• Livro: E Se Fosse a Gente?
  • Autor: Becky Albertalli & Adam Silvera
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 352
Sinopse: Em Com amor, Simon, Becky Albertalli conquistou o público jovem com sua narrativa sensível e apaixonante sobre um menino gay prestes a viver uma grande história de amor. Em E se fosse a gente?, ela se une ao escritor Adam Silvera para narrar o encontro de dois garotos que não poderiam estar em momentos mais diferentes da vida, mas que vão desafiar os poderes do universo para ficarem juntos. De férias em Nova York, Arthur está determinado a viver uma aventura digna de um musical da Broadway antes de voltar para casa. Já Ben acabou de terminar seu primeiro relacionamento, e tudo o que mais quer é se livrar da caixa com todas as lembranças do ex-namorado. Quando eles se conhecem em uma agência dos correios, parece que o universo está mandando um recado claro. Bem, talvez não tão claro assim, já que os dois acabam tomando rumos diferentes sem ao menos saberem o nome ou telefone um do outro. Em meio a encontros e desencontros — sempre embalados por referências a musicais e à cultura pop ¬—, Ben e Arthur se perguntam: e se a vida não for como os musicais da Broadway e os dois não estiverem destinados a ficarem juntos? Mas e se estiverem? Aos poucos, eles percebem que às vezes as coisas não precisam ser perfeitas para darem certo e que os planos do universo podem ser mais surpreendentes do que eles imaginam.

Arthur está passando o verão em Nova Iorque trabalhando como estagiário no escritório de advocacia da mãe. É seu primeiro verão longe dos amigos e longe da Georgia, onde vive, mas mesmo com toda sua timidez, ele quer que essas férias sejam inesquecíveis, dignas de um musical da Broadway.

Um dia, quando está voltando para o escritório, seu caminho se cruza com o de um garoto na porta dos Correios e com seu primeiro ato impulsivo da vida, Arthur decide segui-lo. Este garoto tem em mãos uma enorme caixa com os presentes dado pelo ex, que quer devolver o quanto antes, tendo em vista que o relacionamento acabou.

Arthur e o garoto conversam por alguns instantes e a conexão entre os dois é imediata. Quais as probabilidades de dois garotos gays se cruzarem em Nova Iorque e isso acontecer? Porém, um flash mob de pedido de casamento inicia dentro da agência e os dois se separam, sem trocar telefones ou Arthur saber o nome do rapaz que mexeu tanto com seus sentimentos.

Ben é o cara em questão. Descendente de porto riquenhos, ele vive em Nova Iorque desde sempre e sabe que a vida na cidade é agitada. Ele gostou muito de Arthur também, mas sua cabeça ainda estava no término com Hudson e nas coisas que ele precisava se livrar. Mas após uma conversa com seu melhor amigo, Ben percebe que talvez o Universo estivesse lhe dando uma nova chance de ser feliz e Arthur era o caminho. Mas como encontrá-lo?

Arthur sabe que em breve terá que voltar para casa, mas por que não se aventurar em um romance inesquecível durante o verão? Tendo em mãos apenas a etiqueta da caixa que o rapaz misterioso ia enviar e o nome Hudson para se basear, ele fará de tudo para reencontrar Ben e ter a chance de se apaixonar perdidamente.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Quem me conhece sabe que eu AMO os livro de Becky Albertalli e busco ler tudo que ela publica. Quando a Intrínseca anunciou o novo lançamento da autora, desta vez em parceria com Adam Silvera, tive a certeza que ia me apaixonar novamente por uma história dela. E nunca estive tão certo na minha vida.

Peguei E Se Fosse a Gente? para ler em um momento que nenhuma leitura me prendia. Depois de tanto tempo sem conseguir terminar um livro, por inúmeras razões, eu procurava alguma história que me amarrasse logo nas primeiras páginas e foi aqui que me salvei. Li metade do livro em uma sentada, praticamente sem respirar.

O que gosto nos livros da Becky é que sempre faço a leitura com um sorriso no rosto. É aquele tipo de romance fofo, com personagens extremamente cativantes, pelos quais você torce loucamente para que encontrem seu final feliz. Aqui não foi diferente. Conforme eu ia lendo, era natural rir sozinho e me emocionar com tamanha felicidade.

Eu não conhecia a escrita de Adam, mas achei que combinou bastante com a de Becky. Os dois juntos fizeram a narrativa fluir magicamente e já estou curioso em ler obras solo do escritor. Não sei quem escreveu cada personagem, tendo em vista que os capítulos são alternados entre os dois protagonistas, mas pelo que pesquisei, a mãe de Adam é de Porto Rico, então ele deve ser o responsável pela criação de Ben…

Arthur e Ben são maravilhosos, juntos e separados. É completamente impossível escolher um favorito dentro da história. Eles são bastante diferentes, mas se completam demais. Confesso que me identifiquei muito com o jeito de ser do Arthur, mas também vi algumas coisas minhas em Ben. Gostaria muito que os dois fossem reais e meus melhores amigos.

E Se Fosse a Gente? é uma história linda, empolgante e feliz, sobre dois garotos de mundos diferentes que se unem em nome de um sentimento mágico: o amor. Estou completamente apaixonado por esse livro e PRECISO que todos vocês leiam. Super recomendo, porque vale muito a pena! Se joguem!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário