• Livro: Algum Dia
  • Autor: David Levithan
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 334
Sinopse: Todo dia um novo corpo. Todo dia uma nova vida. Todo dia uma nova escolha. Desde que A consegue se lembrar, a vida significa acordar no corpo de uma pessoa diferente todos os dias, vivendo assim por 24 horas. Sem poder escolher onde será a próxima manhã. Se apaixonar por Rhiannon não estava em seus planos, mas foi inevitável. Tentando fugir desse amor impossível, A desaparece, acreditando que será o melhor para o casal. Mas as lembranças ainda estão impressas em Rhiannon e não existe um dia em que a garota não sinta saudades. Enquanto isso, A continua com o coração partido, acreditando ser a única pessoa no mundo que troca de corpo todos os dias. Mas A estava errado. Há outros. X está à sua procura e não medirá esforços até conseguir um encontro. X alega querer apenas conversar, mas será que suas intenções são só essas? Será que X tem as respostas que A tanto busca? Mas a que preço? Muito mais do que uma história de amor, Algum Dia narra as múltiplas vivências de A, ora como um adolescente vitima de bullying, ora como um garoto lutando contra a pobreza, para falar da importância da empatia e tocar em uma profunda questão filosófica: o que nos torna humanos?

Quando A viveu a vida de Justin durante 24 horas, ele nunca imaginou que ficaria tão perdidamente apaixonado por Rhiannon, mas isso aconteceu. A partir daquele dia, todas as suas ações envolviam a garota, não importando no corpo de quem ele estivesse. Contudo, por mais que o sentimento fosse recíproco, A sabia que estava afetando a vida de Rhiannon e, após tudo o que eles passaram, ele decide afastar-se para sempre.

Rhiannon não aceitou muito bem a partida de A. Sua vida mudou drasticamente depois da entrada dele em sua vida e sua partida deixou um buraco na garota. Ela está em um relacionamento estável com Alexander, tem seus amigos ao seu lado, mas ninguém sabe sobre A e pode consolá-la com sua fuga. E é aí que surge Nathan, o menino que também já foi A por um dia. Ele tem perguntas, Rhiannon tem algumas respostas e logo os dois se tornam amigos, por compartilharem as mesmas dúvidas.

De outro lado, vamos conhecer X. Assim como A, ele é um ser que tem a habilidade de trocar de corpos. Porém, ao oposto de nosso protagonista, X não tem pudores em ocupar um corpo por mais de um dia, mesmo que isso afete inegavelmente seu hospedeiro. Por muito tempo, X ficou no corpo do reverendo Poole e soube da existência de A. Agora, X quer encontrá-lo a todo custo e Nathan será seu ponto de partida.

“Existe sempre o amanhã, penso. O que não soa tão possível quanto algum dia, mas muito mais possível que nunca.”

Agora que Rhiannon tem certeza de que A nunca mais voltará, ela se surpreende com uma mensagem do amado, que também está sofrendo com a distância. Nenhum dos dois sabe como levar essa situação adiante, mas sabem que sua história não pode acabar assim. E quando Nathan surge, dizendo que X quer encontrar A frente a frente outra vez, A sabe que precisa voltar, para proteger o garoto e também Rhiannon.

Porém, será que A está preparado para encontrar alguém como ele? Será que X terá as respostas que ele procurou a vida toda? E como ficará a vida de Rhiannon, com o retorno de A? O relacionamento dos dois tem alguma chance de dar certo?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Quando eu li Outro Dia, lá em 2016, eu sabia que a história de A e Rhiannon não tinha terminado ainda. A ideia inicial da sequência de Todo Dia era contar a história pela perspectiva da garota e cumpriu com isso com êxito. Porém, uma única cena deu a entender que tinha mais por vir e David Levithan não me decepcionou ao anunciar o lançamento de um terceiro livro. Quando Algum Dia chegou às livrarias eu surtei, mas não tive tempo de lê-lo assim que foi lançado. Só posso dizer para vocês agora que a espera valeu a pena.

A escrita de David Levithan é simplesmente maravilhosa. Já li todos os seus livros lançados aqui no Brasil e em todos a história fluiu magicamente, me prendendo ao ponto de eu ler as obras em uma sentada. Com Algum Dia não foi diferente. Iniciei o livro sem saber muito bem o que esperar, já que me privei de ler a sinopse e resenhas de outros leitores, e quando dei por mim já estava virando a última página. Simplesmente AMO quando um livro me prende desta forma.

O livro é narrado em primeira pessoa, alternando as perspectivas de A, X, Rhiannon e Nathan. Além disso, temos alguns trechos narrados por outros personagens que apesar de não fazerem parte da história principal são cruciais para o desenvolvimento do livro. Amei essa forma de escrita, pois deixou o livro ainda mais dinâmico e envolvente, pois a todo tempo tínhamos perspectivas novas e sabíamos o que se passava na mente de cada personagem.

O romance entre A e Rhiannon é lindo, mas ao mesmo tempo triste. Se eu estivesse no lugar da menina, não sei se conseguiria suportar tudo que ela passou. Não pelo fato de A trocar de corpo todo dia, afinal, a essência permanece a mesma. Mas o fato de ele ser uma pessoa diferente cada vez que eles se encontram causa uma série de problemas, já que não existe estabilidade, ela precisa afastar-se de seus amigos e da família… É uma sucessão de conflitos que, talvez, o amor não aguente.

O que mais gosto nos livros de Levithan é a representatividade, que ele insere em suas obras de forma natural. Uma boa parte da história se passa durante a Parada pela Diversidade de Washington e através disso o autor inseriu inúmeros personagens com orientações sexuais e identidades de gênero variadas, tratando tudo com a naturalidade com que devem ser tratados. É muito bom ver um autor de livros YA abordando assuntos ainda considerados tabu em suas obras e passando seu conhecimento adiante.

O único motivo para eu não ter dado 5 estrelas para o livro foi porque eu esperava mais respostas. Achei que, finalmente, entenderíamos porque A viaja de corpo em corpo ou, quem sabe, ele encontraria uma forma de ficar com Rhiannon. Só que, é claro, isso é tudo culpa minha. Acho que a intenção de Levithan nunca foi dar essas respostas (e se você está esperando por elas também, sinto muito) e o fato de eu querer isso e não receber não diminui a obra nem um pouco.

Algum Dia é uma excelente continuação, totalmente necessária, e pela qual eu já estou apaixonado. Estava em abstinência de livros de Levithan aqui no Brasil e ter essa obra em mãos só me deixou com mais saudade. Espero que logo mais tenhamos outros livros do autor lançados. De toda forma, deixo aqui minha recomendação a todos vocês. Essa é uma ‘trilogia’ que merece ser lida e ter ainda mais destaque. Se joguem na leitura!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário