• Livro: Lembra Aquela Vez
  • Autor: Adam Silvera
  • Editora: Rocco Jovens Leitores
  • Páginas: 336
Sinopse: Por que a felicidade tem que ser tão difícil? Aaron Soto, um jovem de 16 anos, está crescendo no Bronx dos dias atuais, em Nova York, poucos meses depois de tentar o suicídio e de encontrar seu pai morto com a própria navalha de barbear. Enquanto sua mãe confere folhetos do Leteo, um novo e polêmico instituto que realiza cirurgias para apagar memórias dolorosas, Aaron se reaproxima de sua devotada namorada, Genevieve, que o apoiou nos momentos difíceis, e da galera do seu bairro, que não teve a mesma atitude. Então, Aaron conhece Thomas, um garoto do conjunto habitacional vizinho. Os dois se tornam grandes amigos imediatamente, e Aaron se vê compartilhando coisas jamais por ele compartilhadas, nem com Genevieve. Logo fica claro para todos ao seu redor que Aaron está se apaixonando por Thomas, o que é um problema – a relação com Gen, desta vez, é séria – e perigoso: Não é nada fácil ser gay quando você é pobre e mora no Bronx. De repente, quando os antigos amigos de Aaron o agridem para ensinar uma lição (para o seu próprio bem, é claro), ele bate com a cabeça e algo estala... e novas memórias começam a emergir. Parece que Aaron já foi submetido ao procedimento do Leteo. Mas para esquecer o quê?

Aaron Soto era um adolescente comum, como todos do conjunto habitacional em que vive. Porém, após o pai dele se matar na banheira de casa e o próprio garoto tentar o suicídio, sua vida mudou bastante e aos poucos ele vai tentando se reerguer.

O menino não entende os motivos que fizeram seu pai cometer tal ato contra a própria vida, tampouco o porquê de sua mãe e seu irmão mais velho fazerem de tudo para apaga-lo de suas memórias. Tudo que Aaron quer é seguir com sua vida, mas as coisas nem sempre são fáceis.

Genevieve é a namorada de Aaron há mais de um ano e a relação dos dois está cada vez mais séria. Os dois se completam de uma forma única, mas mesmo com tudo isso, Aaron sente que algo está faltando. Então, quando a menina viaja por uma semana para um acampamento de artes é que ele percebe que tem algo errado.

Durante uma de suas brincadeiras com seus amigos do conjunto habitacional, Aaron conhece Thomas, que vive no condomínio vizinho. Os dois se encontram em circunstâncias não muito agradáveis, mas a conexão entre eles é imediata e logo surge uma bela amizade ali, tornando-se Thomas o novo melhor amigo de Aaron.

A cada dia, Aaron passa mais tempo ao lado de Thomas e, quando está com ele, o garoto esquece completamente da existência de Genevieve e, como num estalo, ele percebe que está se apaixonando pelo seu melhor amigo. Como lidar com essa nova descoberta? E será que os sentimentos de Aaron por Thomas são recíprocos?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Eu conheci Adam Silvera ano passado, depois de ler E Se Fosse a Gente?, romance LGBT escrito por ele em parceria com a minha queridinha Becky Albertalli. Eu super me apaixonei por essa história e fiquei curioso para ler alguma história solo de Adam, apostando em Lembra Aquela Vez para ter este contato. E que livro é esse, meus amigos?

Quando eu iniciei a leitura, confesso que fiquei com muito medo de me decepcionar. Eu só tinha ouvido falar sobre o livro, não sabia bem o que esperar, e me surpreendi por o personagem principal, aparentemente, ser um garoto heterossexual. As primeiras 150 páginas foram bem difíceis para eu me conectar a história, mas quando tudo fez sentido depois, eu percebi o quão brilhante Adam foi ao escrever este livro.

Dentro dessa história existe o Leteo, um centro médico onde pessoas consultam com médicos e podem ter suas memórias apagadas, como uma espécie de tratamento contra o sofrimento. No início, o Leteo foi citado algumas vezes e eu me perguntava onde ele se encaixaria dentro da trama. E quando tudo se conectou, foi soco atrás de soco.

Adam Silvera tem uma escrita linda e poética, daquelas que te emocionam a ponto de você só perceber quando as lágrimas já estão escorrendo. Ao longo do livro, eu tive um misto de emoções e conforme a história foi se encaminhando para seu desfecho, meu coração já estava em frangalhos. Nunca pensei que um livro mexeria tanto comigo como este mexeu.

“Se os cegos são capazes de encontrar a alegria na música, e os surdos podem descobri-la nas cores, eu vou me esforçar ao máximo para sempre encontrar o sol em meio à escuridão, porque minha vida não é um final triste, mas uma série interminável de começos felizes”.

Não posso dar muitos detalhes sobre os acontecimentos, já que o plot twist é uma das partes mais emocionantes e se eu falar demais o livro perde a graça. Só posso adiantar que se você estiver lendo e se perguntando o que está acontecendo, tenha calma que tudo fará sentido depois.

Os personagens foram muito bem construídos e cada um tem sua importância dentro da história. Minha favorita, contrariando tudo que eu esperava, foi Genevieve. Ela é uma personagem única, coadjuvante em sua própria história de amor, mas que faz de tudo para ver o garoto que ama feliz, mesmo que isso a destrua. É preciso ser muito forte para deixar seu amor partir.

O final foi de tirar o fôlego. Eu queria muito um final feliz, mas é claro que para tudo fazer sentido, isso não seria possível. Finalizei a leitura me debulhando em lágrimas, querendo entrar no livro, abraçar Aaron e dizer que tudo ficaria bem. Adam conseguiu realmente acabar com meu emocional e lhe dou os parabéns por isso.

Lembra Aquela Vez é um livro forte, com muitos gatilhos, mas também é uma história emocionante e necessária sobre amor, amizade e aceitação. Sem sombra de dúvidas deixo aqui minha recomendação a todos, porque sei que muitos vão amá-la. Depois me contem aqui nos comentários o que acharam.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário