• Livro: A Química que Há Entre Nós
  • Autor: Krystal Sutherland
  • Editora: Alt
  • Páginas: 272
Sinopse: Grace Town é diferente. Com suas roupas masculinas, desleixo aparente e uma bengala que leva para todo canto, ela é extremamente reservada, faz perguntas inusitadas e simplesmente não se encaixa em sua nova escola - não que isso seja um problema para ela. Henry Page, por outro lado, é tão comum que chega a ser tedioso e, por motivos que nem ele sabe explicar, se vê cada vez mais atraído pela misteriosa garota. Uma história de primeiros amores com um desfecho surpreendente, A química que há entre nós é um YA tão interessante quanto atípico, e já conquistou os mais diversos tipos de leitores.

Henry Page está no último ano do ensino médio e sua vida é bem parada para um adolescente da sua idade. Ele passa seu tempo com seus melhores amigos Lola e Muz e tenta a todo custo ganhar a vaga de editor do jornal da escola, pois ama escrever. O garoto tem a noção de que sua vida não terá nenhum ponto chamativo, mas aí o mundo de Grace Town colide com o dele.

Grace é uma garota que se transferiu de East River para a escola de Henry no último ano. Ela usa roupas de garoto, anda com o apoio de uma bengala e não parece ser muito adepta de banhos. Grace é um mistério ambulante e, para surpresa de Henry, é convidada para ser editora do jornal ao lado dele.

Porém, Grace nega o posto e deixa Henry ainda mais intrigado sobre quem é essa menina. Aos poucos, o garoto vai entrando na órbita de Grace e descobrindo certos detalhes sobre a vida dela, mas mesmo revelando algumas coisas, certos fatos ainda são um mistério. E é justamente essa aura intrigante que faz com que Henry se apaixone perdidamente por Grace.

“Eu soube que queria tentar. Então ela estava de luto e ferida e isso iria quase definitivamente acabar com um de nós ou os dois sendo destruídos. Mas vale a pena lutar por algumas coisas, certo?”

Mas é claro que viver um romance com essa garota não será nada fácil. Grace tem picos de humor que deixam Henry confuso. Nos dias considerados bons, eles interagem, riem, conversam e se tocam, mas nos dias ruins, Grace parece ignorar a existência do garoto. Qual o grande segredo de Grace e por que ela não se deixa apaixonar por Henry?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

A Química que Há Entre Nós foi oficialmente lançado em 2017 e eu lembro de ter visto muita gente falando bem na época do lançamento, mas acabei deixando passar. Este ano, por conta do lançamento da adaptação no Amazon Prime, a editora Alt lançou uma nova edição da obra e eu resolvi solicitar um exemplar para conferir a leitura. E que livro, meus amigos. Que livro!

A escrita de Krystal Sutherland é leve, fluida e muito envolvente. Comecei a ler o livro sem pretensão e quando me dei por conta já estava nas páginas finais. A narrativa é feita em primeira pessoa pela perspectiva de Henry e devo dizer que gostei muito disso. A grande maioria dos livros YA são narrados pela menina que se apaixona pelo bad boy misterioso e aqui tivemos essa diferença. Uma boa jogada da autora.

O romance entre Henry e Grace foi muito bem construído. Não dá pra negar, é um clichê adolescente, sim. Mas a forma como a autora desenvolveu as interações entre os personagens foi algo muito legal de acompanhar. Cada toque era importante, cada olhar tinha um significado e as nuances de Grace deixavam tudo instável, colocando o leitor num desespero sem fim.

“Às vezes você não sabe que as coisas serão extraordinárias até que elas são.”

O mistério de Grace foi um tanto previsível.  Mais ou menos na metade do livro eu já sabia o que tinha acontecido e fiquei um pouco chocado por Henry não ter descoberto antes, haha. Krystal narrou tudo tão bem que eu conseguia sentir a dor de Grace. Eu queria odiar a garota, mas era difícil demais sabendo de tudo que ela passou.

Outro ponto positivo do livro foram os personagens secundários. Eu simplesmente AMEI a irmã de Henry, Sadie. Ela é uma neurocientista que aprontou todas quando estava na escola e agora está passando por um divórcio complicado, mas sem perder o humor. Já Lola, a melhor amiga do protagonista, é bem decidida e dá os melhores conselhos. Não é aquela amiga que passa a mão na cabeça enquanto vê seu amigo desvanecer.

Depois que finalizei a leitura fui conferir a adaptação e já adianto pra vocês que não gostei. A escolha do elenco foi muito boa, mas as mudanças no roteiro deixaram a desejar. Sadie e Lola foram completamente mudadas, algumas das melhores cenas foram cortadas e a relação de Grace e Henry ficou um tanto rasa. Vou pensar ainda se farei uma crítica só do filme, mas não garanto nada.

A Química que Há Entre Nós é um livro leve e emocionante que conquistou meu coração desde a primeira página. Estou completamente apaixonado por essa história e não vejo a hora de ler mais livros da autora. Deixo aqui minha recomendação a todos. Tenho certeza que vocês vão se encantar assim como eu.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário