18 outubro, 2020

Querido Ex, de Juan Jullian

  • Livro: Querido Ex
  • Autor: Juan Jullian
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 176
Sinopse: A única coisa pior e mais desastrosa do que levar um pé na bunda, é levar um pé na bunda e ver seu ex se tornar a maior subcelebridade do Brasil. Não só isso, mas assistir em tempo real enquanto ele se apaixona por outro cara em TV nacional. Poucas palavras conseguem expressar esse nível de decepção amorosa. Nem mesmo Taylor Swift seria capaz de entender. Mas é justamente a tentativa de colocar a dor em palavras, reunidas em cartas para o maldito ex, que faz com que nosso protagonista repense algumas coisas. Entre crises de luto e saudades, existem festas anuais do dia dos ex-namorados com todas as suas amigas que o seu ex detestava. Existe a vida que você deixou para trás enquanto amava alguém que agora é somente um estranho com milhões de seguidores. E talvez por trás daquele amor existisse também um tanto de controle, de gaslighting, de codependência. Além de abordar de forma sensível, irônica e crua as diferentes nuances de um relacionamento abusivo, Querido ex também traz questionamentos sobre os preconceitos sociais que jovens negros e gays estão sujeitos em nossa sociedade. Publicado originalmente de forma independente, o livro vendeu mais de 20 mil exemplares e ficou mais de 100 dias seguidos no 1° lugar dos mais vendidos na categoria LGBT da Amazon.

Preciso começar esta resenha falando que eu queria MUITO ter gostado de Querido Ex. Ouço falar desse livro há bastante tempo, desde seu lançamento de forma independente e vibrei quando soube que ele seria lançado por uma editora tão grande e conceituada como a Galera Record. Mas infelizmente o livro não funcionou nem um pouco pra mim.

Nesta obra temos um garoto de vinte e poucos anos, que não tem seu nome revelado, escrevendo cartas para seu ex-namorado. Acontece que o término dos dois não foi muito amigável e, aos poucos, o menino vai percebendo que viveu durante quase dois anos um relacionamento abusivo. Só que, pra ajudar a superar, ele está na merda e o ex está cada dia mais rico e famoso.

Após o termino, o querido ex participou de um famoso reality show, do qual saiu vencedor, e ainda se apaixonou em rede nacional por outro participante. Aos poucos, ele só vai ganhando destaque, desde seu próprio programa na TV sobre os direitos LGBTQ ou ver seu noivado com o outro garoto ficando entre os assuntos mais comentados das redes sociais.

Quem vê a imagem do ex de fora pensa que ele é um enorme ativista, que pensa nos direitos dos outros. Afinal, ele é um gay padrão, então o que poderia dar errado? Mas é claro que nosso protagonista conhece a verdade por trás das falas ensaiadas e da militância inconstante e se sente frustrado em se ver tão mal por ter deixado ele ir enquanto ele colhe os louros por suas mentiras.

E foi aí que o livro pecou para mim. Eu esperava uma história de superação, esperava que o protagonista agisse e se reerguesse, mostrando ser alguém superior, que aquele relacionamento não o definia. Contudo, recebi uma história com um protagonista amargurado que nem com todo suporte dos amigos e da família conseguiu superar uma relação tóxica.

Eu nunca vivi um relacionamento abusivo, mas sei que não é fácil deixá-lo para trás. São necessários vários passos e todo apoio daqueles que se ama, lhe mostrando que existe vida após o término. Aos poucos a autoestima vai se elevando e a vida vai voltando ao normal. Aqui não foi assim. O protagonista, mesmo em seus melhores momentos, só sabia comparar sua vida com a do ex ou com os momentos que viveram juntos, deixando-o como um fantasma no armário. E isso depois de mais de um ano de término.

A escrita de Juan Jullian é bastante envolvente, isso não dá pra negar. O livro é todo narrado através das cartas e tem pouco menos de duzentas páginas. Somando estes fatores, eu esperava concluir a leitura em uma sentada, mas minha frustração com o narrador não me deixava avançar. Eu precisava reler mais de uma vez a mesma frase pra ela fazer algum sentido na minha cabeça. Só achei um pouco exageradas as inúmeras referências pop que o autor inseriu, que fugiam um tanto do sentido das cartas.

Terminei Querido Ex com um misto de decepção por o livro não ser o que eu esperava e tristeza por, nos capítulos finais, o autor mudar completamente o rumo da história. Em breve teremos uma continuação narrada por ninguém menos que o tal do ex e talvez só eu ache isso desnecessário… Se quiserem arriscar na leitura, depois me contem aqui nos comentários o que acharam.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário