• Livro: Por Um Corredor Escuro
  • Autor: Lois Duncan
  • Editora: Planeta Minotauro
  • Páginas: 208
Sinopse: Clássico do horror, da autora best-seller de Eu sei o que vocês fizeram no verão passado, agora na Planeta Minotauro! Depois que uma porta se abre, não dá para controlar quem passa por ela. Esse lugar é amaldiçoado. As palavras martelam a cabeça de Kit Gordy quando as torres da escola Blackwood surgem sobre os pesados portões de ferro. Com o passar dos dias, Kit tenta se ajustar à rotina do internato, ainda que não consiga se livrar dos frios na espinha causados pela imponente mansão e pelas histórias que rondam a propriedade. Suas colegas, então, passam a desenvolver habilidades extraordinárias, sem qualquer explicação. Os estranhos pesadelos, as vozes nos corredores escuros, as cartas de amigos e familiares que nunca chegam a seu destino: tudo isso acaba obscurecido pela magia que se esconde em cada canto de Blackwood. Quando Kit finalmente descobrir a verdade por trás daquela escola, pode ser tarde demais.

Kit Gordy é uma jovem tranquila que vive com a mãe desde a morte do pai quando ela era criança. A mãe seguiu em frente e se casou com um homem que parece amá-la e agora os dois farão um tour pela Europa em sua lua de mel. Para não deixar Kit sozinha, eles decidem enviá-la para um internato chamado Blackwood, onde os talentos e artes são parte importante do currículo acadêmico.

Quando passa pelos portões de Blackwood pela primeira vez, após uma longa viagem, a primeira palavra que passa pela cabeça de Kit quando vê o casarão que abriga a escola é amaldiçoado. Contudo, conforme vai conhecendo o espaço e os professores, liderados pela imponente Madame Duret, Kit vai se acalmando e tem a certeza de que quando as próximas alunas chegarem, tudo ficará bem.

Para surpresa de Kit, não são muitas meninas que chegam. Madame Duret anuncia que para este semestre apenas quatro novas alunas foram aceitas, o que dará a oportunidade de aulas mais pessoais. Lynda, Ruth, Sandy e Kit não parecem ter nada em comum. Todas tem personalidades bem diferentes, assim como níveis de intelecto diferenciados. A partir daí, elas começam a se questionar porque foram aceitas, dentre tantas inscrições.

A mansão de Blackwood é um lugar sombrio. No corredor que vai para o alojamento das meninas, uma escuridão domina o espaço e as coisas não parecem estar certas por ali. Durante a noite, todas as meninas passam a ter sonhos estranhos, sentindo presenças em seus quartos e não demora muito para algumas delas desenvolverem habilidades que antes não tinham, como pintura e matemática.

Kit começa a ficar preocupada e sabe que precisa descobrir o que há por trás de Blackwood. Madame Duret tenta fazer parecer que tudo está bem, mas a nossa protagonista sente que há algo por trás das boas intenções da diretora. Porém, será que Kit está preparada para a verdade que se esconde nos corredores escuros de Blackwood?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Eu conheci Por Um Corredor Escuro através da adaptação, enquanto procurava filmes para assistir na Netflix. O longa, que é estrelado por  Anna Sophia Robb e Uma Thurman, me chamou atenção e ao pesquisar mais sobre a história, fiquei sabendo que se tratava de uma obra baseada em um livro, que foi lançado no mês passado pela Planeta Minotauro. Resolvi solicitar um exemplar para fazer a leitura antes de assistir e devo recomendar que façam o mesmo.

A escrita de Lois Duncan é muito envolvente. Logo no primeiro capítulo já senti a fluidez da narrativa e criei uma conexão com Kit, mesmo através da narrativa em terceira pessoa. Somando isso com a dinâmica da história e as poucas páginas, concluí a leitura muito rápido, em meio a uma ressaca literária cruel.

Os personagens foram muito bem caracterizados. Como falei acima, Kit me conquistou de cara. Seu jeito irreverente se mantém do início ao fim e ela não se deixa abalar por nada. As outras meninas também são muito interessantes. Gostei muito da forma como a autora desenvolveu a Ruth, uma personagem que no início eu não dei nada e se mostrou muito perspicaz.

É claro que temos uma dosezinha de romance na história para dar aquele balanço na narrativa sombria. Jules, o filho de Madame Duret, é um belo rapaz que chama atenção de todas as meninas, mas dedica um carinho especial para Kit. Claro que depois percebemos as segundas intenções do rapaz, que é um musicista fantástico, mas creio que muitos dos sentimentos que ele apresentou sejam verdadeiros.

O que me decepcionou na história foi o final. Na metade do livro, quando as suspeitas de Kit começaram a nascer, eu já desconfiava do que se trataria o desfecho. Não vou negar que foi uma jogada interessante da autora, mas achei que ela poderia ter desenvolvido melhor. Todo o clímax se resolveu de forma fácil e rasa, indo contra o ar misterioso que reinava sobre o livro.

Depois que finalizei a leitura resolvi conferir a adaptação e… Bem, digo para que vejam com os próprios olhos. Sei que se trata de uma adaptação e nem sempre é possível ser fiel aos livros, mas muita coisa foi alterada no filme. A ideia original está lá, mas não esperem mais do que isso. Só deixo um adendo para elogiar as atuações de Uma Thurman e Anna Sophia Robb, que conseguiram deixar o filme assistível.

Finalizando, Por Um Corredor Escuro é uma história bem escrita, fluida e com um clima sombrio e misterioso que agradam o leitor. O final deixou a desejar, mas não tira o mérito da autora em construir uma obra tão bem elaborada. Sendo assim, deixo aqui minha recomendação. Espero que gostem!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário