• Livro: Uma Mulher na Escuridão
  • Autor: Charlie Donlea
  • Editora: Faro Editorial
  • Páginas: 304
Sinopse: Ao limpar o escritório de seu pai, falecido há uma semana, a investigadora forense Rory encontra pistas e documentos ocultados da justiça que a fazem mergulhar num caso sem solução ocorrido 40 anos atrás. No verão de 1979, cinco mulheres de Chicago desapareceram. O predador, apelidado de Ladrão, não deixou nenhum corpo ou pista — até que a polícia recebeu um pacote enviado por uma mulher misteriosa chamada Angela Mitchell, cujas habilidades não-ortodoxas de investigação levaram à sua identidade. Mas antes que a polícia pudesse interrogá-la, Angela desapareceu. Agora, Rory descobre que o Ladrão está prestes ser posto em liberdade condicional pelo assassinato de Angela: o único crime pelo qual foi possível prendê-lo. Sendo um ex-cliente de seu pai, Rory reluta em representar o assassino, que continua afirmando não ser o assassino de Angela. Agora o acusado deseja que Rory faça o que seu pai prometeu: provar que Angela ainda está viva. Enquanto Rory começa a reconstruir os últimos dias de Angela, outro assassino emerge das sombras, replicando o mesmo modus operandi daqueles assassinatos. A cada descoberta, Rory se enreda mais no enigma de Angela Mitchell, e na mente atormentada do Ladrão. Traçar conexões entre passado e presente é a única maneira de colocar um ponto final naquele pesadelo, mas até Rory pode não estar preparada para a verdade...

Rory trabalha no ramo da investigação, mais especificamente na reconstituição de um crime. Ela entra na vida da vítima, absorve a maior quantidade de informações sobre o caso e consegue, de uma forma única, saber o que exatamente aconteceu, muitas vezes solucionando crimes há muito sem desfecho.

Quando o pai dela sofre um infarto e vai a óbito, Rory precisa voltar ao escritório de advocacia dele, do qual é sócia, para finalizar as pendências dos últimos casos que ele defendia. Com sua habilidade de organização e o auxílio da antiga secretária, logo a moça coloca tudo em ordem, mas um último caso a deixa estagnada.

Em 1979, Angela Mitchell ganhou toda atenção da mídia ao identificar e causar a prisão do Ladrão, um assassino que estava matando inúmeras mulheres em sequência. Acontece que Angela usou de métodos não convencionais para sua investigação e o Ladrão só foi condenado devido à sua provável morte, já que a mulher desapareceu após um dossiê sobre o caso chegar nas mãos das autoridades.

Rory logo descobre que seu pai trabalha no caso do Ladrão há anos e ele está prestes a ser solto em liberdade condicional, após 40 anos na cadeia. A investigadora está bem relutante em assumir os detalhes finais deste processo, mas o juiz responsável não lhe dá muita escolha. Aos poucos, Rory se vê envolvida em todo o âmago deste crime e pode ser que a história contada não seja realmente a verdade.

O Ladrão acredita que Angela ainda está viva e deseja, a todo custo, encontrá-la para provar sua inocência. O pai de Rory começou a auxiliar nessa busca, mas algo o impediu de ir adiante. Determinada a descobrir o que realmente aconteceu, Rory vai se jogar de cabeça no passado de Angela e tentar recriar essa história, mas o que ela vai descobrir pode mudar tudo aquilo em que acredita.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Charlie Donlea é, de longe, um dos meus autores favoritos da atualidade. Desde 2017, quando li A Garota do Lago, me encantei por sua escrita e prometi que leria tudo que ele escrevesse. Após o sucesso de Deixada para Trás e Não Confie em Ninguém, eu estava determinado a passar a mensagem de Donlea a todos e venerá-lo eternamente. O autor evolui a cada novo lançamento e aqui não foi diferente. Uma Mulher na Escuridão se tornou a minha melhor leitura do ano.

Com uma escrita envolvente, Donlea nos apresenta a um cenário policial muito bem construído. Rory é uma investigadora de enorme sucesso por sua habilidade de reconstrução criminal e muitos tentam que ela entre em seus casos, mas todos são escolhidos a dedo e Rory só para depois de conseguir traçar todo um plano de acontecimentos e trazer a verdade à tona. Quando ela cai de paraquedas no caso de Angela Mitchell é palpável sua determinação em entender tudo que aquela mulher passou para então tomar partido em toda situação.

Falando em Rory, que personagem magnífica. Donlea é mestre na arte de criar protagonistas femininas fortes e ao lado de Kasey, Livia e Sidney, Rory não fica nem um pouco para trás. Ela é brilhante, empenhada e tem uma personalidade bastante peculiar, mas nada pode abalá-la quando um caso está em andamento. Conforme ela ia fazendo descobertas, eu tentava imaginar um desfecho para sua investigação, partindo do mesmo ponto que ela, mas não chegava a lugar nenhum enquanto ela conseguiu desvendar tudo.

Não posso falar em personagens femininas fortes sem citar nossa Angela Mitchell, uma peça central dessa história. Os capítulos narrados por ela, no verão de 1979, eram os que mais me deixavam apreensivo. Angela sofreu muito na infância e adolescência com a intolerância devido ao seu grau de autismo, que era pouco conhecido na época. Quando ela casou e formou sua família, as coisas pareceram melhorar. Isso até o Ladrão aparecer e colocar tudo em risco.

Angela, contrariando todos aqueles que queriam diminuí-la, não só conseguiu descobrir a identidade do assassino, como também causar sua prisão. Eu me sentia desolado quando via ela sendo desacreditada, principalmente por aqueles que deviam lhe dar o maior suporte. E o modo como suas ações interferiram na vida de Rory, quarenta anos depois, só prova que ela é uma mulher incrível e que merecia toda valorização possível.

O que mais gosto nos livros de Donlea é que ele nunca deixa a história acalmar. Cada novo parágrafo, cada virar de página, é uma surpresa ou reviravolta. Comecei a ler o livro e não consegui largá-lo até finalizar a leitura. Chegou um certo ponto, quando o clímax começou a ser construído, que eu sequer lembrava de respirar, tamanha minha empolgação. O desfecho foi muito surpreendente, quando virei a última página eu só quis aplaudir o autor pelo seu talento.

Uma Mulher na Escuridão é o melhor livro de Charlie Donlea (até agora) e entrou para o hall dos meus favoritos. Sem sombra de dúvidas recomendo essa obra – e todas as outras do autor – a vocês. Vai arrepiar até seu último fio de cabelo e você nunca mais verá a literatura policial com os mesmos olhos.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário