• Livro: Sessão da Meia-noite com Rayne e Delilah
  • Autor: Jeff Zentner
  • Editora: Seguinte
  • Páginas: 408
Sinopse: Toda sexta-feira, as melhores amigas Josie e Delia se transformam em Rayne Ravenscroft e Delilah Darkwood, apresentadoras de um programa de terror exibido em um canal da TV local. Com o final do ensino médio se aproximando, Josie precisa decidir se vai mudar de cidade para estudar em uma universidade grande e ir atrás de seu sonho de seguir carreira na televisão ― mas isso significaria ficar longe de sua melhor amiga… Enquanto isso, Delia sonha que seu pai, um fã de filmes de terror que abandonou a família anos atrás, assista ao programa delas na TV e retome o contato.
Em um fim de semana, as duas resolvem fazer uma viagem para a Flórida, onde vai acontecer a ShiverCon, a maior convenção do universo do terror e o lugar perfeito para conseguir um contrato com uma grande emissora. Mas pode ser que um jovem lutador de MMA, um produtor de televisão excêntrico e um basset hound idoso acabem transformando a vida dessas melhores amigas de uma maneira inesperada.

Oi gente!

Querem um Young Adult de qualidade? Temos! Vem cá que vou mostrar a vocês.

Josie e Delia são melhores amigas e apresentam um programa na TV local chamado Sessão da Meia-Noite. Há quase dois anos, por duas horas todos os sábados, as amigas são televisionada a 8 regiões dos Estados Unidos. Durante a atração, Josie passa a ser Rayne Ravenscroft e Delia se transforma em Delilah Darkwood para exibir os filmes de terror mais bizarros intercalados com quadros estranhos do programa.

Os filmes exibidos por elas fazem parte do acervo de filmes de terror deixados pelo pai de Delia, que a saiu de casa quando ela tinha 7 anos e nunca mais retornou. Logo, para ela, o programa sempre foi mais do que uma questão de alcançar o sucesso, e sim uma esperança que seu pai um dia o assistisse e a reconhecesse, vindo reencontrá-la. Para Josie, o programa é o primeiro passo para seu sonho de ser apresentadora na TV, porém, com a formatura do ensino médio chegando, ela não tem mais certeza se esse programa é o que quer fazer pelo resto da vida, qual universidade ela deve se matricular e se deve ceder à pressão dos pais e fazer o estágio em uma emissora de TV maior.

Contudo, inesperadamente, elas recebem um convite para participar de uma convenção de filmes e programas de terror que acontecerá em Orlando, na Flórida – a ShiverCom. Este será o momento certo para tentar uma guinada e promover o crescimento do Sessão da Meia-Noite, além de ser o ponto crucial que irá decidir o futuro tanto de Delia, quanto de Josie.

É difícil quando a gente se importa demais com alguém que é muito azarado. A gente fica se perguntando por quanto tempo consegue proteger essa pessoa de seu próprio destino.

Sessão da Meia-Noite com Rayne e Delilah traz um daqueles enredos simples, com histórias cotidianas que poderiam claramente ser sobre você, sua prima ou sua vizinha. Duas adolescentes no último ano do ensino médio, com problemas pessoais e escolhas demais para fazer aos 18 anos. Mas o autor, Jeff Zentner transforma tudo isso em um livro cheio de sensibilidade e emoção.

Não sou fã do gênero Young Adult e enquanto lia esta história tinha o mesmo pensamento que tive em outras leituras do gênero: é mais um história cotidiana que pode ser transformada em um filme da para a Sessão da Tarde. Mas eu, em parte, errei, e esse livro deixou meu coração quentinho e entrou facilmente para a lista de queridinhos.

Acredito que cada pessoa tem direito a cinco ou seis dias perfeitos na vida. Dias sem nenhuma nota fora do tom nem incômodos, dias que vão amadurecendo como um pêssego na memória com o passar dos anos. Sempre que você morde, ele é doce e suculento.

Nesta história, você acaba se apegando aos personagens e deseja saber a história de vida deles e também as decisões que irão tomar a cada capítulo (e eu, após a leitura, fiquei me indagando como será o futuro de Delia e Josie). Me comovi horrores com a história de Delia e me identifiquei com alguns pontos de sua personalidade, mas Josie me levou de volta aos meus 17/18 anos, naquele justo momento em que tudo parece eterno e você só quer ter aquela idade para sempre, sem crescer, sem mudar. Este livro é repleto de frases e reflexões que ficam marcadas na mente, o que me levou a marcar muitas páginas, muitas citações durante a leitura.

A narrativa ocorre em primeira pessoa, alternando os capítulos entre Delia e Josie, muitas vezes iniciando o capítulo em momentos antes do anterior acabar, sendo possível termos o ponto de vista das duas personagens em uma mesma situação. A escrita é composta por muitos diálogos e troca de mensagens de texto (estilo SMS ou Whastapp), o que torna a leitura fluida e rápida, sem ser cansativa. Outro ponto, os capítulos são curtos, ajudando na facilidade em desenvolver a leitura.

Acho que você não precisa gostar das mesmas músicas ou ter as mesmas comidas favoritas que alguém para uma pessoa conhecer seu coração secreto.

Um ponto que gostei muito foi a tradução das mensagens trocadas entre os personagens. Abreviações e expressões foram muito bem traduzidas e adaptadas para nossa cultura. Deixo aqui meus parabéns ao tradutor Guilherme Miranda para esse ponto. Como não li a versão em inglês para cotejar, falo pelo que senti durante a leitura, como o texto tá bem fluido e nada me pareceu muito bizarro, a tradução está bem ok para mim. Creio que a leitura em inglês desta história permita ao leitor conhecer muitas expressões e abreviaçõs cotidianas da cultura americana.

Como nem tudo são flores sempre, houve alguns detalhe que me incomodou um pouco na leitura. As atitudes das personagens, em sua totalidade, é linearmente condizente com a idade delas, mas há momentos em que alguns diálogos e situações se tornam muito infantilizados, como se fosse para forçar um ponto cômico na narrativa. Essa foraçadinha de barra não me agradou muito, pois deixa de ser o adolescente que tem sim momentos mais adultos e momentos mais infantis, para ser algo exageradamente infantil que destoa do resto do comportamento que Delia e Josie vêm apresentando.

Outro ponto que me incomodou (aviso de possível spoiler!!!!), são as situações durante a ShiverCom e o encontro com o produtor Jack Divine. Situações que dão errado sempre, que trazem confusões,beirando ao bizarro – normalmente colocadas para ser, também, um ponto cômico na história – acabam por me cansar e enjoar, ao invés de me tirar alguma risada.

Há algo especial em presenciar um momento sagrado com uma pessoa que você ama, porque você pega esse momento sagrado e o costura, feito um fio dourado, no tecido da relação de vocês.

Eu me apaixonei por esse livro, me emocionei, ri, chorei, como há muito tempo não fazia em uma leitura. Depois de concluá-lo, relfeti bastante, me senti nostálgica e tirei um conclusão sobre ele: esse é um livro sobre a vida, é sobre as escolhas que temos que fazer e não sabemos para onde elas nos levarão, é sobre ser deixado para trás por quem amamos e que deveria nos amar, é sobre deixar que as pessoas sigam seus caminhos e você sinta a felicidade por elas, é sobre dar valor aos momentos com quem realmente importa. Por favor, deem uma chance para essa história.

BEIJÃO E ATÉ MAIS!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário