• Livro: Feitos de Sol
  • Autor: Vinícius Grossos
  • Editora: Faro Editorial
  • Páginas: 256
Sinopse: Faça sua lista de filmes para alugar no fim desemana, prepare as músicas para gravar nasua mixtape e faça uma viagem no tempodiretamente para 1999. Feitos de Sol énostálgico, recheado de cultura pop, e temaquele sabor de primeiro amor que a gentesente, independentemente da época.Final da década de 90... Cícero é um nerd de quinze anos, fã de quadrinhos e que acredita que o mundo vai acabar na virada de 1999, por causa do bug do milênio — quando os computadores de todo o planeta iriam se descontrolar por não terem sido programados para entender a mudança das datas. Hoje pode parecer loucura, mas muita gente acreditou nesse risco. E ele não estava sozinho.Na busca pela última edição da revista do seu herói favorito, ele conhece Vicente, um garoto de família religiosa com quem ele logo se identifica. Vicente também acredita no fim do mundo, mas por outro motivo: o Apocalipse.Com suas diferenças, crenças e afinidades, Cícero e Vicente vão juntos desbravar um mundo além do que conheciam e, no caminho, descobrir mais sobre si mesmos.Dois jovens com histórias de vida cheias de adversidades e reviravoltas, numa época em que tudo era ainda mais complicado... É quando aparece, sem avisar, o amor...

Feitos de Sol nos apresenta a história de Cícero e Vicente, dois adolescentes de 15 anos. Cícero vive com a mãe e os dois tem uma relação de intensa parceria e confiança, sendo como melhores amigos. O menino também mantém uma amizade – um pouco mais colorida – com Karol, mas nada além disso. Apesar de transarem com certa frequência, não há rótulos para definir essa relação, porque não existe sentimento a mais ali além de uma bela amizade com benefícios.

Já Vicente é um pouco diferente. Filho de pais extremamente religiosos, o garoto vive em constante turbulência, tendo que cuidar cada passo que dá para não sofrer represálias do pai, que não aceita suas escolhas e é muito rígido em suas atitudes.

O caminho dos dois se cruza quando eles se encontram em frente à Taverna do Dragão. Cícero e Vicente são grandes fãs da história em quadrinhos Under Hero, que terá a edição 35 – a última – lançada naquela noite. Os dois estão extremamente empolgados, mas a decepção chega quando encontram uma placa dizendo que a Taverna fechou permanentemente por falta de recursos. E agora? Como vão saber o final desta história que tanto gostam?

A partir daí, um belo laço de amizade nasce entre os dois. Aos poucos, Cícero e Vicente descobrem que tem muito em comum um com o outro, como por exemplo a crença de que o fim do mundo chegará na virada do milênio. O ano é 1999 e Cícero acredita que quando virar para 2000, os computadores não irão entender essa nova data e irão ter um bug, disparando mísseis e tudo mais. Já Vicente, que é cristão, acredita que acontecerá o arrebatamento, onde os dignos serão levados ao reino dos céus.

A cada dia, Cícero e Vicente vão passando mais tempo juntos e essa amizade vai trazendo novas descobertas para Cícero. Ele quer passar mais e mais tempo com Vicente, mas o que isso significa? Estará ele se apaixonando pelo novo melhor amigo? Em uma jornada de autodescoberta, esses dois garotos se unirão para encontrarem seus propósitos e desbravarem o mundo, rumo ao sol. Mas estarão eles preparados para as consequências?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

Vinícius Grossos é meu pastor e nada me faltará! Conheci a escrita do autor em 2016, quando li 1 + 1, escrito em parceria com o fofíssimo Augusto Alvarenga. Desde então me apaixonei por suas histórias e li tudo que ele publicou. Quando a Faro anunciou o lançamento de Feitos de Sol, eu confesso que dei aquela surtada básica. Já estava em abstinência de livros de um dos meus autores favoritos e precisava desse livro pra ontem! E que livro, meus amigos. Que livro!

A escrita de Vini é simplesmente maravilhosa. Quando meu exemplar chegou aqui em casa eu estava a poucos dias de apresentar meu TCC, dando os ajustes finais ao meu trabalho. Pra relaxar um pouco a mente, fui ler as primeiras páginas dessa história e quando me dei por conta já tinha passado da metade, tamanha a fluidez. A cada dia mais tenho a certeza de que quando eu estiver em uma ressaca literária, é só pegar um livro do Sr. Grossos para essa maldita ir embora.

Feitos de Sol é narrado em primeira pessoa, pela perspectiva do Cícero. Amei a forma como Vini desenvolveu o personagem. Ele é bastante centrado para um menino de 15 anos e tem ideias muito reais sobre o mundo. Depois que conhece Vicente, ele só vai ficando mais fofo. Cícero desenvolve um instinto de proteção para com o outro garoto e é tão lindo de ver esses dois juntos. Era um ataque de fofura a cada palavra que eles trocavam.

Vicente é meu favorito – sorry, Cícero – por sua força. Ser gay dentro de uma família intolerante não é fácil, ainda mais quando essa família é religiosa ao extremo. O menino sofre constantemente com isso, mas, apesar de tudo, ele é um garoto iluminado, que tenta ver a parte boa de todas as situações e viver a vida praticando o bem. É cada frase maravilhosa sobre aceitação que ele solta na história, que eu tinha vontade de entrar no livro e abraçá-lo pra nunca mais soltar e dizer que ficaria tudo bem.

Amei a forma como Vinícius foi desenvolvendo o romance entre os dois protagonista, de forma gradual e convincente. Afinal, Cícero tinha um caso com Karol e sempre acreditou ser hétero, não seria muito verossímil ele simplesmente aceitar que estava apaixonado por outro menino. Pode-se dizer que os dois foram se descobrindo juntos e a cada novo passo nessa relação, o romântico incorrigível dentro de mim dava pulinhos de felicidade, lembrando do seu eu passado, de uns 5 anos atrás, que viveu situação parecida.

Os personagens secundários também foram muito bem construídos, mas o destaque maior foi a dona Emir, a avó do Vicente. Ela é uma senhora super descolada, alto astral e mente aberta. Ela é a maior apoiadora do neto e faz o que pode para vê-lo feliz. Dona Emir sabe que seu filho não é a melhor das pessoas e não tem problemas em ficar contra ele quando o assunto é Vicente. O período que Cícero e Vicente passam com ela, aprendendo um pouco mais sobre a vida, foi verdadeiramente inspirador. Que o mundo tenha mais senhoras como essa!

Quando o clímax do livro se apresentou, meu coração foi despedaçado em mil partes – e Vinícius ainda pisou nelas várias vezes. Eu chorava copiosamente com o rumo dos acontecimentos e só queria abraçar o autor e perguntar por que ele era tão mal assim. Pensei de verdade que as coisas continuariam sem resolução, mas então veio o capítulo final, que foi colando meus pedacinhos aos poucos e deixando aquele quentinho dentro de mim, com esperanças de que tudo ficaria bem. E daí então eu chorei de novo, haha.

Feitos de Sol é, de longe, o melhor trabalho de Vinícius Grossos e eu preciso que o MUNDO INTEIRO leia essa história. Meus parabéns ao autor e à Faro Editorial por trazerem essa belíssima história para a minha vida. Mesmo depois de meses da leitura finalizada, ainda lembro de cada detalhe e sigo apaixonado. Deixo aqui minha recomendação a todos. Se joguem nessa história e se encantem por esses dois meninos feitos de sol.

 

 

 

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário