• Livro: Destinos Divididos (Crave a Marca #02)
  • Autor: Veronica Roth
  • Editora: Rocco
  • Páginas: 448
Sinopse: As vidas de Cyra Noavek e Akos Kereseth são regidas pelas fortunas reveladas no momento do nascimento. O destino prevê caminhos opostos para os dois, mas, em uma galáxia regida pela vingança, onde a opressão e a violência permeiam as vidas dos moradores dos nove planetas, Cyra e Akos descobrem uma força inesperada ao se unirem. O mesmo destino que os colocou juntos, no entanto, é o que faz de tudo para separá-los. Na segunda e última parte da história que mistura fantasia e ficção científica, Veronica Roth, autora do best-seller Divergente, oferece mais detalhes do mundo de Cyra e Akos e explora as consequências da intriga política para a intricada rede de personagens que compõem a galáxia apresentada no livro Crave a Marca. Em Destinos divididos, o conflito que atinge a galáxia se desenrola sob quatro perspectivas, que intercalam diferentes vozes em uma narrativa repleta de esperança e resiliência.

Eu li Crave a Marca em 2017 assim que lançou, pois após o fracasso do final da série Divergente, queria ver se Veronica Roth conseguiria se redimir. Devo dizer que gostei bastante do livro e fiquei muito curioso pela continuação, que só chegou às livrarias do país nesse ano. Depois de quase dois anos dessa leitura, eu não lembrava de uma mísera vírgula da história e não sabia o que esperar desse segundo volume. Mas devo dizer que fui surpreendido.

Destinos Divididos se inicia no momento onde Crave a Marca finalizou. Akos e Cyra estão em uma nave em busca de um refúgio depois de sua fuga. Por não confiarem completamente na chanceler Isae, eles decidem ir para Ogra, o planeta onde os shotet estão refugiados, e se separar da governante, de forma que consigam armar o próximo passo de seus planos.

A guerra na galáxia é iminente e Cyra e Akos, que deveriam estar em lados opostos dessa confusão, precisam encontrar uma forma de sobreviverem juntos. Contudo, as coisas não são nada simples, tendo em vista que os dois lados são extremamente poderosos e tentam manipular as coisas para o seu lado, seja confiando no poder dos Oráculos ou desmerecendo e tentando diminuir a influência das Fortunas.

A Fortuna de Akos se mostra cada vez mais verdadeira e Cyra, a garota durona com o poder de infligir dor aos outros, quer acima de tudo proteger o garoto que ama, mesmo sabendo que seu novo inimigo é alguém ainda mais poderoso que seu irmão, Ryzek, que fez de sua vida um inferno. As escolhas que os dois precisam tomar são difíceis e no final de tudo eles podem sair ainda mais machucados. Estarão ambos preparados para as consequências?

Crave a Marca foi um livro muito bom, mas Destinos Divididos chegou para fechar com chave de ouro essa duologia, pois se mostrou ainda melhor. O início do livro foi um pouco lento para mim, tendo em vista o tempo de intervalo entre o lançamento das histórias. Além disso, Veronica inseriu a perspectiva de novos personagens na narrativa, aos quais precisei me habituar enquanto lia.

No primeiro livro, a narrativa é intercalada entre Cyra e Akos, sendo a dela em primeira pessoa e a dele em terceira. Lembro que isso deixou tudo mais dinâmico e envolvente e aqui não foi diferente. E não posso deixar de citar o quanto a trama é instigante. Roth conseguiu elevar sua fantasia a um novo nível, prendendo o leitor de uma forma única. Chegou um certo ponto do livro que eu não consegui parar de ler até finalizar.

Um dos pontos altos do livro foi o clima de tensão presente em todas as cenas. Veronica me deixou completamente emocionado com os rumos que deu aos acontecimentos, dando aquele friozinho na barriga com a expectativa pelo que estava por vir. E o final também foi de tirar o fôlego. A autora conseguiu atar todos os nós e explicar muita coisa que estava me deixando intrigado desde o início dessa história.

O único motivo para eu não dar 5 estrelas para o livro foi pelo vilão não ter me conquistado. Eu tive ódio de Ryzek por todo o primeiro livro e Lazmet prometia ser ainda pior. Contudo, não achei que foi bem assim. As atitudes de Ryzek em Crave a Marca foram muito mais desumanas que a de seu pai nesse segundo volume, fora que o rapaz foi completamente desconstruído aqui, não parecendo nem um pouco o vilão do primeiro livro. Isso me deixou decepcionado, mas não tira a grandiosidade da trama.

Em suma, Destinos Divididos é um livro envolvente e instigante, daqueles que te prende e vale muito a pena ser lido. Deixo aqui minha recomendação a todos vocês, pois acho que muitos vão se encantar. E se você está com um pé atrás com essa série por conta de Divergente, deixe seus preconceitos de lado, porque a evolução de Veronica Roth aqui é considerável. Se joguem!

 

 

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário