanto a madrasta e as irmãs se ocupam com vestidos, bailes e fitas, ela suja as mãos em sua tenda de trabalho e faz os serviços domésticos para se mostrar grata, obediente e garantir um teto sobre a cabeça.

Mas a vida de Cinder muda drasticamente quando o Príncipe Kai, o herdeiro do trono aparece pessoalmente em sua tenda em busca dos melhores serviços de mecânica para seu androide. Cinder jamais sonhou estar frente a frente com o príncipe como acontecia com suas irmãs, mas a presença de Kai a desestabiliza emocionalmente e por esse motivo ela omite sua verdadeira origem e se permite ser tratada como uma jovem humana comum, já que suas partes robóticas não ficam em evidência.

Em contrapartida, Kai se surpreende ao encontrar uma jovem tão bela, simpática e eficiente em seu ofício. Seria possível um romance entre uma humilde mecânica e um Príncipe?

Em Nova Pequim, a letumose vem ganhando mais força e dizimando a população, inclusive o próprio Rei, que fica mais doente a cada dia. Apesar dos esforços de Kai e dos cientistas do reino que trabalham dia e noite para encontrar uma cura, os resultados continuam desanimadores. Toda pessoa contaminada pela doença não sobrevive por muito tempo e ciborgues estão sendo entregues como cobaias para estudo nos laboratórios do palácio.

Como se não bastasse lidar com todo o caos que se transformou a Terra, o príncipe precisa escolher sua pretendente no baile que se aproxima. E embora Cinder queira participar do evento, sabe que sua madrasta jamais permitiria, tampouco lhe compraria um vestido novo.

Tudo piora quando Levana, a cruel e fria Rainha Lunar decidi vir a Terra com a proposta de um acordo de casamento com o príncipe. Tal acordo evitaria um confronto com nosso planeta e garantiria uma possível cura contra a doença que assola a população. Mas será que a Levana realmente tem boas intenções?

***

Embora seja uma releitura inspirada na história de Cinderela, Marissa Meyer criou um universo diferente e único para Cinder, usando elementos do clássico que conhecemos desde a infância, mas mudando todo o contexto da trama. O resultado? Uma distopia futurística de tirar o fôlego.

Nessa história, a mocinha não é a típica garota maltratada que encontra libertação somente nos braços de seu amado príncipe. Pelo contrário, Cinder é corajosa, altruísta e fará de tudo o que estiver ao seu alcance por aqueles que ama e por sua própria vida. Kai também não é o príncipe ao qual estamos acostumados nos contos de fada. Ele é leal, cavalheiro e ciente dos seus deveres, foi impossível não me apaixonar por ele.

Com uma narrativa leve e fluída, personagens bem construídos, e uma trama que aborda embates políticos, romance e briga pelo poder, Cinder inicia As Crônicas Lunares com o pé direito, mostrando que ainda é possível inovar quando se trata de releituras.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário