• Livro: Trocas Macabras
  • Autor: Stephen King
  • Editora: SUMA
  • Páginas: 656
Sinopse: Compre agora. Pague depois. Há uma nova loja na cidade. ARTIGOS INDISPENSÁVEIS, diz a placa. Um nome curioso, que se torna tema de rumores e especulações entre os moradores de Castle Rock. Para cada cliente que entra na loja, Leland Gaunt tem algo perfeito ― um objeto há muito sonhado, desesperadamente desejado. O preço parece sempre razoável, mas vem acompanhado de pedidos estranhos.
O que começa como brincadeiras e pegadinhas inocentes aos poucos sai do controle, transformando a cidade em palco de disputas caóticas e brutais. Mas, quando você encontra um artigo indispensável, como saber se o custo para obtê-lo é alto demais?

A Artigos Indispensáveis chegou a Castle Rock, e os moradores da cidade não veem a hora de descobrir o que estará à venda na nova loja. Para a felicidade geral, logo eles descobrem que o proprietário, Leland Gaunt, parece ter o item mais desejado por cada um deles! E o melhor: os preços são mais do que justos!

Mas, em troca de um valor que caiba no orçamento dos compradores, o Sr. Gaunt pede que eles preguem peças inofensivas. O problema é que, aos poucos, as “brincadeiras” se revelam muito mais perigosas do que pareciam. E o resultado é o caos em Castle Rock.

Trocas Macabras mescla o terror sobrenatural à realidade igualmente assustadora com perfeição. Com um vilão extremamente sádico e inteligente, Stephen King nos envolve em uma leitura viciante e regada a um humor tão ácido, que quase nos corrói. Por meio do desejo dos habitantes da cidade pelos objetos vendidos pelo Sr. Gaunt, a história retrata a maldade que existe no mundo e explora a vulnerabilidade humana.

Com diversas referências a outras histórias que têm Castle Rock como pano de fundo, Trocas Macabras traz um grande spoiler de Cujo. Outro aviso importante é que a trama contém bastante cenas violentas e gráficas, o que pode incomodar alguns leitores.

Com mais de 600 páginas, Trocas Macabras tem um desfecho épico e eletrizante. Em certos aspectos, a história pode nos fazer lembrar de It, a coisa, principalmente na forma como explora o poder da magia, para o bem e para o mal, e entrelaça os acontecimentos finais. No livro originalmente publicado em 1991, cabe ainda uma reflexão sobre desejo, consumo e a necessidade de possuir bens materiais.

E se, como King reforça ao longo da história, tudo está à venda, qual será o preço das nossas escolhas?

*Resenha postada originalmente no Blog Mais que Livros.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário