• Livro: Se Beber, Não Ligue
  • Autor: Penelope Ward
  • Editora: Globo Livros
  • Páginas: 256
Sinopse: Após exagerar um pouquinho nas doses de vinho, Rana Saloomi, uma mulher solteira de 26 anos, resolve ir atrás do ex-vizinho, por quem era apaixonada aos treze anos de idade. Rana busca Landon Roderic na internet, encontra o telefone dele e o que era para ser apenas um trote acaba se tornando um telefonema em que ela despeja em cima dele todos os sentimentos que reprimiu a vida toda. A ressaca moral do dia seguinte e a certeza que tinha tudo para dar errado vão por água abaixo quando Rana recebe de volta uma ligação de Landon. As semanas seguem com várias chamadas entre os dois e incontáveis horas de conversas reveladoras. Até que Rana decide, em um outro impulso, pegar um avião e ir ao encontro dele na Califórnia. Prepare-se para muita tensão sexual e cenas picantes!

Rana Saloomi tem 26 anos e trabalha como dançarina do ventre em um restaurante grego. Após mais uma noite sofrendo assédio de clientes, ela decide descontar suas frustrações em uma garrafa de vinho e após uns goles ela toma uma decisão que pode mudar sua vida para sempre: ligar para o seu ex-vizinho Landon Roderic e culpá-lo por tudo que deu errado para ela.

Durante o início de sua adolescência, Rana e Landon eram inseparáveis. A garota morava com os pais de aluguel na garagem dele e a amizade que nasceu entre eles era algo natural e esperado. Porém, quando tinha 13 anos, Rana se viu obrigada a ir embora às pressas quando seu pai alegou ter sido expulso pelo pai de Landon, não tendo nem a oportunidade de se despedir do melhor amigo.

O tempo passou, Rana cresceu e tomou algumas decisões que a afetaram, mas Landon nunca saiu da sua cabeça. Ela ainda guarda os bilhetinhos que ele escreveu para ela na infância e sempre que tem um dia ruim, são eles que a ajudam a se reerguer.

Então, quando ela tem o impulso de ligar para ele após beber o vinho, Rana só queria desabafar, tendo a certeza de que ele não iria nem se lembrar dela. Mas é claro que as coisas não são tão simples assim e no dia seguinte Landon liga de volta, assim como nos próximos. Não só ele se lembra dela, como também sente saudades.

Ao longo dos dias, um novo laço vai sendo formado entre Rana e Landon, mas os fantasmas no armário da garota a impedem de investir nessa relação. Os dois estão em uma ponta do país cada e por enquanto as ligações são sua única forma de conexão. Mas Landon quer mais e Rana precisará decidir se está pronta para enfrentar seus medos e se entregar a esta paixão ou perder o garoto que ama mais uma vez.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Eu nunca tinha lido nada de Penelope Ward, apesar de ter alguns livros da autora no meu Kindle. Quando a Globo anunciou este lançamento da autora, pensei que esta era minha oportunidade de conhecer o trabalho de Ward e resolvi solicitar meu exemplar. Não foi uma leitura ruim, mas devo confessar que foi um tanto aquém do que eu esperava.

A premissa do livro é ótima. Um ‘reencontro’ treze anos depois é aquele tipo de clichê que os fãs de romances mais gostam, afinal muita coisa muda neste intervalo de tempo. Somando isso com a escrita fluida e envolvente de Ward, este livro tinha tudo pra me conquistar, mas sinto que faltou alguma coisa para ele ser inesquecível para mim.

O livro é narrado em primeira pessoa sob a perspectiva de Rana e ela é uma personagem adorável. A vida não foi fácil para ela, apesar de não sabermos exatamente o porquê. De início Ward só nos revela que ela foi abandonada pela mãe e por isso se rebelou, mas há algo mais fundo no coração dela, que faz com que ela se impeça de ser feliz. Landon também sofreu bastante nesse tempo longe e agora que está se reestruturando.

O casal é incrível, a química entre os dois é inegável, mas mesmo assim não me convenceu. Perdão, sociedade! Achei o rumo dos acontecimentos fácil demais e muita tempestade foi feita em poucos dedos d’água. O diálogo teria resolvido grande parte dos problemas antes mesmo de eles acontecerem. Entendo que Rana tinha medo de revelar seus segredos, mas conforme ela ia se envolvendo com Landon era perceptível que ele a aceitaria de qualquer jeito.

Um único ponto me incomodou na escrita de Penelope Ward, que foi a passagem de tempo num geral. Era estranho estar lendo uma cena, com os personagens programando um jantar, por exemplo, para no parágrafo seguinte já estarem jantando, sem nenhuma quebra de texto ou mudança de capítulo. Parecia que estava tudo amontoado nas páginas e, com minha mania de ler rápido demais, me deixava um tanto confuso.

Para finalizar, Se Beber, Não Ligue é um livro fluido e envolvente, bastante clichê, mas que tenho certeza que vai agradar os fãs mais fervorosos de romances e também da autora. Pode ser que a obra não tenha funcionado muito para mim, mas deixo aqui minha recomendação mesmo assim. Garanto que muitos de vocês vão se entreter, se apaixonar e se emocionar com estes personagens tão bem construídos.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário